Ed O'Brien, guitarrista do Radiohead
 

O guitarrista Ed O’Brien, conhecido pelo seu excelente trabalho no Radiohead, parece estar pronto para partir em uma carreira solo.

Em entrevista para a BBC, o músico fala que pretende lançar seu primeiro disco no próximo ano:

Eu tentei fazer algo tipo um álbum inteiro solo — sabe, ficar no topo da montanha com os cabelos ao vento e minha Les Paul e criar um ‘Ed O’Brien’. Eu não fiz isso até uns dois anos atrás mas irei fazer agora. Eu vou fazer um no próximo ano.

Surpreendentemente, Ed afirmou que uma das grandes inspirações do disco é o tempo em que morou no Brasil.

Curiosamente, tudo começa no Brasil… as crianças nasceram em 2004 e 2006. E como eu falei para os caras, em cinco anos, eu e a minha esposa vamos viver no Brasil por um ano. Eu não quero acabar com nada mas isso é algo que nós precisamos fazer. Não sintam que vocês não possam fazer um disco. Façam um sem mim, se eu puder vir depois ou sei lá… E eu estava ciente de que tive tantas aventuras com essa banda; eu queria ter uma aventura com a minha família.

Então nós fomos viver no Brasil, no meio do interior brasileiro, e nós vivemos em uma pequena fazenda numa cabana do tamanho dessa sala aqui do nosso lado. A vida era bem simples. As crianças foram para o colégio local. Ninguém sabia falar inglês, então eles tiveram que se virar, a língua da brincadeira e tudo mais. E a vida estava reduzida em partes simples. Para mim, era música e minha família. E eu todo dia ia subir a colina até essa linda pequena cabana perto de um lago, e eu escrevia. E eu peguei todos os equipamentos — porque o Tom disse, sabe, ‘Você é bem bom nisso, faça todos esses lances do ProTools!’ e eu me apliquei, porque eu nunca havia realmente me dedicado a isso, então eu sentei e depois de umas oito semanas eu disse ‘Eu não to no clima, isso é uma bosta!’.

Tudo o que eu queria era sentar lá e tocar guitarra, e em Fevereiro daquele ano eu fui pro Carnaval, um amigo bem próximo nos convidou para o Sambódromo no Rio. Meu Deus. É o melhor show na terra. Duas noites, você assiste a doze escolas de samba. São tipo procissões, todas as alegorias e alas, e eles têm uma hora e vinte minutos, cada escola de samba desfila pelo Sambódromo, é tipo um caminho de uma milha — eles usaram isso nas Olimpíadas, e isso acontece das dez da noite até as seis da manhã. Foi a melhor coisa que eu jamais, jamais experimentei em termos de música. Então, é claro, as batidas, eles chamam de bateria, e são todos esses poli-ritmos. Todo mundo canta. Deviam ter umas 4000 pessoas em cada escola de samba que desfilavam lá, e a combinação da música escrita e a sensação de estar lá e pensar tipo ‘Meu deus, música pode soar desse jeito’. Foi tão profundo, e isso alimentou muito minha inspiração e escrita. Existe um elemento de alegria na música. Mas também tipo, muita música brasileira tem melancolia, mas nós estamos todos sentindo isso, nós reconhecemos isso mas vamos celebrar o fato de sermos humanos porque essa é parte da jornada para muitos de nós. Então isso foi um marco na minha vida.

Na entrevista, Ed também falou sobre o Radiohead ter gravado algumas sessões no estúdio da Third Man Records, gravadora de Jack White. Apesar de elogiar a hospitalidade de White, o músico afirmou: “Olha, não vale a pena esperar [pelas gravações]. Se tivesse saído algo bom, você pode ter certeza que nós teríamos tentado lançar”.

Agora ficamos curiosos pra saber o que Ed vai gravar para esse disco solo!

 
Compartilhar