A novela do blink-182 só continua.

Tom DeLonge, guitarrista e um dos vocalistas da banda, publicou uma longa mensagem em sua página do Facebook onde explica seu ponto de vista quanto à situação confusa do trio, chama tudo de “imaturidade”, e diz que “se difere da maioria ao seguir a luz.”

Traduzimos boa parte do texto logo abaixo:

Carta aos fãs

Onde começar?

A verdade é sempre um bom lugar. Vamos lá.

Eu amo o Blink e sou extremamente grato por ter a banda em minha vida. Ela me deu tudo. TUDO. Eu comecei essa banda, foi na minha garagem onde sonhei a respeito.

Então o que eu tenho feito nos bastidores? Bom, tenho tentado fazer com que as coisas funcionem. Tentei ajudar essa banda a se mexer de 50 formas diferentes utilizando meus funcionários, ou outras pessoas, e ninguém sabia. Tentei mostrar ideias que fizessem com que a banda crescesse. Não estou sentado sem fazer nada. Não funciono assim.

O último EP foi o teste. Eu estive no estúdio por dois meses e eles apareceram por cerca de 11 dias. Todos havíamos concordado em dar 100% de nós mesmos. Apesar disso, nos auto sabotamos.

Chegou a um ponto que devido à “política” eu tive que tirar o EP do ar quando 60 mil fãs estavam tentando comprá-lo. E isso me deixou louco.

Foi depois desse episódio que eu prometi a mim mesmo que jamais me colocaria nessa posição novamente – acreditar nas palavras que falamos um para o outro.

A culpa é deles? É minha? Lógico. Eu sou louco.

Mas há 3 de nós, somos todos culpados. Ao fim do dia, sempre fomos problemáticos, por isso não conversamos há meses. Mas nunca conversamos. Nos oito anos em que estivemos juntos, sempre foi assim.

Nos últimos dois anos e meio, enquanto um parceiro estava sendo procurado para lançar o novo disco do Blink, eu lancei uma empresa de mídia. Acabei de lançar um disco do Angels & Airwaves e como alguns sabem, há mais por aí – história em quadrinhos, filmes, livros, etc. Essa roda já está girando, então você pode imaginar minha frustração quando me entregaram um contrato de 60 páginas do Blink dizendo que eu não poderia lançar um disco do Angels em 9 meses e que o Blink teria que gravar um disco em 6 meses, o que era impossível para mim. Isso iria me forçar a quebrar vários contratos. Autores, artistas, animadores, muita gente.

No final das contas eles removeram a cláusula do Angels, mas a parte de ter que gravar um disco do Blink em 6 meses continuou. Eu não posso simplesmente frear anos de desenvolvimento, parcerias e compromissos em um segundo.

Falei para meu empresário que eu continuaria com o Blink 182 desde que fosse divertido e trabalhasse com outros compromissos em minha vida, como minha família. Mas Mark e Travis sabiam de tudo isso.

Escrevi a mesma carta para eles há meses. Mas ela gerou uma discussão gigantesca, a maior de todas até agora. Eu só queria que todos concordassem. Mas do ponto de vista deles, eu estava controlando tudo. Na verdade, eu estava com medo de me expor novamente. De repetir a experiência do EP.

Também escrevi tudo isso para seus empresários em Dezembro (que me disseram que meus colegas de banda não estavam bravos e concordaram com algumas das minhas ideias para fazer com que a banda crescesse).

Então você pode imaginar a minha surpresa quando um release de imprensa foi enviado ontem – sem meu conhecimento – sobre o futuro da banda. Isso é novidade para mim.

Mas acho que isso é mais um exemplo de como eu me diferencio da maioria. Eu sigo a luz…. Sigo a paixão e faço arte. Eu fico com meu filho, minha filha e minha esposa.

Ao final do dia, tudo isso me deixa muito triste. Triste para nós.

Triste para você – que está vivenciando essa imaturidade.

Eu os conheço muito bem, e suas ações são defensivas e divisionistas. Acho que eles estão fazendo isso como forma de protegê-los de se machucarem. Como todos nós.

E mesmo vendo os dois agindo de forma tão diferente como sei que eles são, ainda me importo muito com eles. Como irmãos, como velhos amigos. Mas nosso relacionamento foi envenenado ontem.

Nunca pensei em sair, apenas acho difícil pra caramba me comprometer.

A mensagem na íntegra, em Inglês, pode ser encontrada aqui.

Nos últimos dias, a banda disse que Tom havia deixado a banda por tempo indeterminado e seguiria com Matt Skiba, do Alkaline Trio. Tom disse que não sabia de nada, e logo em seguida Travis Barker e Mark Hoppus falaram com a Rolling Stone sobre como ele era “hipócrita” e “ingrato”.

Tom ainda apagou um tweet onde falou que a banda planejava demitir Travis Barker.

Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!