blink-182
 

O Blink-182 tem passado por uma baita turbulência recentemente desde que o baixista e vocalista Mark Hoppus e o baterista Travis Barker anunciaram que não querem mais esperar pela boa vontade do guitarrista e vocalista Tom DeLonge que não estaria se comprometendo com as atividades da banda.

Com isso, já começaram a ensaiar ao lado do substituto Matt Skiba, do Alkaline Trio, e irão se apresentar em um festival chamado Musink.

Para relembrarmos a carreira do trio, desde o começo no pop-punk até o flerte com o rock alternativo em seus últimos álbuns, separamos uma música de cada um dos seis discos de estúdio dos californianos.

Divirta-se com as páginas e a playlist ao final!

Cheshire Cat (1995)

“M+M’s”

blink - Cheshire Cat

Cheshire Cat, disco de estreia do Blink-182, é bastante simbólico por diversos motivos diferentes.

Lançado em 1995, o álbum foi uma aposta da Cargo Music depois que o trio havia começado a fazer barulho com demos na região de San Diego e lotado casas de shows locais com os divertidos shows que já fazia.

Além de ser uma primeira amostra da sonoridade da banda, misturando pop/punk e hardcore melódico com vocais bastante característicos, o disco também foi responsável por canções que entraram para a lista de favoritas mesmo dos fãs que só conheceram o Blink anos depois.

“Carousel” é uma delas e a nossa escolhida, “M+M’s”, é outra, que ganhou clipe oficial e tudo mais.

Curiosidade 1: A capa acima é da versão original do disco, quando a banda ainda se chamava apenas “Blink”. Para evitar processo com outra banda de mesmo nome, adicionou o “182” pouco tempo depois.

Curiosidade 2: O Charlie Brown Jr. fez duas covers quando participou do Luau MTV em 1999. Uma delas foi “Together On The Sand”, do NOFX e a outra, “M+M’s”.