blink-182-porsche-arena-stuttgart

Resenha e foto por João Andrade

Zebrahead

Na noite do último dia 18 de Agosto a banda de pop punk mais influente da década 00, blink 182, sob olhares de milhares de fãs ansiosos, sacudiu a Porsche Arena em Stuttgart, Alemanha. Ao chegar na cidade, já se percebia facilmente que o show estava para acontecer. Pôsteres de divulgação, camisetas da banda e moleques de cabelo colorido se espalhavam pela cidade cinza e chuvosa.

Horas antes na porta do local, os fãs de diversas partes do mundo já se aglomeravam impacientes. Por volta das 20h, o Zebrahead iniciou uma apresentação muito competente, mas que empolgou pouco devido à ansiedade pela atração principal e à falta de hits conhecidos pelo grande público do local. Os rapazes abriram com “Falling Apart”, seguido de gritos em uníssono em “Hell Yeah!”.

Como não poderia deixar de ser, eles aproveitaram que estavam na Alemanha para ressaltar a cerveja local, enquanto dois alemães trajando roupas típicas bávaras viravam duas garrafas da bebida sobre gritos do público: “Drink, drink, drink!!!”. Seguiu-se então “Call Your Friends”, “Rescue Me”, “Automatic” e “Postcards From Hell”. Ainda no clima de bebedeira, o vocalista Ali Tabatabaee chamou ao palco um garoto e uma garota fãs da banda para que brindassem. Foi a preparação para “Drink Drink My Germans”, uma música no melhor estilo boteco irlandês, contando com todos os membros do público cantando com as mãos nos ombros uns dos outros.

A partir de então, o clima morno tomou conta dos presentes. “Hello Tomorrow”, “Ricky Bobby”, “Two Wrongs Don ́t Make a Right, But Three Rights Make a Left”, “The Set-Up” ,“Mike Dexter Is a God, Mike Dexter Is a Role Model, Mike Dexter Is an Asshole”. Em certo momento, Tabatabaee diz:  “Ei caras, o pessoal do Blink deve estar vendo nosso show. Agitem bastante para fazer nosso filme!”.

Seguiu-se então dois covers bastante inusitados, um mash-up de “Who Let The Dogs Out”, sucesso de 2000 do grupo Baha Men, e “Girlfriend” de Avril Lavigne. O show seguiu com “Public Enemy Number One”, “Scheissa Party” e a poderosa “Mental Health”. “HMP”, “Can Can” e encerrou-se com a aguardada “Anthem”, de 2006. Bem-humorado, o Zebrahead se despediu do público enquanto os falantes do Porsche Arena tocavam “I Will Always Love You”, sucesso de Whitney Houston e tema do filme O Guarda Costas.

Setlist Zebrahead

  1. Falling Apart
  2. Hell Yeah!
  3. Call Your Friends
  4. Rescue Me
  5. Automatic
  6. Postcards From Hell
  7. Drink Drink, My Germans
  8. Hello Tomorrow
  9. Ricky Bobby
  10. Two Wrongs Don’t Make a Right, But Three Rights Make a Left
  11. The Set-Up
  12. Mike Dexter is a God, Mike Dexter is a Role Model, Mike Dexter is an Asshole
  13. Who Let The Dogs Out/ Girlfriend
  14. Public Enemy Number One
  15. Scheissa Party
  16. Mental Health
  17. HMP
  18. Can Can
  19. Anthem

blink-182

blink-182-stuttgart

Foto do jornal Stuttgarter Zeitung

O aguardado blink-182 subiu ao palco poucos após às 21 30h e o público, que misturava fãs antigos e novos, cantaram em coro “Feeling This” que, como de costume, abriu o show com pé direito. Na sequência, Mark, Tom e Travis já mostravam que iam trazer sucessos de diversos discos com “What ‘s My Age Again” e “Rock Show”. Alguns problemas, como os microfones que estavam fechados no início da primeira música e algo que incomodou Tom em sua guitarra (“Eu fodi o solo todo!”), não impediram que os presentes pulassem e cantassem junto à alguns dos hinos da banda.

O público incendiado pôde, então, tomar um merecido fôlego quando o Blink tocou uma pequena sequência de músicas mais lentas. “Up All Night” foi a primeira da noite saída do mais recente disco Neighborhoods. “Down” e “I Miss You” vieram na sequência partindo o coração do numeroso público feminino do local.

“Dumpweed” relembrou a energia do grupo no fim da década de 90, seguida de “Wishing Well” e “Always”. O show, em grande parte graças às incríveis façanhas do baterista Travis Barker, nesse ponto já havia ganhado status de espetáculo. Seguiu, então, com “Stay Together For The Kids” e “Asthenia”.

Tom Delonge e Mark Hoppus mostraram que se pode amadurecer sem perder o senso de humor.

Fizeram piadas um com o outro, conversaram com o público e esbanjaram simpatia. “First Date”, “Easy Target” e “All Of This” (com Mark fazendo a parte de Robert Smith) vieram em seguida.

A banda então inicia uma sequência de acordes ainda desconhecida na sua discografia. Os menos informados já murmuram algo sobre uma música nova, mas na verdade é um cover de “Hybrid Moments” do Misfits, já bastante recorrente nos shows mais recentes do trio. “Man Overboard” nos trouxe de volta aos bons tempo de The Mark, Tom and Travis Show e foi seguida por “Ghost On The Dancefloor”.

Como não poderia deixar de ser, “All The Small Things” se encarregou do momento pop chiclete do show, mas, curiosamente, não foi mais ovacionada que a deliciosa “Caroussel”, que veio para encerrar a primeira parte do espetáculo e anunciar que a noite estava acabando.

“Thank you and good night” e o blink-182 já havia se retirado do palco. Não precisou muito para que o público se unisse em coro pela retorno do grupo. “Play some more! Play some more!”. E cinco minutos depois, lá estava Travis Barker, no alto dos seus 38 anos, solando com a paixão de um garoto de 20 e poucos. Atrás da banda aparece a palavra “FUCK” em chamas e o solo de bateria emenda a introdução da agressiva “Violence”.

“Dammit”, por sua vez, veio na sequência, alertando os fãs mais assíduos que o show iria realmente terminar. Mas o trio ainda tinha mais uma carta escondida na manga. A curtinha, porém animada, “Family Reunion” encerrou essa noite espetacular.

A filha de Travis, Alabama, ainda entrou no palco para arremessar para o público as baquetas do pai coruja. E mesmo depois de todos terem se retirado, Mark ainda permaneceu no palco alguns minutos, distribuindo garrafas d ́água para os fãs que estavam na grade.

O blink-182 apresentou um show recheado de sucessos, visitando quase todos os discos da banda, e que fã nenhum deveria botar defeito.

 

Setlist blink-182

  1. Feeling This
  2. What’s My Age Again?
  3. The Rock Show
  4. Up All Night
  5. Down
  6. I Miss You
  7. Dumpweed
  8. Wishing Well
  9. Always
  10. Stay Together For The Kids
  11. Asthenia
  12. First Date
  13. Easy Target
  14. All Of This
  15. Hybrid Moments
  16. Man Overboard
  17. Ghost On The Dancefloor
  18. All the Small Things
  19. Caroussel
    Bis:
  20. Solo de bateria / Violence
  21. Dammit
  22. Family Reunion