crue

A turnê final do Mötley Crüe (com participação ilustre de Alice Cooper) ainda não se iniciou, mas, segundo o baterista Tommy Lee, algumas novidades estão à caminho. A nova canção, “All Bad Things Must End”, definida pelo próprio como “bastante melódica, mas ainda assim pesada”, já está em fase de mixagem e deverá sair na mesma época dos primeiros shows (o de estréia está marcado para 2 de julho, em Michigan, nos EUA). Ele também revela, em entrevista à Billboard, que os sets terão duração de duas horas e que contemplarão tanto os hits da banda como as músicas menos óbvias, visto que será a última chance de serem tocadas ao vivo.

Ao ser perguntado sobre a adaptação para o cinema da biografia da banda, “The Dirt”, lançada em 2001, o baterista declarou que ele e o baixista Nikki Sixx recentemente se reuniram com Jeff Tremaine, diretor do longa metragem, para analisar o script e que o resultado pode ser caracterizado como “a experiência mais insanamente realista que eles já viram”. Lee também brinca sobre censura do filme, ressaltando a necessidade de ser altíssima, e o quão surreal é ter uma carreira de 30 anos resumida em míseras duas horas nas telas.  Em relação ao elenco, os fãs podem esperar atores desconhecidos que, além de estrelarem um dos filmes mais esperados da história do rock, excursionarão com a banda, numa espécie de laboratório.

O Mötley Crüe pode estar dando seus últimos suspiros, mas, felizmente, tal realidade não se aplica ao músico entrevistado: Tommy Lee será o baterista no novo álbum dos Smashing Pumpkins. As demos já foram gravadas em Los Angeles e, nas próximas semanas, ele se reunirá com o vocalista Billy Corgan para trabalhar nas versões finais. O disco, intitulado Monument To An Elegy, sem previsão de lançamento (porém com a lista de faixas já divulgada), é um dos melhores trabalhos da lendária banda dos anos 90, tem forte semelhança com o início da carreira e contará com faixas épicas. Tudo isso, é claro, de acordo com Lee.

Ainda sobre o futuro, o artista confessa ter vários projetos em potencial, sendo um, em particular, o mais especial. Sem grandes detalhes, ele simplesmente afirma ter muitas canções escritas, além de prometer, sem falsa modéstia, que não há nada na cena atual parecido com o que ele criou. Para atiçar ainda mais a curiosidade dos fãs, o músico diz que terá uma nova banda que impressionará a todos.

Apesar de toda a divulgação ao redor da despedida, o desenlace do Crüe é incerto, já que a banda não descarta a possibilidade de trabalhar, futuramente, em mais material novo. O que se sabe até então é da existência de uma coletânea reunindo os maiores hits do grupo, a ser lançada em breve. Resta aguardar.