Record Store Day 2013

Record Store Day 2013

Ontem, 20 de Abril, comemorou-se o Record Store Day por todo o mundo. A data foi criada em 2007 para celebrar e falar sobre a cultura única de mais de 700 lojas de discos nos Estados Unidos e de milhares espalhadas pelo mundo.

Em 2013, Jack White foi escolhido como Embaixador da data. Leia abaixo o texto do músico sobre a celebração e navegue pelas páginas para ver (ou ouvir) alguns shows e apresentações que aconteceram em diversos lugares para comemorar o dia.

Anos atrás alguém me disse que 1.200 alunos de escolas participaram de uma enquete. Uma pergunta foi feita para eles: “Você já visitou uma loja de discos?”. O número de alunos que responderam “sim” foi… zero.

Zero? Como isso pode ser possível? Então, eu me questionei de forma realista: “Vocês podem culpá-los?”. Como lojas de discos (ou qualquer loja com a mesma finalidade) podem competir com Netflix, TiVo, video games que precisam de meses para serem finalizados, TV por assinatura, SMS, internet, etc. etc.? Se levantar de sua cadeira em casa para experimentar algo no mundo real começou a ficar algo raro e, para muitas pessoas, algo desnecessário. Para que ir em uma loja de livros e comprar um livro de verdade? Você pode baixá-lo. Para que falar com outras pessoas, discutir sobre autores diferentes, estilos de escrita e influências? Apenas dê um click no seu mouse. Bem, aqui está algo que eles vão aprender algum dia se eles tiverem uma alma: “Não há romance em um click de mouse”. Não há beleza em ficar sentado por horas jogando video games (alguém orgulhoso disso vai parar de ler agora e publicar sua opinião no fórum mais próximo). A tela de um iPhone é conveniente, mas não se compara com a exibição de um filme em 70 mm em um cinema. A internet é bidimensional…útil e divertida, mas não substitui uma interação cara a cara com um ser humano. Mas todos sabemos tudo isso, certo? Bem, sabemos mesmo? Talvez sabemos tudo isso, mas, e daí?

Vamos acordar uns aos outros.

O mundo não parou de girar. Lá fora, pessoas ainda estão se encontrando cara a cara, trocando ideias e estão se conectando. Casas de arte estão exibindo filmes, pessoas estão tomando café e contando histórias, mulheres e homens estão se confundindo e lojas de discos estão vendendo discos cheios de uma essência que você ainda não sentiu. Então, qual o motivo de nós nos escondermos em nossas cavernas e nos contentarmos com o eco? Nós sabemos melhor. Nós deveríamos, pelo menos. Nós precisamos nos reeducar sobre a interação humana e sobre a diferença entre fazer o download de uma música em um computador e falar com outras pessoas pessoalmente e se conectar com a música que você pode segurar em suas mãos e compartilhar com os outros. O tamanho, a forma, o cheiro, a textura e o som de um disco de vinil: “Como você explica para um adolescente que não conhece que isso é uma experiência musical mais bonita do que um click de mouse?”. Você precisa levantar a sua bunda, você precisa pegá-lo pelo braço e levá-lo lá. Você precisa por um disco nas mãos dele. Você precisa fazer com que ele deixe a agulha cair no disco. Assim ele vai saber como é.

Vamos acordar uns aos outros.

Como Embaixador do Record Store Day de 2013, eu estou muito orgulhoso em ajudar, de qualquer maneira, a revigorar quem quer que ouça com a ideia de que há mais beleza e romantismo no ato de visitar uma loja de discos e se transformar em algo novo que pode mudar o jeito das pessoas olharem o mundo, olharem as outras pessoas, olharem a arte e, por último, olharem para si.

Vamos acordar uns aos outros.

Jack White