Já são mais de um trilhão de streams realizados apenas no primeiro semestre de 2015
 

Que os serviços de streaming dominam a forma como escutamos música hoje em dia, isso já sabemos. Porém, a quantidade de conteúdo transmitido todos os dias por empresas como Spotify, Soundcloud e Rdio é algo que não cansa de nos surpreender.

Segundo dados do último relatório da Next Big Sound, uma companhia que analisa e mapeia tendências musicais na internet, já passa da casa dos trilhões o total de faixas reproduzidas via streaming apenas nos primeiros seis meses de 2015. Para ser mais preciso, foram exatamente 1,032,225,905,640 (ou 1,03 trilhões) de streams realizados de Janeiro a Julho deste ano.

Esse é o número mais expressivo já reportado pela companhia, que contabilizou músicas tocadas no Pandora (empresa que adquiriu a Next Big Sound em Maio deste ano), Rdio, Spotify, SoundCloud, Vevo, Vimeo e YouTube.

Mesmo deixando de fora serviços como o Deezer, o Tidal e o recente Apple Music (o que certamente elevaria ainda mais o número registrado pelo relatório), os dados da Next Big Sound ganham relevância por demonstrar um grande interesse das pessoas em consumir música legalmente.

Artistas x Streaming

Enquanto os serviços de streaming batem recorde, muitos artistas continuam descontentes com a quantia que recebem das empresas por cada faixa reproduzida pelo usuário. Como a maioria não possui um valor fixo por play (O Spotify, por exemplo, paga algo em torno de R$ 0,003 em média), alguns músicos protestam, afirmando que a conta é injusta.

O duelo mais famoso na chamada “Guerra do Streaming”, a disputa entre Taylor Swift e o Spotify, acabou com a retirada de todos os álbuns da cantora do aplicativo, que se recusou a deixar de oferecer o plano gratuito do serviço.

Ela, por pouco, também não fez o mesmo com o Apple Music, que oferece três meses sem custo para novos usuários. A situação foi contornada quando a empresa da maçã se comprometeu a pagar os artistas, mesmo por streams feitos durante o período de degustação.