Stanley Kubrick
   

Em 1968 o aclamado diretor Stanley Kubrick lançou um filme chamado 2001: Uma Odisseia no Espaço, e mudou a história do cinema.

Utilizando ao máximo os recursos e as tecnologias da época, Kubrick levou a indústria cinematográfica ao limite com as suas inovações, fez as pessoas se questionarem e abordou a exploração espacial, tema que começava a se tornar presente de forma cada vez mais forte na sociedade.

O filme está entre os mais importantes na carreira de Kubrick ao lado de títulos como Laranja Mecânica e O Iluminado, e todas as questões escondidas nas suas cenas são temas de verdadeiros debates mundo afora, tanto pela natureza enigmática quanto pelo fato de que Stanley raramente falava com a imprensa e/ou tentava explicar as suas intenções.

Acontece que um vídeo começou a circular na Internet com um documentário japonês de 1980 feito pelo cineasta Jun’ichi Yaoi sobre a obra de Stanley Kubrick, e nele é possível vê-lo passeando pelos estúdios da Warner e conversando a respeito de como cenas épicas eram gravadas pelo diretor.

Além disso, ele também se encontra com Vivian Kubrick, filha do cineasta que vinha trabalhando em um documentário sobre o making of de O Iluminado.

O ponto alto do vídeo, sem dúvidas, é quando o jornalista conversa com Stanley pelo telefone, e fala sobre algumas questões da sua obra.

Uma delas é a cena final de 2001: Uma Odisseia no Espaço, que mostra o personagem principal Dr. David Bowman (Keir Dullea), já em idade avançada, deitado na cama de um luxuoso quarto quando começa a sentir a presença do famigerado monolito, presente no filme todo. Tudo acontece após outra cena incrível que mostra a viagem de Dr. Dave atravessando barreiras de tempo e espaço.

Nessa entrevista, Kubrick fala sobre a cena e tenta explicar qual era a intenção por trás dela:

Eu tentei evitar fazer isso desde que o filme saiu. Quando você apenas diz as ideias, elas soam como algo bobo, mas quando elas são dramatizadas, a pessoa sente, mas eu vou tentar. A ideia seria de que ele [astronauta] é levado por entidades divinas, criaturas de pura energia e inteligência sem forma ou modelo. Eles o colocam no que eu acho que você poderia descrever como um zoológico humano para estudá-lo, e sua vida inteira se passa, dali pra frente, naquele quarto. E ele não tem senso de tempo. Tudo parece acontecer como acontece no filme.

Kubrick ainda explicou sobre como as entidades criaram aquele quarto, dizendo que ele é uma réplica incorreta da arquitetura francesa, e isso tem um motivo:

Eles tinham uma ideia de algo que Dave poderia achar que é bonito, mas não tinham certeza. É como os espaços onde colocamos os animais no zoológico, achando que são parecidos com os seus habitats naturais.

Quando eles terminam a experiência com ele, como acontece em vários mitos de culturas ao redor do mundo, ele é transformado em uma espécie de super ser e é enviado de volta à Terra, transformado em uma espécie de super homem [o chamado ‘Star Baby’]. Só podemos chutar o que acontece quando ele volta.

Nos vídeos abaixo você pode ver o trecho só com a entrevista com Stanley Kubrick, o programa completo e a famosa cena final.

Gostou?

 
Compartilhar