George Clooney e Matt Damon
Foto: Reprodução / YouTube
 

Harvey Weinstein é um nome que está nos noticiários há algum tempo e não se trata de um bom motivo.

O mega produtor de Hollywood foi acusado por várias atrizes importantes, como Gwyneth Paltrow, de ter utilizado a sua posição de poder para perseguir atrizes e tentar abusar delas em várias ocasiões.

Muita gente do cinema já falou a respeito do assunto e agora quem conversou com o Good Morning America sobre isso foram os atores Matt Damon e George Clooney.

Damon chamou Harvey de “cuzão” e disse que sabia de algumas coisas:

Eu sabia do caso de Gwyneth por causa do Ben Affleck, que esteve com ela após o Brad. Eles chegaram a algum tipo de acordo ou algo do tipo. Ela tinha lidado com isso. Ela era tipo a Primeira Dama da Miramax, e ele a tratava com respeito. Sempre.

Bastavam cinco minutos com ele para saber que Harvy era um ‘valentão’, ele era intimidador. Era por isso que ele era conhecido. Era seu modus operandi. As pessoas comentavam, ‘será que você consegue sobreviver a uma reunião com o Harvey?’ e coisas do tipo.

Quando as pessoas dizem que todo mundo sabia, sim eu sabia que ele era um cuzão. E ele tinha orgulho disso. Foi assim que ele cresceu. E eu sabia que ele mulherengo. Eu não iria querer me casar com o cara, mas não é da minha conta na verdade. Mas esse tipo de predação sexual criminosa é algo que eu jamais imaginei que estava acontecendo. Nunca.

Quando questionado sobre como era o comportamento de Harvey em público e se ele nunca tinha reparado nada, Damon falou:

Ele não fazia as coisas às claras. Se houve algum evento, premiação ou algo do tipo em que eu estive, em público com Harvey, e ele fez algo que eu não percebi… se havia mulheres que estavam sendo abusadas de alguma forma em ocasiões como o Globo de Ouro e eu não percebi, então peço desculpas.

Em 1999 Matt Damon atuou ao lado de Gwyneth Paltrow em O Talentoso Ripley, que teve distribuição justamente da Miramax, empresa fundada por Harvey e seu irmão, Bob Weinstein.

Dois anos antes o ator havia trabalhado com a Miramax em Gênio Indomável e garantido um contrato de três filmes.

Em suas declarações, George Clooney tentou ver um lado “positivo” desse caso, para que a indústria aprenda e se torne mais segura para as vítimas de abuso:

A ideia de que esse predador, esse agressor estava por aí silenciando as mulheres dessa forma, é mais que enfurecedor. É necessária uma punição a tudo isso. Para todas as pessoas que fazem parte desse ciclo. Temos que tornar tudo mais seguro para que as pessoas sintam que podem falar disso. E ao fazermos isso, eu acho que esse tipo de comportamento será afastado.

Clooney ainda disse que sua esposa, Amal, comenta que no seu ramo profissional, o direito, há também vários casos de homens poderosos que abusam de suas posições, e completou:

Muitas mulheres, se não for a maioria delas, já deram de cara com esse tipo de comportamento. Eu acho que essa é a surpresa para alguns de nós, que seja algo tão grande.

Talvez isso seja algo que sairá de bom disso tudo, que nós teremos essas discussões. Teremos essa conversa. E, novamente, teremos que fazer com que esse tipo de atitude seja mais difícil de acontecer.

LEIA TAMBÉM: Quentin Tarantino sabia da conduta de Harvey Weinstein e está “envergonhado” por não ter feito nada