Como já te contamos por aqui, a baixista das Runaways entre 1975 e 1977, Jackie Fox, revelou ter sido estuprada pelo empresário e produtor da banda, Kim Fowley, durante uma festa de Ano Novo. De acordo com a artista, Joan Jett foi testemunha do crime e se absteve, apesar da equipe da guitarrista negar tal afirmação.

Devido ao grande furor causado pela notícia, Jett resolveu, finalmente, se pronunciar sobre o assunto, através do site Yahoo! Music.

“Qualquer um que me conhece de verdade sabe que se eu tivesse conhecimento de que uma amiga ou companheira de banda estava sendo violada, eu não teria ficado imóvel enquanto isso acontecia. Éramos um grupo de jovens adolescentes no auge do rock nos anos 70, então havia relações bizarras, mas eu não estava ciente deste ocorrido. É claro que a história de Jackie é muito perturbadora e, apesar de não nos falarmos há anos, eu a desejo paz e cura”, afirma.

Cherie Currie, também integrante da banda que teria visto o que aconteceu, se manifestou e disse até que vai passar por um detector de mentiras:

Fui acusada de um crime. De olhar nos olhos mortos, mas suplicantes, de uma menina, enquanto ela não conseguia se mexer e era brutalmente estuprada, e eu não teria feito nada.

Nunca neguei meus erros na vida e não começaria agora. Se eu fosse culpada, iria admitir. Há muitas desculpas que eu poderia dar já que tinha apenas dezesseis anos e um mês de idade na época e as pessoas iriam entender, mas sou inocente. Quando retornar da Suécia irei procurar um operador de polígrafo qualificado para que esclareça quaisquer alegações. Tornarei as perguntas, respostas e resultados desse teste públicos. Sou uma pessoa orgulhosa, mas para isso talvez eu tenha que iniciar uma campanha de financiamento coletivo pois não sei quanto custa. Não sou uma pessoa rica. Eu não pediria por ajuda para meu novo álbum porque sou orgulhosa. Vou provar que estou dizendo a verdade. Não permitirei que ninguém me jogue debaixo do ônibus e me acuse de um ato tão horrível. Lutarei por mim. É a única coisa que posso fazer.

Fowley já havia sido acusado de abuso anteriormente, durante trecho do livro autobiográfico de Cherie Currie, intitulado “Neon Angel”. O empresário e produtor faleceu em janeiro deste ano.