asereje-las-ketchup
Foto: Reprodução / Youtube
 

É oficial: estamos ficando velhos!

O hit “The Ketchup Song (Aserejé)“, da girl band Las Ketchup, completou, em 2017, 15 anos de existência.

No entanto, há uma explicação para quem não lembra desse nome. No Brasil, a febre pegou através do grupo Rouge, formado em 2002 pelo talent show Popstars. As meninas basicamente adaptaram a música para o português na igualmente icônica “Ragatanga“.

Mas se você pensava que esse pegajoso refrão, que ficou impregnado na cabeça de muitos, se tratava apenas de onomatopeias sem sentido, se enganou feio. Pelo menos é isso que nos tenta provar o usuário do Twitter @Kueaff, com uma teoria muito interessante sobre a música. Post após post, ele analisa a letra da música com uma hipótese que deixou muitos boquiabertos.

Apesar de os tweets serem em espanhol, a situação é a mesma para a versão brasileira da canção.

A teoria

De acordo com o usuário, que usa em seu perfil o nome “I must be a Weasley”, tudo começa com a apresentação do personagem principal da música, Diego. Os versos seguintes compram a ideia de que o personagem estava sob efeito de drogas (“com a lua em seus olhos, roupa água marinha e os restos do contrabando”).

Daí, entra o nome da nossa versão, uma expressão que virou mania na época: ragatanga. Ao chegar na festa, Diego já chega dançando, como se estivesse possuído pelo tal ritmo. O DJ, que conhece o protagonista, coloca a música favorita do amigo para tocar.

A própria letra deixa claro que a canção faz Diego dançar, curtir e cantar, mesmo que sob efeito de drogas, cantando mal a música. Mas aí mora um questionamento que poucos ousaram ter: qual seria a tal música favorita do protagonista?

De acordo com essa teoria, a música tocada pelo DJ foi “Rapper’s Delight“, do grupo Sugarhill Gang. Lançada em 1980, ainda no início da era do hip hop, a música utiliza sample (no melhor estilo “The Get Down”) da canção “Good Times“, um dos maiores hinos da disco music, lançada em 1979. Vale lembar que canção-base encerrou o show do Nile Rodgers no Rock in Rio há algumas semanas.

A parte de “Rapper’s Delight” que remete ao icônico refrão de “The Ketchup Song“/”Ragatanga“, tal como à tentativa frustrada de Diego de cantar, aparece logo no início do rap, e também no finalzinho.

No final das contas, um dos refrões mais contagiantes da entrada do século foi baseado na seguinte letra:

“I said a hip hop, the hippie to the hippie, the hip hip a hop, and you don’t stop, a rock it to the bang bang boogie, say up jump the boogie to the rhythm of the boogie, the beat.”

Espantados? Porque nós estamos.

15 anos de Rouge

A adaptação de “The Ketchup Song” foi feita bem no início do grupo Rouge, logo no homônimo primeiro álbum de estúdio. Além dessa música, o grupo se tornou conhecido nas rádios através da música “Não Dá Pra Resistir”. O álbum deu ao grupo a alcunha de “as Spice Girls brasileiras”. O último álbum lançado foi Mil e Uma Noites, em 2005.

Em comemoração aos 15 anos do grupo, a formação original se reuniu para uma nostálgica turnê. E, mesmo 12 anos após seu fim, o grupo mostrou capacidade de esgotar uma casa de shows com lotação de 5 mil pessoas, em um show agendado para o próximo dia 13.

Já o Las Ketchup acabou em 2006, após lançarem o segundo álbum Un Blodymary. O grupo acumula indicações ao Grammy Latino e conquistou o Billboard Latin Music Awards de Melhor álbum Pop para a Nova Geração, em 2004.

Te desejamos boa sorte para tirar “Ragatanga” (ou mesmo a música original das Las Ketchup) da cabeça.