A-ha no Brasil

O A-ha é um marco para o modo como imaginamos o som dos anos 80. Formada em Oslo, na Noruega, em 1982, a banda de synthpop colocou seu nome na história da música devido às canções guiadas pelo vocal melódico de Morten Harket, pela guitarra de Paul Waaktaar-Savoy e pelos teclados de Magne Furuholmen. Foram muitos clássicos como “Take On Me”, “Hunting High and Low” e “The Sun Always Shine on TV”.

Agora, com 35 anos de estrada, o A-ha recria a obra em um disco duplo ao vivo para a série MTV Unplugged. O registro da banda norueguesa traz os músicos em uma nova roupagem, despindo muitos elementos e mostrando o lirismo e melancolia tipicamente nórdicos presentes em muitas canções.

Durante a divulgação desse projeto, trocamos uma ideia rápida por telefone com o simpático Magne, que contou um pouco sobre esse processo de redescoberta do repertório da banda para o acústico e sobre a longa relação de amor deles com o Brasil.

TMDQA!: Olá, Magne! Obrigado pelo seu tempo! E parabéns pelo novo álbum! Como fã, fiquei bem surpreso com o modo como essas músicas soaram. Como vocês chegaram nessas músicas de um catálogo de 10 discos?

Magne Furuholmen: Que bom que te surpreendeu! Foi algo que surpreendeu a nós mesmos quando recriamos as músicas. Foi bem complicado escolher as músicas, pensando nas que a gente gosta que não tínhamos trabalhado, nas que os fãs gostam e sem deixar de lado alguns hits para o pessoal da gravadora não brigar com a gente (risos)! Acho que o resultado resume bem esses anos todos.

TMDQA!: Uma das coisas que eu mais gostei foi a versão de “The Killing Moon”! Por que vocês decidiram recriar essa música do Echo & the Bunnymen com McCulloch?

Magne Furuholmen: Nós adoramos essa música, a banda e o Ian. Lembro de ouvir Echo & the Bunnymen em uma das nossas primeiras idas a Londres e pensar: “ok, é isso… Esse é o som que buscamos”. Sei que o som é diferente, mas existe um A-ha antes e outros depois do Ian.

TMDQA!: Vocês foram uma das bandas que definiram o som dos anos 80. Você acha que esse novo projeto pode apresentar uma nova banda para os fãs?

Magne Furuholmen: Obrigado pelo elogio! Várias pessoas têm falado isso sobre ser uma nova banda mas, pra gente, sempre foi assim (risos)!

TMDQA!: E como vocês veem essa nova geração recriando esse som oitentista? Artistas como Taylor Swift e Lorde…

Magne Furuholmen: Eu adoro! Gosto muito do trabalho delas. E pra mim, essa é a função da música, buscar algo novo com base em tudo que já foi criado. Acho que essa percepção de um novo A-ha vem desse nosso entendimento…

TMDQA!: Estou falando do Rio de Janeiro. Sei que essa é uma cidade muito importante para vocês!

Magne Furuholmen: Muito!

TMDQA!: O Morten escreveu no livro dele sobre a importância para o Brasil para a banda. Você tem memórias daqui também?

Magne Furuholmen: Muitas! Só pra ter uma ideia, o Brasil é tão importante pra gente que quando pensamos esse projeto cogitamos gravar aí!

TMDQA!: Sério?

Magne Furuholmen: Sim, acho que se não fosse por questões logísticas teríamos feito. É um projeto com muita gente envolvida e acabou funcionando bem por aqui. Mas só para ter uma ideia, o nosso primeiro show em estádio foi no Brasil. Se não me engano no Rock in Rio, no começo dos anos 90. O rumo que a nossa sonoridade tomou depois, já pensando em um novo patamar de show, foi por causa do Brasil.

TMDQA!: E podemos esperar shows dessa tour por aqui, pelo menos?

Magne Furuholmen: Infelizmente, não. É uma tour bem curtinha. Mas vamos pegar estrada em breve e – como adoramos esse formato do MTV Unplugged – deve ter algo parecido. Queremos muito voltar pro Brasil.

TMDQA!: Você tem mais discos que amigos? Tem algum disco em especial que sempre foi um amigo do peito?

Magne Furuholmen: Sim, definitivamente sim. Se tivesse que escolher, seria um artista e não um disco… The Doors. Ouvi muito eles.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!