Dead Fish no primeiro dia de WROS Fest
 

Ontem o Dead Fish postou, em sua conta oficial do Twitter, uma mensagem reforçando seu posicionamento de esquerda e dizendo que, “quem é de direita e vai ao show, está no lugar errado.”

Rodrigo Lima, vocalista da banda brasileira de hardcore, publicou uma mensagem agora no Facebook oficial do grupo, e você pode ler a mesma na íntegra logo abaixo.

Olá bom dia todos,
Perdoem-me pelo enorme delay (atraso) em responder aqui o que vem se passando na internet. Não sou um usuário de redes sociais, não me interessam porque são definitivamente de uma profundidade de pires. Só que faço parte de uma banda, por sinal a melhor banda do mundo, que as usa. Temos, ou tínhamos, um social media que cuida dessa parte. Pelo que vejo hoje pela manhã parece que a coisa desandou nesse meio para vários lados que não interessam nem pra banda e nem para quem gosta dela, muito por causa da inocência e até uma boa parcela de ignorância jovem em achar que não estava nadando com os tubarões conservadores que tomaram conta das redes depois das eleições de 2014, o terceiro turno pegando fogo e ele nem se percebeu que o país sempre foi um lugar conservador que o discurso raso, preconceituoso e manipulador sempre vingou fortemente. Chamar quem contribuiu para nosso vitorioso Crowdfundding de otário foi de uma falta de respeito inenarrável e muito errado, e abriu um baita precedente para que o papinho raso e totalitário viessem à tona, sempre acontece onde não há uma discussão séria, e as redes são esse meio. 
Sim, é preciso lembrar que, somos uma banda de postura à esquerda no espectro político brazuca, não passarão racistas, homofóbicos, machistas, fundamentalistas muçulmanos ou cristãos, golpistas circunstanciais que apóiem uma intervenção constitucional militar ou quer o que isso queira dizer… Viemos de um nicho cultural, se é que podemos dizer assim, que prega a igualdade entre raças, à regulamentação do aborto com as mulheres tendo o direito de escolher o que fazer de seus corpos, a criminalização da homofobia, desmilitarização da polícia, reforma agrária, reforma urbana com transporte gratuito de qualidade e fim da especulação imobiliária e periferização das cidades, etc, etc à esquerda sempre. Essa é nossa pauta há vinte e quatro anos.
Termino agradecendo a todos aqueles que nos apóiam em todas as circunstâncias nesses momentos de erro e nos de acerto também. Vocês são poucos, mas são grandes, inteligentes, perspicazes, resistentes, bonitos, cheirosos, gostosos e bons. Que classe! Amo vocês! Termino pedindo que não me telefonem não me retuitem, não repliquem o texto ou coisa parecida, não lerei nada. Estou ocupado aqui terminando um glúten que deu errado e aproveitando pra me melhorar lendo um bom livro do Marx. Isto! Venceremos!

De novo, bom dia!

Rodrigo Lima

Vitória

O mais recente disco da banda é Vitória, lançado após campanha de financiamento coletivo histórica que bateu o recorde de arrecadação na plataforma Catarse, com 250 mil Reais.

O álbum é um dos 30 discos que você deveria ouvir em Março.