Jackie Fuchs, conhecida como Jackie Fox, foi baixista da influente banda de rock The Runaways, que fez história com seus hinos do rock e também pela formação composta só por mulheres.

Em um novo especial do Huffington Post, ela resolveu falar a respeito de uma passagem nada agradável com a banda, quando em uma festa de ano novo de 1975 para 1976, ela teria sido estuprada pelo empresário da banda, Kim Fowley.

Segundo Jackie, ela foi drogada e o estupro aconteceu na frente de várias testemunhas, incluindo Joan Jett e Cherie Currie, parceiras de bandas de Fuchs no Runaways:

Você não percebe o terror até que sente que algo ruim está prestes a acontecer e não consegue mexer um músculo. Eu não conseguia me mexer ou falar. Tudo que eu podia fazer era olhá-lo no olho [Kim Fowley, além de estar no local, chamou um roadie e perguntou se ele gostaria de fazer sexo com ela] e fazer o melhor para me comunicar: por favor diga “não”. Não sei como era o cenário de fora. Mas eu sei o que estava acontecendo por dentro, e era terror.

O roadie não aceitou a “proposta” e à medida que Jackie perdia a consciência, Fowley começava a violentá-la, utilizando inclusive o cabo de uma escova de cabelo.

Jackie diz que se lembra de abrir os olhos e se dar conta de que Fowley estava lhe estuprando, e que havia pessoas olhando, inclusive Joan Jett e Cherie Currie, que a encaravam. Essa teria sido sua última memória da noite.

Em resposta ao Huffington Post, a equipe de Joan Jett diz que ela “não presenciou o evento da forma como foi descrito,” e Cherie Currie disse que se posicionou a respeito no momento e saiu do local onde tudo acontecia.

Runaways

A baixista não queria deixar a banda, e diz que alguns dias depois foi até o ensaio programado esperando que alguém comentasse o assunto e lhe apoiasse, mas nada aconteceu à medida que as integrantes do grupo ensaiaram suas canções e só.

Ela ainda revelou que o silêncio das suas colegas de banda significava que ela deveria ficar quieta também:

Eu não sabia se alguém iria me apoiar. Eu sei que seria tratada muito mal pela polícia, que eu seria julgada mais do que o Kim. Carreguei comigo o sentimento de vergonha e de achar que de alguma forma era minha culpa por décadas.

Cherie Currie disse que a “regra” era esquecer e seguir em frente, e que as integrantes da banda nunca falaram sobre como lidar com o estupro.

Na época, todas elas eram menores, com idades entre 16 e 17 anos. Kari Krome, compositora de músicas da banda, disse que a história é verdadeira e que Fowley também lhe agrediu sexualmente.

Vicki Blue, baixista que substituiu Jackie na banda, disse que as integrantes falavam sobre o estupro “toda hora”, e que elas contavam sobre como “Fowley comeu a Jackie como um cachorro. Era uma piada recorrente.”

Kim Fowley morreu no começo de 2015, aos 75 anos de idade, em decorrência de um câncer.

Você pode ler a matéria completa clicando aqui.