A morte do lendário guitarrista B.B. King está, infelizmente, cercada de polêmicas.

Como você viu aqui no TMDQA!, quando o músico passou mal alguns dias antes de sua morte, uma das filhas chegou a acusar a empresária LaVerne Toney, dizendo que ela não queria levá-lo para o hospital, estava restringindo seu acesso a medicamentos e não deixava que amigos o visitassem.

Toney, além de empresária, tinha poderes de responder por King através de uma procuração, e um juiz alegou que não poderia retirar esses direitos pois não havia sinais de abuso de idosos, como a família alegava.

Agora, após a morte de B.B. King, Karen Williams e Patty King, herdeiras, estão alegando que tanto a empresária quanto o assistente pessoal do músico, Myron Johnson, teriam envenenado seu pai.

De acordo com documentos divulgados pela Associated Press, nenhum familiar estava presente no momento da morte do guitarrista, mas sim apenas seu assistente. Ainda é dito que LaVerne aparece no testamento de King como inventariante de propriedades que chegariam a um total de dezenas de dólares.

Procurada, a empresária disse que as filhas de King já fazem acusações contra elas há muito tempo, então “não há nada de novo.”

A polícia estaria investigando a possibilidade de homicídio, mas a causa oficial da morte, até segunda ordem, foi definida como “demência vascular”.

Uma autópsia foi realizada e os resultados devem sair em oito semanas.

Fonte: UOL