Beyoncé no clipe de
 

Depois de um sindicato dos policiais da cidade de Miami recomendar a seus membros que não façam a segurança do show de Beyoncé, previsto para o dia 27 de abril no estádio Marlins Park, as organizações de outras duas cidades norte-americanas que receberão shows da turnê Formation decidiram apoiar o boicote à cantora devido à sua apresentação polêmica no intervalo do Super Bowl 50.

O presidente da Associação Benevolente de Policiais de Tampa, que também fica na Flórida e será a cidade visitada por Beyoncé depois de Miami, postou uma mensagem no Facebook da organização pedindo que “policiais boicotem a compra da música de Beyoncé e de ingressos para suas performances”, mas acredita que “no dia 29 de abril, eles farão a segurança do show da cantora com cortesia, profissionalismo, e respeito assim como fazem diariamente pelos cidadãos de Tampa.”

Indo um pouco além em seu boicote, a Ordem Policial Fraterna de Nashville, no Tennessee, encorajou seus profissionais a não realizarem o policiamento do show da turnê, que passará pela cidade no dia 5 de maio. Segundo o sargento Danny Hale, “algumas das coisas feitas e ditas simplesmente não são corretas nem justas. Todas as vidas importam, incluindo as de profissionais da lei e de cidadãos, indiferente de sua raça.” No entanto Steve Anderson, chefe de polícia responsável por toda a região metropolitana de Nashville, declarou que “a segurança pública e a missão de serviço público do departamento policial devem se sobrepor a quaisquer visões pessoais referentes a um artista”, e que se não houver número suficiente de voluntários para o policiamento do show, policiais serão designados de forma obrigatória para tal.

Protesto contra Beyoncé

Vale lembrar que, no começo da semana passada, um grupo organizou um protesto contra Beyoncé que deveria acontecer em frente à sede da NFL em Nova Iorque.

O organizador do protesto não apareceu por lá e apenas duas pessoas se manifestaram. Havia mais gente no local para apoiar a cantora e a polícia também apareceu apenas para garantir a ordem e segurança do protesto.