Joey Ramone
 

Jeffrey Ross Hyman nasceu em 19 de Maio, no Queens, em Nova York, e durante boa parte de sua vida, produziu música que acabou o colocando entre os maiores da história, tendo a sua cidade como pano de fundo.

Foi justamente em Nova York, que em 1974 ele fundou os Ramones ao lado de John Cummings (Johnny Ramone), Thomas Erdelyi (Tommy Ramone) e Douglas Colvin (Dee Dee Ramone), tocando primeiro bateria e rapidamente se mudando para os vocais, adotando a alcunha de Joey Ramone.

Jeffrey, ou Joey, era um sujeito com características físicas bastante distintas, quase dois metros de altura e uma imagem que rapidamente passou a se reverenciada e seguida por pessoas que procuravam nas bandas de rock and roll, e mais especificamente no punk rock, a contracultura e elementos que as identificassem com uma minoria que cada vez mais precisava e ganhava voz através da música.

Foi com acordes simples e shows frenéticos que os Ramones mostraram a muito moleque dos anos 70 e 80 que para ter uma banda de qualidade você não precisava passar longos anos fazendo aula de música. Que você poderia muito bem pegar uma guitarra, reunir seus amigos de adolescência e criar hinos que ecoariam pelo mundo. E para muitos, Joey Ramone era o símbolo disso tudo, com sua voz anasalada, seu jeitão desengonçado, a miopia e vários elementos que o associavam com minorias que, de uma hora pra outra, passaram de motivos de piada para o que era descolado no rock.

Em 1996 os Ramones anunciaram o seu fim, lançaram disco de despedida e também deram adeus aos palcos, e muito se esperava do que seriam os próximos anos de seus integrantes, já que a maioria deles teve algum tipo de influência criativa na banda.

Com Joey, tivemos a infelicidade de apreciarmos as suas canções em carreira solo apenas após a sua morte, já que em 15 de Abril de 2001, há exatos 16 anos, o mundo perdia um ícone do Punk Rock de forma precoce, com apenas 49 anos de idade.

Em 1994, antes mesmo dos Ramones dizerem adeus, Joey foi diagnosticado com linfoma, e passou os sete anos seguintes de sua vida lutando contra a doença, em uma batalha que foi perdida apenas um mês antes de Joey completar seus 50 anos.

O músico nunca deixou a cidade de Nova York, e foi lá mesmo, em um hospital, que ele faleceu enquanto ouvia “In A Little While”, canção do U2 presente no disco All That You Can’t Leave Behind, lançado em 2000. Anos depois a banda de Bono prestaria uma homenagem ao músico com “The Miracle (Of Joey Ramone)”, canção que abre o álbum Songs Of Innocence (2014).

Em 2002 foi lançado seu primeiro disco póstumo, Don’t Worry About Me, que traz a sensacional cover de “What a Wonderful World”, de Louis Armstrong, em uma versão que foi utilizada em diversos filmes como Tiros em Columbine, de Michael Moore, além de propagandas da Apple para o Final Cut.

O álbum foi produzido por Daniel Rey, que havia produzido três álbuns dos Ramones, e acabou gravando a maioria das guitarras no primeiro disco solo de Joey.

Dez anos depois, em 2012, veio o segundo álbum póstumo com …Ya Know? e participações especiais como as de Joan Jett, Steven Van Zandt e Richie Ramone.

Um clipe sensacional foi lançado para “New York City”, uma declaração de Joey Ramone à cidade, com participações de pessoas como Tommy Ramone, Reggie Watts, Andrew W.K., Anthony Bourdain e Matt & Kim.

Não há dúvidas de que 15 de Abril de 2001 foi um dia triste para o Punk Rock, o Rock And Roll e amantes da música em geral. Cedo demais, Joey Ramone se foi e seria pra lá de interessante saber como hoje em dia, aos 65 anos de idade, o músico enxergaria esse mundão em que vivemos.

Obrigado, Joey.

 
Compartilhar