Mike Portnoy, do Dream Theater

Em 2010, Mike Portnoy anunciou sua saída do Dream Theater após 25 anos e sendo o co-fundador da banda. Desde então, já participou de vários projetos diferentes, incluindo gravações em estúdio e turnê com o Avenged Sevenfold.

Na recente entrevista que concedeu para a revista Classic Rock, Portnoy falou mais sobre não estar mais com o Dream Theater e também o respeito que adquiriu por Lars Ulrich, baterista do Metallica.

Um dos motivos pelos quais eu precisei deixar o Dream Theater era porque eu não queria terminar a minha carreira apenas
como o baterista em uma banda. Não queria tocar com os mesmos quatro músicos pelo resto da minha vida. Eu precisava abrir
minhas asas. E eu sabia que tinha mais a oferecer do que apenas o Dream Theather.

Meu trabalho diz por si mesmo, e eu já gravei mais de 50 álbuns com diferentes bandas, de diferentes estilos, do metal ao
rock progressivo, e tudo desse meio. Todas as bandas em que estive criaram uma imagem melhor de quem eu sou e eu
esperaria que meu legado musical fosse sobre esse tipo de coisa. Gostaria de ser lembrado como um grande amante da música.

Mike também diz que aprendeu uma lição importante com Lars Ulrich sobre como saber lidar e respeitar as pessoas que admiram o seu trabalho.

“A melhor lição que aprendi com outro músico foi com o Lars Ulrich. Estávamos fazendo uma sessão de autógrafos para a Tama [marca de baterias], e nós dois iríamos lançar uma linha exclusiva de caixas e ele toca em uma das maiores bandas de todos os tempos, então imaginei que ele fosse o tipo do cara que nem olhasse para as pessoas e quisesse que tudo fosse rápido, mas na real ele fez totalmente o contrário. Ele foi muito doce com cada um que esteve ali, olhava todos nos olhos e conversa alguns minutos com eles. Essa foi uma lição tremenda para mim. Já fiz dessas sessões com caras que estão em bandas que são meio por cento do que o Metallica é e eles mal ligavam para os fãs. Mas ver isso vindo de um dos bateristas mais famosos que existem foi bem inspirador para mim.”

Além disso, o baterista também falou sobre sua gratidão pelos fãs.

Para mim, o lance é ser agradável. Sou muito grato por fazer isso da vida e tenho fãs que vêm aos shows e compram os discos e me apoiam online. Não importa quantos prêmios eu ganhei, fico mais grato pelos meus fãs. Conheço muitas pessoas que batalham muito e nunca têm descanso, então eu nunca perco a gratidão de vista.

Mike Portnoy

Mike Portnoy continua envolvido em vários projetos. O último deles aconteceu em 2015, com o lançamento do segundo disco do supergrupo The Winery Dogs, chamado Hot Streak.
Ainda em 2015, Mike participou da gravação do álbum ao vivo Second Flight: Live at the Z7 do Flying Colors, outro supergrupo que faz parte.