Artistas e gravadoras fazem de tudo para divulgarem novos singles, clipes, discos ou, até mesmo, seus lados pessoais para que a música chegue mais longe e mais discos sejam vendidos.

Pensando nisso, o pessoal da SPIN fez uma lista com aquelas que julga as 15 jogadas de marketing mais ousadas da história da música, já que “os artistas manipulam a imprensa para promover álbuns desde que Elvis entrou para o exército.”

Traduzimos a lista e a trouxemos para que você, leitor do TMDQA! se divirta com a história das jogadas de publicidade na música.

Clique nos botões “Anterior” e “Próximo” ou navegue pelas setas do teclado.

 

1969: John e Yoko convidam o mundo para sua cama

John Lennon e Yoko Ono

Como conhecedores de publicidade, John Lennon e Yoko Ono não iriam desperdiçar a atenção da mídia dada ao seu casamento; e como idealistas utilizaram a ocasião para promover a paz mundial. Em Março de 1969 os recém casados passaram a lua de mel no Amsterdam Hilton por uma semana, dando coletivas de imprensa direto da cama proclamando a paz com cartazes. Deu tão certo que eles o fizeram novamente em Maio, em Montreal, gravando “Give Peace A Chance” com alguns amigos.

1977: O Sex Pistols toca em um barco

Para celebrar os 25 anos da Rainha Elizabeth II no trono – e porque eles haviam sido banidos de quase todas as casas de shows – o Sex Pistols alugou um barco para um cruzeiro festivo no Rio Tâmisa. Coincidentemente, a banda tinha um novo single para promover, “God Save The Queen”. A intensa performance da banda no barco foi interrompida após algumas poucas músicas quando policiais Londrinos entraram na festa.

Apesar de ser condenada na imprensa, “God Save The Queen” foi até o segundo lugar das paradas do Reino Unido, ficando atrás apenas de Rod Stewart.

 1977: Elvis Costello toca por um contrato

Elvis Costello

Elvis Costello não era lá muito conhecido no início de sua carreira e o seu disco de estreia, My Aim Is True, estava sendo vendido apenas no Reino Unido, onde ele tinha contrato com a Stiff Records.

Tendo o mercado americano como objetivo, Costello resolveu tocar na porta de uma convenção da gravadora CBS em Londres, para chamar a atenção dos executivos de lá.

O cara foi preso, mas a ideia deu certo, já que a CBS entrou em acordo para comercializar o disco nos Estados Unidos em um contrato que durou 11 álbuns.

1977: KISS e Marvel

KISS e Marvel

O KISS é conhecido por suas centenas de ações de publicidade e produtos que fogem à música.

Em 1977 os caras fizeram um acordo com a Marvel para o lançamento de um gibi da banda e para divulgar a ação, a banda organizou uma ação onde uma enfermeira coletou sangue de cada um deles e misturou à tinta vermelha supostamente utilizada para os gibis.

Por precaução e levando em consideração o histórico dos rapazes, recomenda-se a utilização de luvas ao ler uma dessas revistas.

1980: Bow Wow Wow

Bow Wow Wow - C 30 C 60 C 90 Go

Para quem não conhece, o Bow Wow Wow foi uma banda de new wave formada por Malcolm McLaren, o mesmo empresário que formou o Sex Pistols.

A ideia por trás da banda era a mesma dos punks: promover sua marca de roupas chamada Fashion Lines através de ações controversas e polêmicas da banda, com a música servindo de pano de fundo.

Em 1980 os caras lançaram um single chamado C.30 C.60 C.90 Go, em fita cassette, e a sua gravadora EMI se recusou a promovê-lo, já que a ideia da banda era promover a pirataria. Como? O Lado B da fita não tinha música nenhuma. Uma deixa para que discos fossem gravados e compartilhados muito antes dos arquivos digitais como MP3.

1981: The Clash em Nova York

The Clash em Nova York

Em 1981 o Clash anunciou os únicos shows que faria nos Estados Unidos naquele ano.

Para tanto, os caras marcaram sete noites no Bond’s International Casino, em Nova York, na Times Square.

O problema é que o local só tinha capacidade para 4 mil pessoas e, para piorar a situação, ela foi reduzida para 1.750 pelo corpo de Bombeiros de Nova York como, teoricamente, medida de segurança.

Confrontos entre fãs com raiva e a polícia começaram e toda a imprensa local noticiou o acontecido em jornais, programas de televisão e na rádio.

O episódio foi considerado uma jogada de marketing pois ali pertinho estava o Madison Square Garden, onde a banda poderia ter feito um show que comportaria as pessoas de todas as datas facilmente.

Depois do ocorrido, o disco Combat Rock, lançado em 1982 tornou-se o primeiro da banda a entrar no Top 10 das paradas americanas.

1987: A carreira inteira do The KLF

The KLF

O KLF foi uma dupla bizarra de música eletrônica do Reino Unido.

Os caras começaram como The Justified Ancients of Mu Mu, ou The JAMs e gravaram um single chamado “All You Need Is Love” , baseado na música de mesmo nome dos Beatles, em “Touch Me (I Want Your Body)” de Samantha Fox e com letras que falavam de AIDS.

A música não foi lançada oficialmente mas tornou-se uma sensação do underground.

Ao formar o KLF, a dupla criou músicas com menos piadas e duplos sentidos, à exceção de “Whitney Joins The JAMs”, onde eles usaram vários samples para dar a entender que Whitney Houston teria entrado para a banda.

Apesar das músicas mais “normais”, os caras continuaram sendo conhecidos pelas esquisitices, já que foram até o Brit Awards e dispararam balas com balas de borracha, jogaram uma ovelha morta nas escadarias da festa após o evento, se aposentaram, retiraram todas as cópias de seus discos das lojas e, por último, queimaram um milhão de libras em público, na Ilha escocesa de Jura.

Eu, heim.

1990: Madonna para maiores

Após lançar um clipe cheio de imagens controversas para “Like A Prayer”, o que lhe custou o rompimento de um contrato com a Pepsi, Madonna não desistiu das polêmicas e seguiu em frente.

Ela chamou Jean-Baptiste Mondino para gravar outro clipe, dessa vez para uma “faixa bônus” da coletânea The Immaculate Collection.

O vídeo de “Justify My Love”, escrita em parceria com Lenny Kravitz, trazia cenas bissexuais e de sadomasoquismo, e a MTV se recusou a passá-lo em sua programação, o que fez com que Madonna começasse a tratá-lo como um single. Para tanto, ela foi até o programa “Nightline”, da ABC, que resolveu passar o clipe em um dos maiores canais de TV dos Estados Unidos.

Ao ser informada sobre como a proibição da MTV havia lhe ajudado, ela comentou que era “sortuda”, mas todos sabem, inclusive Madonna, que isso não foi nenhum golpe de sorte.

 

1995: Michael Jackson faz uma estátua para ele mesmo

Estátua de Michael Jackson

Em 1995 Michael Jackson lançou a audaciosa coletânea/projeto chamada HIStory: Past, Present And Future, Book I, que trazia na capa uma estátua do cantor de forma bastante imponente.

Para divulgar o álbum, a gravadora Epic resolveu criar 10 réplicas da estátua com 10 metros de altura e colocá-las em pontos estratégicos de locais como o Rio Tâmisa em Londres, Alexanderplatz em Berlin e em Eindhoven, na Holanda, onde a estátua ainda está até os dias de hoje.

1999: Garth Brooks cria personagem roqueiro

Chris Gaines (Garth Brooks)

Garth Brooks é, sem dúvida alguma, um dos nomes mais importantes e mais bem sucedidos comercialmente na história do country dos Estados Unidos.

Acontece que o cara ficou de saco cheio de tocar esse estilo de música e colocar todas as suas músicas nas primeiras posições das paradas e resolveu tocar rock and roll.

Para tanto, ele criou uma personagem chamada Chris Gaines, que tinha como primeiro objetivo aparecer em um filme, mas que acabou se materializando na vida real e até lançou um disco chamado Greatest Hits.

Piadas à parte, o disco lançado em 1999 vendeu como água, como era comum com Brooks. Ou Gaines. Ou ambos.

http://www.youtube.com/watch?v=hQm65er6Anc

2007: 50 Cent vs. Kanye West

50 Cent e Kanye West "brigam" em capa da Rolling Stone

Em 2007, os dois grandes rappers da época, Kanye West e 50 Cent entraram em uma “briga” pelo posto de rei do estilo no mundo todo.

Ambos estavam lançando novos discos de estúdio, com 50 Cent trabalhando em Curtis e Kanye em Graduation, que tinha data de lançamento marcada para 18 de Setembro.

Para aquecer as vendas e causar barulho, o álbum foi adiantado em uma semana, e acabou saindo em 11 deSetembro, mesmo dia do lançamento do álbum de 50 Cent. A partir daí a “guerra” começou.

50 Cent chegou a dizer que nunca mais lançaria um disco se o álbum de West vendesse mais que o seu, o que eventualmente acabou acontecendo de fato.

Na primeira semana, Graduation chegou a 957.000 cópias vendidas contra 691.000 de Curtis, mas ninguém se entristeceu, já que foi a primeira vez desde 1992, quando o Guns N’ Roses lançou os discos Use Your Illusion que os dois primeiros discos da parada de vendas comercializaram mais de 600.000 cópias cada um.

A briga rendeu capa de revista e muito dinheiro para os dois. E no final das contas, 50 Cent continuou sua carreira normalmente.

2007: Nine Inch Nails e os cartões de memória

Pen Drive do Nine Inch Nails

Em 2007 o Nine Inch Nails criou um “alternate reality game”, que mistura situações de jogo com a realidade, fazendo com que seus usuários tenham uma experiência pra lá de interativa.

Tudo tinha como objetivo divulgar o disco de estúdio Year Zero, e teve início quando um cartão de memória foi deixado no banheiro de uma casa de shows de Lisboa, Portugal, com uma música inédita da banda.

A partir daí outros foram disponibilizados na Espanha e na Inglaterra e fãs começaram a encontrar diversos materiais diferentes na Internet e na vida real que traziam visões de um mundo criado pela banda.

Você pode ver todas as ações da ação clicando aqui.

2009: Josh Freese se vende

Josh Freese se vende

Josh Freese é um dos bateristas mais prolíficos da história do rock.

O cara tem seu nome associado a bandas como DEVO, Guns N’ Roses, Weezer, Nine Inch Nails, Paramore, The Vandals, Sting, The Offspring, A Perfect Circle, Sublime With Rome e mais.

Em 2009 Freese queria juntar dinheiro para lançar um disco solo chamado Since 1972 e criou uma campanha de financiamento coletivo onde prêmios iriam até o cara virar seu assistente pessoal por um mês e lavar seu carro, massagear seus pés e, até mesmo, tocar em sua banda.

No final das contas, ele conseguiu o dinheiro e lançou o álbum.

2013: Boards Of Canada

boards-of-canada-tomorrows-harvest

A dupla escocesa de música eletrônica Boards Of Canada não lançava nada desde 2005 e resolveu aparecer com um disco novo em 2013, e o fez em grande estilo.

Para divulgar o trabalho, os caras esconderam cinco discos de vinil de 12 polegadas em estantes de lojas do mundo todo durante o Record Store Day. Cada um dos discos tinha 10 segundos de música e um código, e quando colocados juntos, eles revelavam o lançamento do novo disco, Tomorrow’s Harvest.

Para aumentar o potencial de divulgação, os caras ainda alteraram descrições de clipes antigos do YouTube, fizeram intervenções no site NPR e na série de desenhos Adult Swim, lançaram um site misterioso e tocaram o disco por horas em um deserto.

Hype³. E deu certo.

2013: Kanye West projeta suas emoções

Projeção de Kanye West

Olha ele aqui de novo.

Kanye West gosta de coisas muito grandes, e para divulgar o seu novo disco de estúdio, Yeezus, ele não mediu esforços.

O cara criou imagens de si mesmo cantando a inédita “New Slaves”, que foram projetadas em prédios importantes de cidades como Nova York, Paris, Berlin, Sydney e outras 62 ao redor do globo. Todas elas estavam marcadas no site do rapper, o que facilitou a busca das projeções pelos fãs que começaram a gravar vídeos da ação e divulgar nas redes sociais.

No final das contas, o disco do cara estreou em primeiro lugar nas paradas.

Em Houston e Baltimore, policiais mandaram que as projeções fossem desligadas, mas tenho certeza que isso só aumentou o alcance da ação.