Phil Rudd, baterista do AC/DC, foi até um tribunal de Tauranga, na Nova Zelândia para ser julgado a respeito de uma ameaça de morte que teria cometido, além do fato de maconha e metanfetamina terem sido encontrados em sua casa.

O músico de 60 anos de idade se declarou culpado de todas as acusações, e segundo o veículo neozelandês Stuff, ele teria ligado para um empresário falando para “abater” um ex segurança, tudo isso depois que seu álbum solo não vendeu bem e ele estava nervoso por causa disso.

Quando a polícia chegou à casa de Rudd para investigar as acusações, encontrou maconha e metanfetamina no local.

O advogado do roqueiro disse que tudo isso foi causado por uma “ligação raivosa”, que acabou em um batalhão de policiais na casa de Rudd, que encontraram drogas para uso recreativo, e tentou minimizar a questão.

Após pagar fiança, Phil estará livre das acusações.

AC/DC no Coachella

Enquanto estava na Oceania para se defender, Phil Rudd perdeu dois dos shows mais importantes do AC/DC nos últimos anos: as apresentações da banda no festival de Coachella.

Você pode ver uma série de vídeos da participação da banda no segundo final de semana do evento clicando aqui.

I WANNA BE TOUR

Em poucos dias o Brasil receberá uma turnê incrível com gigantes do Emo e Rock Alternativo; garanta o seu ingresso por aqui!