Max Cavalera e Jonathan Davis
 

Há algum tempo o vocalista do KoRn, Jonathan Davis, disse que o clássico Roots, do Sepultura, é uma cópia da sonoridade da sua banda.

Ele ainda falou que ficou bravo com o produtor do primeiro disco do KoRn, Ross Robinson, responsável também por um dos álbuns mais icônicos do Sepultura.

Iggor Cavalera, então baterista da banda na época, já se manifestou dizendo que há vários elementos distintos no disco e não apenas a influência do produtor e/ou do KoRn, e agora seu irmão foi além.

Max Cavalera participou de um podcast onde falou a respeito e não mediu palavras:

Eu não vejo dessa forma. Especialmente com o som o Korn, na minha opinião, com o baixo, é horrível. Nós não tínhamos isso; tínhamos várias coisas que o disco do Korn não tinha. Então eu não entendo por que ele se irritou, já que não vejo muita similaridade entre os dois álbuns.

Além disso, o Korn não foi o único motivo pelo qual fomos atrás de Ross. Ele tinha gravado uma demo do Fear Factory que eu gostei muito, e tinha um som bem cru. E ele tinha feito uma música do Deftones no disco Adrenaline [a faixa escondida ‘Fist’] que eu gostei muito.

Dizer isso é como dizer que o Sepultura deveria ficar puto com o Cannibal Corpse porque eles usaram o produtor Scott Burns. Eu não fiquei irritado com o Cannibal Corpse; eu acho que eles são ótimos. Já que fomos os primeiros a usar Scott Burns, deveríamos nos irritar com todas as bandas que vieram depois? Isso é infantil. Ele está sendo infantil. E eu não me importo com o Korn ou qualquer outra pessoa.

Éramos bem diferentes do Korn; temos nossa maneira própria de tocar e as músicas são diferentes. Tudo é diferente. A única coisa similar é que foi o mesmo cara que gravou os discos.

Vale lembrar que para tentar trazer um clima de paz ao caso todo, um dos integrantes do KoRn chegou a dizer que a banda se inspirou no Sepultura para a sua sonoridade, e Max comentou:

Até mesmo uns caras do Korn disseram que eles foram influenciados pelo nosso disco Chaos A.D. quando estavam escrevendo suas músicas, então é meio estranho ouvir algo desse tipo.

KoRn

O momento é dos mais agitados para a banda, que acabou de lançar um ótimo novo disco chamado The Serenity Of Suffering.

Em 2017 a banda irá vir ao Brasil para divulgá-lo com shows.