MattSorum10

Matt Sorum é um músico que tem um currículo invejável no rock’n’roll.

O cara foi baterista do Guns N’ Roses, do Velvet Revolver e se envolveu em outros projetos como Kings Of Chaos e The Cult, além de trabalhar com uma série de amigos como Slash, Duff McKagan e Tommy Lee.

Prestes a lançar um disco solo chamado Stratosphere sob o nome, Matt Sorum’s Fierce Joy, o músico conversou com exclusividade com o Tenho Mais Discos Que Amigos! e você pode conferir o resultado logo abaixo.

(Hit “Próximo” for the English Version)

TMDQA!: Você está preste a lançar seu novo álbum solo 10 anos após o primeiro, “Hollywood Zen.” O que mudou desde então e quais foram as suas motivações para gravar um novo disco em carreira solo?

Matt Sorum: Eu realmente considero esse novo trabalho como meu primeiro disco solo. O outro eu fiz com um parceiro, gravei algumas de suas músicas e outras minhas. Eu me comprometi a trabalhar em todas as ideias iniciais e o conceito para esse disco. Produzi tudo por conta própria e tudo foi feito por mim.

Eu mudei bastante. Posso dizer que fiquei mais esperto. E esse é um grande disco onde posso refletir minhas experiências pessoais e os sentimentos que tenho do presente.

TMDQA!: O que podemos esperar do novo álbum?

Matt Sorum: O novo álbum é muito mais orgânico, um disco com uma banda que montei baseado nas músicas. Cada cara contribuiu com sua musicalidade nesse disco. E eu era o capitão, eu acho, de um navio que navegou bem demais.

TMDQA!: Quem são os músicos que gravaram os instrumentos no álbum? Podemos esperar por convidados especiais?

Matt: Não há convidados especiais, mas eu considero esses caras como alguns dos melhores no estilo e todos eles já tocaram em dezenas de discos. Randy Ray Mitchell na guitarra, slide, Paul Ill no baixo, Scott Breadman na percussão, Damon Fox no orgão, mellotron, mini-moog, Wurlitzer, Brian McCloud na bateria, Lili Haydn no violino, Cameron Stone no violoncelo, Thomas Morse na orquestração e Sussan Deyhim nos vocais Farsi.

TMDQA!: Ouvimos uma de suas novas músicas, “The Sea”, e ela tem uma vibe bem calma, uma espécie de balada rock com letras introspectivas. O novo álbum é todo assim ou há músicas mais rápidas e pesadas?

Matt: A maior parte do álbum traz um lado diferente de mim que as pessoas nunca ouviram. Eu amo artistas como Tom Petty, Neil Young, Wilco, e esse álbum é mais na onda desses artistas do que as coisas mais pesadas que fiz no passado. Funciona bem com a minha voz e meu estilo de tocar violão também.

TMDQA!: Você trabalhou como produtor em um disco de Cherie Currie que nunca foi lançado . Você acha que existe a possibilidade de ouvirmos esse álbum no futuro? Como foi trabalhar em um disco com tantos convidados especiais como Brody Dalle e Billy Corgan?

Matt: Foi sensacional fazer esse disco. Cherie ainda tem uma grande voz para o rock, e trouxe todas essas pessoas também. Brody tem uma voz legal, The Veronicas, Slash e Duff.

Corgan foi sensacional e compôs uma música ótima no meu estúdio. Aconteceram vários problemas internos, o que às vezes acontece na indústria da música. Coloquei meu coração e minha alma nesse disco sem muita recompensa, então espero que ele saia eventualmente.
TMDQA!: Você já trabalhou com nomes como Kiara Rocks e Rodrigo Amarante, o que acha da música brasileira?

Matt: Eu amo os brasileiros, eles sempre foram muito generosos comigo. Há muita herança músical aí, adoraria descer e fazer mais em algum momento.

TMDQA!: Você já está na indústria da música há decadas, e viu vários tipos de mídia diferentes, o crescimento dos arquivos MP3 e mais. O que acha do estado em que a indústria se encontra hoje em dia, com tecnologias como streaming e o revival do vinil?

Matt: Eu amo vinil, me confundo com o streaming e MP3 são difíceis porque nunca soam tão boas quanto as canções originais, mas olhar para a frente e aceitar as mudanças é algo que estou tentando fazer com esse disco. O futuro promete.

TMDQA!: Você tem mais discos que amigos?

Matt: Ah, com certeza. Eu tenho planos de montar minha vitrola e sala stereo em algum momento. É um tipo de arte tão lindo que eu amava quando era criança e ainda amo. Espero poder lançar o disco em vinil para fãs que amam esse tipo de arte.

Stratosphere

matt-sorum-fierce-joy-stratosphere

Stratosphere será lançado em 11 de Março.

 
 
1
2
Compartilhar