Tom Morello passou por São Paulo no último domingo (17) e encerrou o Samsung Best of Blues da melhor forma que sabe: colocando fogo em tudo.

Okay, não no sentindo literal da coisa, mas o show do guitarrista com certeza esquentou a noite fria na capital paulista. Morello encerrou mais uma edição do evento gratuito, que já trouxe nomes como Joe Satriani e Steve Vai ao país, com uma apresentação repleta de hits e, mais uma vez, pedido por justiça.

Assim como no show em Porto Alegre, o músico mais uma vez levantou sua guitarra para revelar a frase “Justiça para Marielle” — referindo-se ao assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, ainda não solucionado –, seguido de aplausos das milhares de pessoas reunidas no Auditório do Ibirapuera. Em uma coletiva antes do início do festival, Tom Morello explicou o motivo de seu protesto: “eu quis dar o meu apoio e solidariedade aos brasileiros que lutam pelos pobres, pelos trabalhadores, pelo meio ambiente e contra o fascismo. É por esse motivo que eu [faço música] e é esta mensagem que estou levando ao palco hoje.”

Tom Morello no Samsung Best of Blues 2018-5
Foto: Stephanie Hahne

No setlist que você vê ao final do post, Morello tocou e cantou canções de seu disco prestes a ser lançado, The Atlas Underground, incluindo a inédita “Vigilante Nocturno”, além de algumas covers e hits de suas bandas, o Rage Against the Machine, AudioslaveStreet Sweeper Social Club.

O momento “quentinho no coração” veio na terceira faixa do show: o guitarrista tocou um trecho de “Cochise” e dedicou ao saudoso Chris Cornell. Os vocais ficaram por conta do público, assim como em várias outras músicas durante a apresentação.

LEIA TAMBÉM: Tom Morello toca “Killing In The Name” com a plateia de São Paulo nos vocais

Pouco depois da metade do set, veio uma versão bastante diferente e interessante de “Guerilla Radio”, canção de 1999 do RATM, seguida por “Ghetto Blaster”, do Street Sweeper Social Club — o supergrupo foi formado em 2006 e, além de Tom, conta também com Boots Riley, do The Coup. Ao fim do show, duas pedradas: uma versão de “Sleep Now in the Fire” e a tão esperada “Killing in the Name”, na qual o público assumiu novamente os vocais.

Volte mais vezes, Tom Morello! E tente trazer o Rage Against The Machine na mala também… quem sabe cola.

Isa Nielsen, Camarones Orquestra Guitarrística e John 5

Antes do headliner, três apresentações incríveis ficaram responsáveis por animar a galera.

Primeiro veio Isa Nielsen, virtuosa guitarrista brasileira que já tocou com o Detonator (Massacration) e, até pouco tempo, fazia parte do Metalmania. Na coletiva que rolou antes dos shows, Isa revelou em primeira mão que não faz mais parte da banda.

Mesmo com os problemas com sua guitarra na primeira canção, a artista mandou ver e mostrou que lugar de mulher também é nos palcos destruindo uma guitarra. Foda!

Isa Nielsen no Samsung Best of Blues 2018-3
Foto: Stephanie Hahne

Quem também levantou o público foi o Camarones Orquestra Guitarrística com seu rock dançante, e é seguro dizer que a banda de Natal (RN) saiu de lá com mais fãs do que quando entrou no palco.

Logo depois veio a segunda maior atração da noite, o guitarrista John 5. O músico, além de ter uma extensa carreira solo, fez parte do grupo de Marilyn Manson e já colaborou com nomes como Slipknot, Steve Vai e Rob Zombie.

Todo de branco e se mostrando bastante animado com a recepção do público (alguns fãs na grade berravam a plenos pulmões o nome do músico), John 5 tomou o palco já com uma paulada e sem firulas. No setlist, músicas de seus álbuns solos, das bandas das quais colaborou e fez parte, e um medley com vários riffs famosos do rock — como canções do Metallica, Alice in Chains e até “Killing in the Name”, do Rage Against the Machine, que fez muitos acharem que Tom Morello surgiria por ali antes da hora.

Com poucas palavras e muita fritação na guitarra, o músico encerrou sua apresentação ovacionado pela plateia.

John 5 no Samsung Best of Blues 2018-7
Foto: Stephanie Hahne

Setlist – Tom Morello no Samsung Best of Blues 2018

  1. It Begins Tonight
  2. One Man Revolution
  3. Cochise (Audioslave)
  4. 100 Little Curses (Street Sweeper Social Club)
  5. Vigilante Nocturno
  6. Little Chord Progression
  7. Mr. Crowley (Ozzy Osbourne cover)
  8. Your Time Has Come (Audioslave)
  9. Guerilla Radio (Rage Against the Machine) (versão alternativa)
  10. Ghetto Blaster (Street Sweeper Social Club)
  11. The Ghost of Tom Joad (Bruce Springsteen cover)
  12. The Road I Must Travel
  13. Sleep Now in the Fire (Rage Against the Machine)
  14. Killing in the Name (Rage Against the Machine)