Lita Ford está tentando a volta do The Runaways
 

A ex-vocalista das The Runaways, Cherie Currie, se defendeu da acusação de ter sido omissa enquanto a então companheira de banda, Jackie Fox, era estuprada em um quarto de hotel. Em entrevista recente para a publicação britânica Classic Rock, a cantora expôs um ponto de vista diferente daquele que a sua antiga colega sustenta.

Segundo Fox, o empresário das Runaways, Kim Fowley (morto em Janeiro deste ano, em decorrência de uma doença na bexiga), teria incentivado os roadies da banda a fazê-la usar drogas para, em seguida, aproveitar-se sexualmente da baixista, que na época tinha apenas 16 anos de idade. O crime teria ocorrido na frente de Cherie e também da guitarrista Joan Jett, que nada fizeram para impedi-lo.

Cherie disse, porém, que Fox consentiu e que a relação com Fowley ocorreu porque ela própria pediu. “Eu estava no quarto naquela noite. Mas o que eu vi foi uma mulher risonha e chapada, que estava dizendo a Kim o que fazer com ela, passo a passo”, disse a ex-vocalista.  “A relação sexual aconteceu porque ela pediu: ‘Eu quero a sua rola!’ E depois ela ficava pedindo que ele a comesse com mais e mais força”.

Na entrevista, a cantora ainda falou que decidiu sair do quarto por não concordar com aquilo:

“Eu disse, ‘Isso é nojento e eu não vou assistir’. Saí andando em protesto – achei aquilo enojante por Kim estar fazendo tal coisa, e me senti igualmente enojada por Jackie estar participando. Eu basicamente achei que ela só estava fazendo aquilo para ter atenção. Juro por Deus, pela vida do meu filho. Eu não tenho nenhuma inimizade com Jackie, mas ela afirma que eu fiz algo que ela sabe que eu não fiz. A verdade é que eu não sou uma mentirosa e não gosto de mentirosos. Sinto muito, talvez eu soe grossa e cruel – mas eu não acredito em nada disso”

Na sua autobiografia, Neon Angel, Currie escreveu que foi sequestrada e estuprada por um fã psicótico, mas que se sente responsável pelo o que aconteceu: “Eu nunca pago de vítima. Mesmo com o meu sequestro, eu tinha que admitir que eu ignorei essa voz na minha cabeça que dizia, ‘Não entre nesse carro com esse homem’”, afirmou.

Sua posição é semelhante à de Chrissie Hynde, da banda The Pretenders, que declarou recentemente se sentir culpada por um estupro sofrido quando tinha 23 anos. Seu depoimento foi bastante criticado por diversas entidades de apoio às vítimas de violência sexual.