AM, do Arctic Monkeys, em vinil
 

arctic-monkeys-am-vinil

Em parceria com a Sony Music Brasil nós realizamos um concurso cultural valendo um LP de AM, além de 5 CDs da banda.

O vencedor do LP, escolhido pela Sony Music, deveria responder a seguinte pergunta em formulário:

“Qual a música que não pode faltar nos shows do Arctic Monkeys no Brasil? Por quê?”

O nome e texto do escolhido são:

  • Isabela Frollini – “Stop the World I Wanna Get Off with You”, porque, na minha opinião, esta é uma das músicas mais fodas do álbum todo (começando pelo fato dela só vir no vinil). Eles conseguiram combinar a letra – que tem aquele tipo de frase que te faz lembrar de algo ou alguém – muito bem com a melodia. Além de que ela fala de algo que todo mundo passa pelo menos uma vez na vida!

As quatro melhores respostas após a vencedora, escolhidas pela equipe do TMDQA!, levam um CD cada uma para casa e são as seguintes:

  • Erick Souza – “Eu sou fã do Arctic Monkeys porque eles provaram que o rock atual também pode ser viral. Porque eles tem um som forte com letras bem boladas, e estão sempre no topo das paradas. Porque lotam shows, enlouquecem a mulherada e convencem a rapaziada. Enfim, pelo rock sou fanático, logo sou fã dos macacos do ártico.”
  • Luciano Jovi – “Eu sou fã do Arctic Monkeys porque… ‘porque eles só me ligam quando estão chapados’ para ficarem me perguntando se “eu aposto que ela fica bem na pista de dança” com aqueles “sapatos de dança” e quando termina eu digo
    para ‘irem embora antes que as luzes acendam’.”
  • César Augusto – “Eu sou fã do Arctic Monkeys porque eles são tão viajados e criativos, já eu não sei nem compor uma frase com os títulos das músicas e fico aqui em casa esperando meu CD do AM chegar!”
  • Carolina Teles -Eu sou fã do Arctic Monkeys porque eles foram o meu único apoio em uma época muito difícil da minha vida. “A certain romance” que quase acabou comigo. Eu era apaixonada por um garoto por muito tempo. Porém, minha melhor amiga “Arabella” começou a se aproximar dele e provar que não era tão amiga assim. Eu dizia “Snap out of it!!” e ela respondia “Do me a favour” e pare de falar como uma “Fluorescent Adolescent”.”When the sun goes down”, eu chorava e chorava. Olhava para a foto do garoto e pensava “I Wanna be Yours”. Tentava aquecer minha tristeza ao lado da “Fireside”. Nesta época era bem chuvoso, e eu podia ouvir o “Crying Lightning” do meu quarto.

    Mas essa “amiga” não roubou só o meu amor. Ela era muito egoísta e muito “Mardy Blum”, sempre gritava “I want it all”. Ela deu uma super festa e quis roubar todos os meus amigos. Quando soube, olhei pra mim mesma no espelho e disse “I bet you look good on the dancefloor”, mas não fui convidada.

    Na mesma noite, recebi a ligação de um número desconhecido. Era o menino que amava. Ele estava muito estranho, e de logo perguntou: “Are you mine?” e contou que estava com uns amigos encostado na “Cornerstone” do meu prédio. Eu logo perceb o que estava acontecendoi, e argumentei: “Why’d you only call me when you are high?”. Ele me convidou para a festa. Eu disse que provavelmente estaria fazendo outra coisa no dia. Ele disse: “Stop the world, I wanna get out with you”. Daí começaram a aparecer uns “Mad sounds” na ligação, e ela caiu.

    Depois de pensar muito, falei para mim mesma “Suck it and see”, eu vou para essa festa.

    Coloquei minha melhor roupa, vesti minhas “knee socks”, meus “dancing shoes” e fui à festa. Segui a rua com os “Old yellow Bricks” e fui parar numa casa gigante, número “505”. Achei uma “Secret door” e entrei pelos fundos, já que não era convidada. Quando entrei, estava uma loucura lá. Falei pra mim mesma “This house is a circus” e tentei achar o menino.

    Tinha uma música alta, e todos gritavam que amavam Arctic Monkeys. Eu me perguntei na hora: “Who the fuck are Arctic Monkeys?”

    Quando eu o achei, ele começou a fingir que nada tinha acontecido, e ele não lembrava de nada. Ele desfez minhas esperanças “brick by brick”. Ele foi o “matador” do meu coração. Me acabou quase como um “Dangerous Animal(s)” Falei para ele que se não fosse ”too much to ask”, ele poderia deixar de ser um babaca.

    Comecei a me sentir como uma “Space invader(s)” na festa. Fui para casa e tentei esquecer de toda a noite.

    Mas uma coisa não consegui esquecer: Dos Arctic Monkeys. E eles me ajudaram a superar aquela noite.

    Virei fã número um, e sempre quando alguém vinha me falar sobre o menino ou a Arabella, eu pensava comigo mesma: “Do I Wanna Know?”

     

Parabéns a todos os vencedores!

Entraremos em contato por e-mail para combinar o envio do LP e dos CDs.

Shows no Brasil

Se você ainda não comprou seu ingresso para os shows do Arctic Monkeys no Brasil, corra e garanta, pois eles estão se esgotando rapidamente.