Se o próprio Dave Grohl disse que não vai se esquecer desse show, imagina só quem estava lá, na plateia? De pedido de casamento a Davão falando que as mulheres brasileiras são as mais bonitas do mundo, teve de tudo nesse show.

A apresentação começou às 21h20 da última sexta-feira e lotou o Estádio do Morumbi, em São Paulo. Antes de recebermos o Foo Fighters no palco porém, contamos com a presença de duas grandes bandas de abertura: Raimundos; relembrando clássicos de toda uma carreira e explorando, ainda que minimamente devido ao pouco tempo de apresentação, o novo trabalho – Cantigas de Roda e o Kaiser Chiefs, que além de organizar um coro da plateia pedindo a entrada da banda principal da noite (a turma da direita grita “Foo” e a da esquerda grita “Fighters”) contou com um Ricky Wilson tomando chuva com a galera, cantando perto do povo e fazendo acrobacias, não tão desenvoltas quanto as do Lollapalooza 2013, mas mesmo assim não menos fenomenais.

Destaque para a banda brasileira, que entrou com “Pegadinha do Mallandro” fingindo que tocaria Rage Against The Machine e mandou ver em “Eu Quero Ver O Oco”, animando o público que chegou cedo ao estádio. Um verdadeiro show de abertura, com presença, peso, animação e resposta da plateia.

Já a apresentação do Foo Fighters foi um misto do já esperado (com base no show de Porto Alegre) com diversas boas surpresas (tanto para os fãs como para a banda). Tendo o set da turnê como base para o show e improvisando, trocando a ordem ou simplesmente misturando tudo, Dave Grohl, Taylor Hawkins, Nate Mendel, Chris Shiflett e Pat Smear não tiveram concorrência possível: as atenções de todo o estádio desde o momento exato da entrada da banda no palco, até o último segundo do show, só eram divididas entre eles cinco.

Dave-Foo-FightersAbrindo o show com “Something From Nothing” e emendando com “The Pretender” o clima da apresentação não podia ser melhor descrito: toda a carreira seria revisitada. Aliás, foi logo na segunda faixa que o primeiro flash-mob organizado pelo fã-clube dos caras aqui no Brasil deu resultado: uma bonita chuva de papel vermelho cobriu todo o Estádio do Morumbi e acompanhou, junto com a chuva fina de verão que também caía na hora, o clima nostálgico de quem lembra do clipe toda vez que vê algo parecido.

[one_fourth]”Agora eu quero que cada um de vocês cante junto comigo, porque todos vocês são heróis!”[/one_fourth]

Em “Arlandria” a primeira pausa de Dave pra falar com a multidão que em coro cantava cada verso de qualquer que fosse a música que eles tocassem: “Vocês são muito barulhentos… e eu GOSTO demais disso! Vai ser um longo show aqui… Aproveitem!”. E prosseguiu: “Agora eu quero que cada um de vocês cante junto comigo, porque todos vocês são heróis!”. E entoou os primeiros acordes de “My Hero”. Nem precisava pedir, Dave, todo mundo já ia cantar tudo mesmo!

p&b-Foo-Fighters

“Congregation”, próxima música da apresentação trouxe um Grohl conversador para o palco do Morumbi. Além de pedir para as luzes se acenderem, para que ele pudesse ver melhor o público, apresentou toda a banda e explicou as gravações do novo trabalho, cada uma feita em uma cidade diferente, com destaque para Nashville, sua “cidade favorita do mundo”.

[one_fourth]”Quer pedir sua namorada em casamento? Venha a um show do Foo Fighters!”[/one_fourth]

Em “Skin And Bones” uma surpresa completa: o flash-mob combinado para acontecer em “Best of You” foi adiantado para a música, já que o clima estava bonito e Dave, só com o violão em uma espécie de palco frontal, no meio do estádio para “cantar mais perto” de todos, estava “merecendo” essa gentileza, depois de dizer que ia cantar aquela música “o mais perto que pudesse chegar” de todos. A resposta do front-man veio rápida: “Isso tá bonito pra caralho!”. 

palco central_Foo-Fighters

No final da música, em uma conversa sobre como os homens brasileiros são fortes, já que sempre colocam a namorada nos ombros pra que ela possa ver o show melhor e brincando que dessa vez queria ver as namoradas com os caras nos ombros, Dave ganhou uma bandeira do Brasil e disse que ela era uma das mais bonitas do mundo” antes de ter sua performance brevemente interrompida.

Era Vinícius, um fã da banda, que subiu ao palco a convite de Grohl, deu um abraço no músico e pediu licença para chamar sua namorada, a Mônica, pra subir no palco também. A garota foi pedida em casamento na frente de um Morumbi lotado e Vinícius passou o resto da noite sendo citado por Grohl com nomes como “Vesuvíus” e variações, antes de receber um brincalhão Agora caiam fora do meu palco” do vocalista, que usou o episódio para fazer propaganda da banda: Quer pedir sua namorada em casamento? Venha a um show do Foo Fighters!“, brincou.

Taylor-Foo-Fighters

Já perto do final do show, mais uma surpresa: um palco menor surgiu no centro da passarela que levava Dave até o meio do estádio para cantar e, girando em 360º, possibilitou que todos os lados do Morumbi tivessem uma visão completa da banda tocando. Nele, a banda apresentou quatro covers, antes de voltar para o palco principal e encerrar a noite. O destaque fica para “Tie Your Mother Down”, cover do Queen em que Dave Taylor trocaram de papéis, Hawkings assumindo os vocais e Grohl na bateria, para delírio dos presentes.

E a chuva, que praticamente tinha sumido da vista dos fãs desde o começo do show, voltou no exato momento em que Dave perguntou pra galera se eles ainda queriam uma última música. Percebendo isso, ele alongou o discurso: Posso sentir um pouco de chuva voltando a cair… Mas eu gosto disso! Posso tocar a noite inteira na chuva.” e trouxe “Best of You” para arrancar o que ainda restava da voz do público.

Em outro depoimento, Dave desabafa: A gente já está há algum tempo na estrada… São mais de 20 anos, sim, já são 20 anos desde o começo… e sempre tem alguns shows que a gente lembra e outros que a gente esquece… Esse aqui eu não vou esquecer!“.

Ele ainda fez piada sobre como o público continuava entoando o “Oh-Oh” de “Best Of You” mesmo depois da música ter acabado e, depois de mais uma repetição da plateia, falou para as pessoas não cantarem mais. “A música já acabou! Parem de cantar ‘Best Of You’! O que vocês querem que eu faça?”

Ao fim, chamou “Everlong” para terminar o show exatamente como tinha começado: com todo mundo cantando, num grande coro.

Um capítulo à parte: os front-men

color_Foo-Fighters

Não dá para esquecer: o show do Foo Fighters em São Paulo mostrou um grande diferencial em relação ao que vimos até agora na turnê do Sonic Highways: a presença de grandes front-men.  Desde Digão e sua simpatia brasileira, pedindo a participação da galera, organizando a roda, agradecendo o público com palavras como “Isso era tudo o que eu precisava!” e apresentando cada um de sua banda como um grande mestre ou anti-herói até Ricky com sua loucura dançante e a simpatia de aprender umas poucas palavras em português para falar com o público brasileiro (“Nós somos o Kaiser Chiefs”), dedicar alguns instantes para falar de seu amor pelo país (“It feels soooo good to be back!”) e pegar objetos do público para usar em si (um chapéu e uma bandeira do Brasil) até finalmente Dave, buscando de verdade encarar no olho cada fã, entregar a emoção do show em cada centímetro do estádio.

Outro front-man que se destacou e não estava necessariamente nesta posição no show é Taylor Hawkins, que de trás de sua potente bateria e assumindo os vocais em algumas canções próprias e covers que a banda executou, conseguiu mostrar para os desavisados que ele também não está para brincadeira. Seja no The Birds of Satan ou no próprio Foo Fighters, ele leva jeito para a coisa.

 Setlist 
  1. Something From Nothing
  2. The Pretender
  3. Learn to Fly
  4. Breakout
  5. Arlandria
  6. My Hero
  7. Congregation
  8. Walk
  9. Cold Day in the Sun (com trechos de “Tom Sawyer” do Rush e “War Pigs” do Black Sabbath)
  10. I’ll Stick Around
  11. Monkey Wrench
  12. Skin and Bones (palco frontal – Dave no violão e Jaffe no acordeon)
  13. Wheels (palco frontal – Dave no violão e pedido de casamento!)
  14. Times Like These (começou no palco frontal com Dave no violão e foi para o palco central, com a banda completa, no meio da música)
  15. Detroit Rock City (Kiss)
  16. Stay With Me (The Faces)
  17. Tie Your Mother Down (cover de Queen com Dave na bateria e Taylor nos vocais)
  18. Under Pressure (Queen & David Bowie)
  19. All My Life (volta para o palco principal)
  20. These Days
  21. Outside
  22. Best of You
  23. Everlong

“The Pretender” com flashmob foi assim ontem no Morumbi! #foofighters #thepretender #sp #ffbr

Um vídeo publicado por Tenho Mais Discos Que Amigos! (@tmdqa) em