seu-jorge
Assista ao novo clipe de Bruno Chelles, Camila Zasoul e Natalhão!  

Dentre todas as acusações que podem ser feitas a um músico, a de que ele está fazendo sucesso às custas do talento de outro é, talvez, a mais extrema.

O réu da vez é Seu Jorge. Uma dupla de compositores brasilienses acusa o carioca de apropriar-se indevidamente de seis de suas canções. Quatro delas já foram gravadas e lançadas: “Tive Razão”, “Chega no Swing”, “Gafieira S.A” e o megahit “Carolina”.

Rodrigo Freitas e Ricardo Garcia contaram ao Estadão que, em 1999, tinham o projeto de gravar um disco chamado Gafieira S.A., coincidentemente o nome de uma das músicas supostamente “roubadas”. Seu Jorge, na época ainda vocalista do grupo Farofa Carioca, foi convidado para participar do álbum.

Duas sessões de gravação depois, o projeto ainda não estava pronto, e Jorge voltaria para o Rio. Antes, porém, pediu uma cópia das músicas gravadas até então. Gafieira S.A. não rendeu frutos e foi para a gaveta incompleto.

Um ano e meio depois, Rodrigo ligou a TV e se deparou com a cantora Paula Lima fazendo cover de uma de suas canções, e “Tive Razão” estava creditada a Seu Jorge, que também havia registrado outras cinco músicas das sessões de Gafieira S.A. na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, pouco tempo depois de sua última reunião com a dupla em Brasília. O caso está sendo julgado pelo Poder Judiciário.

Em resposta à matéria do Estadão, os empresários de Seu Jorge emitiram apenas um comunicado dizendo que “o caso está sendo julgado como o de tantos outros artistas” e que o músico está lançando um novo disco.

Fonte: Estadão