Applegate explora o neo-psicodelismo e o indie experimental em “Acidez”
Foto: Camila Sanches / Divulgação
 

Em “Acidez”, nova faixa da Applegate, a banda paulistana continua a seguir o caminho trilhado em Abstrai”, seu single de estreia: o neo-psicodelismo e o indie experimental.

O grupo explica que a música retrata a falta de controle e desgaste em determinadas situações pessoais, com uma atmosfera introspectiva e caótica, mas também libertadora.

As duas canções fazem parte de seu primeiro álbum, que está agora nos estágios finais de gravação. Antes do lançamento do registro, previsto para Julho, outras duas músicas devem ser liberadas.

No disco, eles procuram retratar o cotidiano sistemático e impositivo das grandes cidades do Brasil e do mundo. Nesse contexto, são abordados temas como identidade e vontades próprias e a revolta causada pela rotina, pressões e necessidades do mundo moderno.

A banda é formada por Gil Mosolino, fundador, compositor, vocalista, guitarrista e responsável também pelos sintetizadores; Rafael Penna, que além de artista visual e parte essencial na identidade visual da banda, toca baixo e trompete; Vinícius Gouveia divide as guitarras com Gil; e Pedro Lacerda é baterista, vocalista e compositor também de algumas músicas.