Adeus a Lemmy: Dave Grohl faz discurso emocionante
 

Ontem à noite (09) aconteceu em Los Angeles o funeral de Lemmy Kilmister, saudoso líder do Motörhead que nos deixou em 28 de Dezembro de 2015, dois dias após descobrir que tinha tumores no cérebro e apenas quatro dias após completar 70 anos de vida.

No memorial transmitido ao vivo pela Internet, amigos desconhecidos de Lemmy e lendas do rock que o admiravam e se tornaram próximos falaram a respeito de histórias divertidas do cara, sobre como se conheceram e, principalmente, como o baixista e vocalista de uma das bandas mais influentes da história era humilde, simpático e um grande ser humano.

O guitarrista Slash falou sobre como conheceu Lemmy em um período em que ouvia muito Motörhead e ficou intimidado por se tratar de um cara que tinha uma imagem tão “hardcore”. Ao se encontrar com ele ao lado de integrantes do Guns N’ Roses, porém, ele foi muito bem recebido e tornou-se amigo do músico desde então. Ele ainda falou sobre quando parou de beber e Lemmy ficou desapontado por encontrá-lo sem um cantil de Jack Daniel’s: “foi a única parte ruim de ficar sóbrio”.

Scott Ian, guitarrista do Anthrax, falou sobre como teve a honra de ser convidado para falar a respeito da banda em um especial e o lutador Triple H disse que junto com o Motörhead, criou a entrada musical mais espetacular da história da luta livre no WWE.

Rob Halford, do Judas Priest, lembrou momentos junto com Lemmy incluindo passagens aqui pela América do Sul, citando tanto o Motörhead quanto Ozzy Osbourne. Lemmy, aliás, estava presente na forma de suas cinzas, que foram colocadas em uma caixa no altar, com seu chapéu característico em cima.

Robert Trujillo e Lars Ulrich do Metallica também participaram e enquanto o primeiro falou sobre toda sua admiração e respeito por Lemmy, o segundo contou a história de como era um verdadeiro fanboy de Motörhead.

Ulrich disse que acompanhou a banda por uma turnê completa na Califórnia e que Lemmy fez o que nenhum rockstar havia feito e, mesmo sendo um dos nomes mais quentes do planeta, o convidou para acesso ao backstage, ensaios e hotéis. Foi em uma dessas ocasiões que o baterista do Metallica ficou bêbado, vomitou em si mesmo e acabou indo para o encarte de um disco do Motörhead: “foi a maior honra que eu já tive, uma foto minha bêbado e cheio de vômito no encarte do disco deles.”

Outros nomes ainda participaram dos discursos como Matt Sorum, Mikkey Dee e Mike Inez.

Durante a cerimônia ainda foram lembradas as iniciativas de fãs que querem renomear o drink “Jack And Coke” para “Lemmy” e um novo metal pesado descoberto recentemente para “Lemmium”.

Dave Grohl e Lemmy

As maiores honras, porém, ficaram com Dave Grohl, que teve a responsabilidade de encerrar o memorial e o fez de forma emocionante.

Primeiro ele contou sobre o dia em que conheceu Lemmy Kilmister: em um stripclub, o líder do Motörhead jogava videogame e Dave Grohl viu que ele estava sozinho quando foi ao banheiro. Ao sair, ele decidiu se apresentar porque Lemmy era seu herói e o cara que havia feito a ponte entre o seu amor por bandas de hard rock como Led Zeppelin e bandas do punk como GBH e Black Flag. Dave disse que era músico do Foo Fighters e havia tocado no Nirvana e que a primeira coisa que Lemmy lhe disse foi… algo que jamais saberemos, porque a transmissão ao vivo do memorial travou exatamente nesse momento.

As histórias continuaram e Dave falou sobre como um dia Kilmister lhe encontrou ao lado da filha de Grohl, que estava em um berço, e imediatamente apagou seu charuto dentro da bebida que estava carregando. Para o líder do Foo Fighters, um sinal máximo de respeito de quem ele considerava seu herói.

O músico ainda continuou dizendo que Lemmy foi um exemplo por ser, além de um cara “fodão” e cheio de atitude, um dos caras mais gentis e agradáveis de todos os tempos, que tratava todo mundo muito bem, tanto seus amigos quanto pessoas desconhecidas, e começou a encerrar a cerimônia dizendo que compartilhava com Kilmister um amor por Little Richard.

Após dizer que ele sempre quis muito conhecer um dos pioneiros do rock and roll, Dave contou uma história de quando isso efetivamente aconteceu um dia no aeroporto de Los Angeles, e ele recebeu um panfleto autografado pelo próprio. Grohl tirou o panfleto do bolso (que ele gostaria de ter dado a Lemmy) e se emocionou.

Chorando, ele tirou um outro papel do bolso (e novamente a transmissão foi interrompida por problemas técnicos) e começou a recitar uma música gospel chamada “Precious Lord, Take My Hand”, que Little Richard gravou e cantou durante a carreira.

Ao final, um brinde a Lemmy veio antes de seu baixo ser trazido ao palco e colocado em frente aos amplificadores, para que a última nota ecoasse por toda a igreja, enquanto a frase “Lemmy has left the building” foi dita.

Você pode ver uma série de vídeos do memorial de Lemmy Kilmister, bem como a transmissão na íntegra, logo abaixo.

Que Lemmy descanse em paz. A cerimônia de ontem deixou ainda mais evidente a sua importância não apenas para a história do rock and roll, como para todas as pessoas que tiveram o privilégio de chegar perto de um cara sensacional.