Chris Cornell e Tom Morello (Audioslave)
Foto: Reprodução / Instagram
 

Dá para imaginar o Audioslave sem a voz poderosa de Chris Cornell? Isso quase aconteceu.

Em seu texto para a coletânea póstuma do músico, Tom Morello revelou que após o fim do Rage Against the Machine, ele, Brad Wilk e Tim Commerford foram atrás de vocalistas para montar uma nova banda.

Segundo o guitarrista, após avaliar diversos cantores e rappers, ficou clara que a escolha certa era Cornell.

No momento após o fim do Rage Against The Machine em 2000, Tim Commerford, Brad Wilk e eu passamos muito tempo na casa de Rick Rubin planejando o que queríamos fazer em seguida. Ouvimos, discutimos e debatemos os méritos e talentos de dezenas de cantores e rappers ao longo de alguns meses. Nós estávamos em uma banda de impacto mundial e queríamos continuar a explodir o mundo. Não é uma tarefa fácil. E então Rick colocou pra tocar ‘Slaves and Bulldozers’, do Soundgarden. A voz de Chris Cornell era assombrosa, linda e aterrorizante. Todos nos entreolhamos e de forma unânime dissemos: ‘Esse é o cara!’. Nós éramos grandes fãs do Soundgarden e eles foram muito influentes para o RATM, mas a voz de Chris era de outro mundo.

Acontece que, em 2015, Morgen Gallagher, um amigo do saudoso Layne Staley, revelou que o músico também foi considerado para o posto.

Segundo Gallagher, os dois estavam em Seattle assistindo ao Super Bowl de 2001 quando o vocalista do Alice in Chains recebeu uma ligação. Ainda de acordo com o amigo, o cantor acabou nunca comparecendo à audição.

Pouco depois, no Twitter, Tom Morello disse não se lembrar de ter chamado o músico para o Audioslave.

LEIA TAMBÉM: Soundgarden se reúne antes de show em homenagem a Chris Cornell