Foto: Divulgação
 

Talvez o nome não te chame atenção, mas você com certeza já dançou muito possuído pelo ritmo Ragatanga em alguma festa ou balada. Lembrou do Rouge agora?

A girlband brasileira produzida pelo reality show Popstar (2002), do SBT, foi um verdadeiro fenômeno há longos 15 anos e, depois da saída de sua quinta integrante (soa familiar para você?), teve um fim bem previsível no quarto ano de carreira.

Antes de qualquer coisa, a grande verdade é que nós brasileiros estamos meio acostumados com retornos de bandas e artistas que não dão lá muito certo, não é? Anos de inatividade sem nenhuma música nova, ainda mais somados a apenas um ou dois grandes hits em uma carreira curta, não são exatamente a fórmula do sucesso. Se você me perguntasse há exato um mês se o Rouge se encaixaria nesta equação caso houvesse um retorno, eu te diria na lata que sim — e olha que eu era fã de carteirinha! Mas eu estava errada.

A famosa festa carioca Chá da Alice, que recentemente trouxe Xuxa de volta aos palcos, começou a anunciar no dia 7 de Setembro, como quem não quer nada, uma grande atração. Teasers e mais teasers cor de rosa depois, veio a bomba de que não só o Rouge voltaria aos palcos — depois uma tentativa frustrada em 2013 –, mas que voltaria com suas cinco integrantes no dia 13 de Outubro, no palco do Vivo Rio. Sim, até a menina que saiu tretada do grupo.

Como eu disse anteriormente, o que eu esperava era algo bem abaixo do que aconteceu. A área pop da internet virou um pandemônio, o site da casa de shows escolhida caiu, fãs desesperados tentaram hackear o portal da festa e um canal de venda de ingressos em busca de informações. Foi meio desesperador, pra falar a verdade, pois até eu e meus colegas de TMDQA! entramos na onda — afinal, que criança/adolescente não era fã do Rouge em 2002?

No fim é real, e contra todas as chances e equações e sei lá mais o quê, o Rouge que acabou em 2005 conseguiu esgotar uma casa de shows com capacidade para 5 mil pessoas — a mesma na qual o Fifth Harmony, também uma girlband, também desfalcada após a saída de sua quinta integrante, recentemente tocou — em 3 horas. (Não vale comparar com o retorno das Spice Girls, em 2007, que esgotou uma arena em Londres em 38 segundos, ok? Injusto.)

Se para os fãs que se mantiveram fieis durante estes 12 anos essa é uma notícia incrível, para quem curtia mas já não acompanhava mais a vida de cada uma isso é um fenômeno interessante de se observar. Nem de longe a tentativa passada de retorno de Fantine, Aline, Karin e Patrícia (agora Li Martins) fez tanto barulho assim. Seria Luciana, a integrante que foi embora, o grande segredo disso tudo? A nostalgia bateu mais forte em 2017? O boom de divas pop no Brasil — vide Anitta e Pabllo Vitar — teve uma certa influência? Difícil dizer.

O que eu sei é que, caso você não tenha problema em admitir que seu coraçãozinho vermelho bateu mais forte, o show extra do Rouge marcado para o dia 14 de Outubro, também no Vivo Rio, ainda está à venda e você pode adquirir ingressos clicando aqui. Os preços vão de R$ 100 a R$ 500 e, levando 1kg de alimento, você tem direito a meia entrada.

 

 

 
Compartilhar