Ozzy-Osbourne-Citybreak

Há alguns dias Ozzy Osbourne confirmou que o Black Sabbath irá gravar mais um disco, embarcar em uma turnê final e depois encerrar as atividades.

Em nova entrevista, dessa vez para a Esquire, o líder do grupo revelou agora quais são os planos da banda e como ele encara esse “último esforço” para fechar com chave de ouro a carreira de uma das bandas mais importantes da história:

O que me deixa muito feliz é que se esse for o último ato do Black Sabbath, então será um final com chave de ouro ao invés de quando eu deixei a banda em 1979 e todo mundo estava fodido de um jeito ou de outro e eu fui marcado como o pior, sabe. Acabou mal, então… A única coisa triste é que eu espero que Bill Ward consiga se recuperar para fazer isso porque… uma das coisas das quais eu mais me orgulho no Black Sabbath é que não fomos criados por algum figurão em Londres ou Nova York. Éramos quatro caras que tinham uma grande ideia e tudo funcionou desde o primeiro disco, e nós ainda… Você acredita que foram necessários 45 anos para conseguir nosso primeiro disco Número 1 nos Estados Unidos? Foi maravilhoso para mim.

Vale lembrar que o baterista Bill Ward, citado por Ozzy e membro da formação original, não se reuniu com o grupo para a gravação do último álbum, 13.

Em algumas declarações, o vocalista chegou a dizer que Ward colava adesivos por toda a sua bateria para se lembrar de como tocar, e seria impossível tê-lo em estúdio.

Quem gravou as baterias do álbum lançado no ano passado foi Brad Wilk, conhecido pelo seu trabalho no Rage Against The Machine.

Você pode ler a entrevista clicando aqui.

Carreira solo

Ao falar sobre os planos para o futuro, Ozzy disse que não pode tocar a carreira solo ao mesmo tempo que o Sabbath.

Por isso, como o grupo planeja mais um álbum, ele deu uma pausa nos trabalhos com seu nome e irá voltar após o ciclo de lançamento do novo disco.

Para “mostrar que a carreira solo ainda está rolando,” ele lançou uma coletânea chamada Memoirs Of A Mad Man recentemente.