O cantor e compositor Romero Ferros, um dos nomes mais interessante da novíssima cena pernambucana, acaba de lançar seu novo trabalho, o álbum Arsênico usando um arsenal de sons e ritmos que vão da MPB ao pop contemporâneo. A produção é assinada pelo carioca Diogo Strausz, conhecido pelo seu trabalhos em álbuns da Alice Caymmi e Castello Branco.

Arsênico segue e amadurece o que Romero criou no EP Sangue e Som, em 2013. No novo disco, o principal tema é o amor – que, em doses descontroladas, envenena, e, em contrapartida, os venenos que, em doses controladas, podem ser até mesmo fundamentais.

O disco traz referências do funk & black music, música experimental e sonoridade anos 80. Além de Strausz, o álbum é co-produzido pelo pernambucano Amaro Freitas – pianista com formação jazzística –, que traz uma sonoridade diferente pro disco.

Na ficha técnica surgem grandes nomes como Patrick Laplan (baterias), Guilherme Eiras (guitarras), Nego Henrique, ex-Cordel do Fogo Encantado (percussões), o trio de metais da pesada composto pelos pernambucanos Nilsinho Amarantes (trombone), Fabinho Costa (trompete), e Liudinho Souza (sax). O coro formado pelas irmãs Sue e Surama Ramos, alpem de Diogo Strausz (baixo e guitarra), e Amaro Freitas (teclados).

Confira o disco abaixo: