Discos de Industrial
Ouça nova versão do disco ao vivo do Pink Floyd!  

Hoje vamos falar aqui no TMDQA! sobre um gênero que pouco faz parte do mainstream, mas que tem sua importância dentro da história da música: o industrial.

O industrial surgiu nos anos 1970 na Inglaterra – e cresceu bastante na Alemanha e Bélgica – como uma resposta ao punk, fazendo parte da contra-cultura e sendo visto como “anti-música”, já que em seus primórdios era simplesmente… barulho.

Pois é, muita gente deve associar o industrial a nomes como o Nine Inch Nails – sobre o qual falaremos daqui a pouco – mas a sua origem sonora é bem diferente e totalmente experimental.

No início, o Industrial não era apenas sobre música, mas também havia toda uma estética e letras que falavam sobre tabus e temas controversos. A literatura também tinha um papel forte nisso, com Aleister Crowley, William S. Burroughs e Philip K. Dick servindo de grande influência.

Entre os primeiros nomes desse gênero estão Throbbing Gristle, Psychic TV, Clock DVA e Cabaret Voltaire, e uma banda que acabou influenciando a sonoridade do industrial foi o Kraftwerk, já que, com o tempo, elementos eletrônicos juntaram-se aos sons distorcidos do início, criando o “som característico” do estilo.

Nos anos 1980 surgem outros nomes como Skinny Puppy, que criam as batidas secas, retas e agressivas que influenciaram Nine Inch Nails e Ministry, por exemplo.

E sim, apesar dos alemães do KMFDM serem os primeiros a incorporarem guitarras nessas batidas eletrônicas agressivas, foi o Nine Inch Nails quem popularizou o subgênero conhecido como Rock Industrial, que mescla a distorção de guitarras e efeitos eletrônicos barulhentos e quebrados.

Para entender melhor, confira abaixo uma lista com dez bandas essenciais para começar a curtir esse gênero não tão comentado por aí.

Throbbing Gristle

Música: “Maggot Death
Disco: The Second Annual Report

Lançado em 1977, esse é considerado um dos primeiros discos de industrial já feitos; a maioria das gravações são ao vivo e apenas duas são de estúdio, como é o caso de “Maggot Death“.

Psychic TV

Música: “Botanica
Disco: Dreams Less Sweet

Psychic TV também é um nome pioneiro no estilo e esse disco lançado em 1983 mostra todo o experimentalismo presente no início do industrial.

Einstürzende Neubauten

Música: “Zeichnungen des Patienten O.T.
Disco: Zeichnungen des Patienten O.T.

Os alemães do Einstürzende Neubauten são parte dos grandes nomes do industrial na história. O disco Zeichnungen des Patienten O.T., de 1983, é um exemplo clássico dessa sonoridade esquisita e barulhenta.

Coil

Música: “The First Five Minutes After Death
Disco: Horse Rotorvator

Coil foi um duo britânico que teve como membros John Balance e Peter Christopherson. Ambos já faziam parte da cena industrial no Reino Unido, sendo ex-integrantes do Psychic TV e Throbbing Gristle respectivamente.

O Horse Rotorvator, lançado em 1985, entrou para a lista dos 100 Álbuns da Década de 1980 da Pitchfork. Apesar de bem experimental, nesse disco é possível perceber o início da inserção de elementos eletrônicos nas músicas.

Clock DVA

Música: “Relentless
Disco: White Souls in Black Suits

O Clock DVA lançou seu primeiro disco em 1980, pela Industrial Records, e mostrou por que era um dos primeiros nomes a surgir no estilo também. É interessante notar que esse disco, além da parte experimental, há guitarra, bateria e baixo que lembra bastante o pós-punk e o som que o Joy Division fazia, por exemplo.

Cabaret Voltaire

Música: “Just Fascination
Disco: The Crackdown

O Cabaret Voltaire foi um dos pioneiros a implementar a música eletrônica no industrial e esse discaço é uma grande prova disso. Vale a pena ser ouvido do início ao fim porque influenciou muitos nomes que vieram posteriormente.

Skinny Puppy

Música: “Assimilate
Disco: Bites

O Skinny Puppy mostra com maestria o industrial com um lado mais obscuro, que também acabou virando uma das características do estilo ao longo do tempo. Sintetizadores, baterias eletrônicas, batidas retas e secas, tudo isso está presente no Bites, um dos discos essenciais do industrial, lançado em 1985.

KMFDM

Música: “Thumb Thumb
Disco: UAIOE

Como dissemos no início do post, o KMFDM foi o pioneiro em incorporar guitarras na música industrial. Dentro da sua extensa e ótima discografia, um dos destaques é o álbum UAIOE, de 1989, que já mostrava como o rock industrial soaria dali pra frente.

Ministry

Música: “Breathe
Disco: The Mind is a Terrible Thing to Taste

O Ministry é outro grande nome do gênero, principalmente por dar início a outra vertente: o metal industrial. Guitarras ainda mais pesadas e vocais gritados, aliados aos efeitos eletrônicos esquisitos já característicos, e o The Mind is a Terrible Thing to Taste é um clássico que merece ser ouvido do início ao fim.

Nine Inch Nails

Música: “Ruiner
Disco: The Downward Spiral

Agora sim chegamos em um nome bem mais popular. Trent Reznor fez com que o rock industrial atingisse o mainstream com o Nine Inch Nails, principalmente com o The Downward Spiral, lançado em 1994.

Todos os elementos estão ali: guitarras sujas, barulhos, caos, um disco difícil de digerir de primeira se você não estiver acostumado com a sonoridade, mas, definitivamente, um clássico. Presente em várias listas, The Downward Spiral também aparece no livro 1001 Discos para Ouvir Antes de Morrer, então fica a dica.

Pra ficar de olho

Gostou e se interessou pelo estilo? Aqui vai a dica de três nomes atuais que fazem um som muito bom e continuam o legado do industrial:

Youth Code

O duo de Los Angeles está na ativa desde 2012 e tem dois discos lançados além de alguns EPs.

3TEETH

O 3TEETH também é de Los Angeles e começou em 2013. Desde então já são três discos lançados.

Street Sects

O duo foi formado em 2013 no Texas e tem um disco lançado e alguns EPs.