Todos sabemos do impacto dos Beatles na história da música, mas para Paul McCartney, ver isso sendo retratado em livros de história ainda soa um pouco irreal. “É inacreditável, cara!” disse o músico em um bate papo recente no site de Lily Cole.

McCartney completou que acha a ideia de alguém estudar Beatles com o objetivo de aprender como eles faziam música é ridícula, já que os próprios membros da banda não estudaram nada:

Nós só amávamos a nossa música popular. Elvis, Chuck Berry, Little Richard, Fats Domino, e tantos outros. Não é o caso de estudar isso. Eu acho que pra gente, nós teríamos estragado tudo se simplesmente parássemos pra estudar esses caras. Nós queríamos fazer a nossa própria música só ouvindo tudo isso. Então o nosso estudo era ouvir.

Para McCartney, não é o estudo da música popular que vai fazer com que alguém seja necessariamente um bom músico: “Pode ser que você use esse aprendizado para ensinar outras pessoas sobre a história, o que é muito válido.”

Ele também reconheceu a importância de escolas como a Liverpool Institute for Performing Arts (LIPA), que ele co-fundou:

Mas pensar que você vai à escola e sai como um Bob Dylan? Isso não vai acontecer. Foi uma decisão rápida quando nós começamos a pensar nas políticas da LIPA. Nós sempre quisemos treinar pessoas para serem o mais generalistas possível. Oferecer a elas a maior quantidade de informação possível. Mas você não pode dizer a alguém como se tornar um Bob Dylan ou um John Lennon, porque ninguém sabe como isso acontece.