Streetlight Manifesto fala sobre problemas com a Victory Records
 

Streetlight Manifesto x Victory Records

Streetlight Manifesto fala sobre problemas com a Victory Records

Depois de reagendarem por várias vezes a data que The Hands That Thieve veria a luz do dia, finalmente, em 30 de Abril deste ano, o quarto álbum da banda de ska punk Streetlight Manifesto saiu.

Entretanto, os problemas legais com a Victory Records continuaram. Como consequência, o grupo de Nova Jersey foi impedido de lançar o álbum e de realizar a venda do mesmo através de sua própria loja virtual; houve atraso no envio das cópias garantidas em pré-venda; houve cancelamento da versão acústica que acompanharia a de estúdio, e, para completar, a banda anunciou hiato.

Obviamente, esses problemas trouxeram muitas dores de cabeça para o grupo, que decidiu responder abertamente às perguntas mais frequentes realizadas por seus fãs através de seu site oficial.

Streetlight Manifesto - The Hands That Thieve

A banda contou que o atraso no envio do álbum The Hands That Thieve é culpa da gravadora, que se recusa a fornecer ao próprio Streetlight Manifesto cópias do material.

Já sobre a versão acústica do registro, feita por Toh Kay, a banda revelou que a Victory Records deu a eles duas opções: ou esqueciam esse lançamento (a gravadora achava que essa versão iria acabar com as vendas da feita pela banda) ou liberavam o material para que a Victory pudesse lucrar exclusivamente. Logo, o lançamento foi cancelado.

Por citar cancelamento, aqueles que desejam recuperar o dinheiro da compra de The Hands That Thieve, devem enviar um e-mail para store@riscmail.com.

A banda finalizou a sessão de perguntas e respostas concordando que as organizações de negócios estão cada vez mais decadentes, e apoiando o download ilegal, de certo modo.

Abaixo, você pode ouvir na íntegra o resultado do polêmico The Hands That Thieve.