Kim Gordon analisa seu término com o Sonic Youth e com Thurston Moore em autobiografia
 

Kim Gordon ataca novamente!

Depois de ter criticado Billy Corgan, líder dos Smashing Pumpkins, e chamá-lo de “chorão” em seu livro de memórias, intitulado “Girl in a Band” e lançado no dia 24 de fevereiro, chegou a hora de mais detalhes acerca da polêmica declaração.

Mais um trecho da obra foi liberado e, nele, Kim não perdoa e dispara mais comentários afiados, dando continuidade ao comentário sobre o Smashing Pumpkins não ser exatamente punk (a discussão girava ao redor do gênero das bandas da época, se elas eram punk rock ou alternativas):

Claro, todos levavam sua música à sério, mas tinha algo muito esquisito em Billy Corgan e nos Smashing Pumpkins – seriam eles muito pretensiosos? Muito visuais e sempre atuando? Isso deixou uma impressão ruim nas pessoas.

Courtney se sentir atraída por Billy se revelou uma surpresa, já que ela era tão punk rock. Mas ela também era ambiciosa e manipuladora, como eu e Don logo percebemos durante o processo de gravação. Courtney podia ser muito honesta e real também, é que você nunca sabia qual direção ela tomaria, mas eu sabia que ela poderia se virar contra mim a qualquer momento, então sempre mantive uma certa distância.

Recentemente, Gordon também fez comentários bastante polêmicos sobre Lana Del Rey, chegando a afirmar que a cantora em questão não sabia nem ao menos o que significava o termo “feminismo”.

Kurt Cobain

Gordon também falou sobre como previa que o relacionamento entre Courtney Love e Kurt Cobain seria um desastre:

Courtney me falou que achava Kurt Cobain atraente, o que me deu arrepios e me fez desejar que eles nunca se conhecessem. Todos falamos para nós mesmos, “Uh-oh, desastre à vista.”

Fonte: AlternativeNation.net