Star Trek Into Darkness

OBS: Esse artigo foi editado por Daniel Corrêa, notável fã do lado da galáxia representado pela força. Relevem alguma falta de parcialidade.

O coletivo é importantíssimo no Universo de Star Trek. Afinal, não se pilota a Enterprise sozinho. Por isso nomeei a Rakky Curvelo como minha primeira oficial, tirei todos as emoções dela, transformei ela no meu Spock e pedi para que ela me ajudasse nesse texto.

Semana passada nós fomos nas cabines de imprensa do novo filme da série, “Star Trek – Além da Escuridão”, que vai ser lançado dia 14/06 e antecipamos aqui o que achamos, com medo de soltar spoilers como se isso fosse ferir alguma diretriz da federação.

Seremos então diretos: o filme está ótimo, mas somente se você não for tão fã de Star Trek assim.

Star_Trek_Into_Darkness

Com várias visões diferentes de personagens e com várias referências ao queridinho dos fãs “A Ira de Khan”, o filme de J.J. Abrams tem dividido opiniões por aí. Mas convenhamos, ele vem cumprindo o que prometeu: levar um pouco de Star Wars para Star Trek, isso trabalhando na linha temporal alternativa aberta no primeiro filme, que possibilita os eventos ocorrerem deste modo sem que seja uma contradição com o material canônico da série.

Alias, o melhor da adaptação de J.J. Adams está em dois detalhes essenciais. O primeiro é o fato de que o novo filme complementa com louvor o primeiro, lançado em 2009 e que indicamos que você reveja antes de ver “Além da Escuridão” e o segundo é que funciona muito bem para leigos na vida Trekiana: você não precisa conhecer detalhes da história de Star Trek ou ter acompanhado todos os filmes e séries anteriores para entender o enredo ou se apaixonar pelos personagens. Eles têm vida própria além da história clássica e consegueiutambém deixar de cabelo em pé os fãs menos xiitas.

A trama, com cenas impressionantes de ação, gira em torno de um jogo político e militar no meio atentados terroristas e da traição de um membro da Federação que coloca nossos velhos e queridos Capitão Kirk, Spock, Tenente Uhura, Sulu, McCoy e tripulação enfrentando um inimigo inesperado em um lugar que pode começar uma nova guerra sem precedentes: John Harrisson (conhecido por outro nome… sabe…), em pleno território Klingon.

Mas esteja preparado: existem personagens mal desenvolvidos, subtramas mal aproveitadas e o Spock parece que ainda não se encontrou, principalmente no seu insosso romance com Uhura. Mas tudo isso é compensado pelo ótimo Kirk de Chris Pine e pelas cenas mais legais de ação que Star Trek já viu.

Cenas estas que deixam tranquilos os fãs de outra série já citada aqui, Star Wars, que terá seu próximo episódio da saga dos Skywalkers.

Entendo as reclamações dos fãs, mas acho que “Além da Escuridão” faz algo fantástico e raro: revigora uma saga, traz um novo público para a fanbase sem perder a qualidade.

PS N°1: Veja em IMAX.

PS N°2: Mas caramba… isso aqui não é pra falar de cinema e de música? É claro que é! Por isso a gente adianta pra você algo que pouca gente sabe: a cantora brasileira Céu está na trilha sonora do filme, interpretando o som “Flashback 92”, com música incidental do compositor Michael Giacchino, o mesmo cara que ganhou o Oscar de Melhor Trilha Sonora para UP: Altas Aventuras (outro filme imperdível).

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! ALTERNATIVO

Clássicos, lançamentos, Indie, Punk, Metal e muito mais: ouça agora mesmo a Playlist TMDQA! Alternativo e siga o TMDQA! no Spotify!

 

Compartilhar