Acústicos & Valvulados em Francisco Beltrão

Todos sabemos que tem se tornado cada vez mais difícil fazer rock pelo mundo, e a situação fica um pouco mais complicada no Brasil, país do samba, pagode e “sertanejo universitário”.

Acontece que em alguns lugares por aqui, o rock vai muito bem, obrigado, e um deles é Francisco Beltrão, cidade do interior do Paraná com 85 mil habitantes onde, na noite de ontem, as duas casas que abrigaram shows de rock tiveram sua lotação esgotada.

Enquanto em uma rolava uma banda cover de AC/DC, fomos até a outra para assistir à performance do Acústicos & Valvulados, banda gaúcha que está há cerca de 20 anos na estrada e não perde o pique no palco e nas viagens que faz para as datas de sua agenda sempre movimentada.

Os caras abriram os trabalhos da noite de Sábado com “Agora”, música que também abre seu mais recente disco de estúdio, Grande Presença!, e logo de cara já emendaram dois grandes hits da carreira, as músicas “Suspenso No Espaço” e “Até A Hora de Parar”. Ambas foram cantadas a plenos pulmões pelo público do local e funcionaram muito bem para a banda, que com a resposta se animou logo no início do show para a festa que viria, anunciada pelo vocalista Rafael Malenotti.

A empolgação deu vez para que a banda tocasse mais duas novas, “O Truque Já Aconteceu” e a belíssima balada “Céu Da Noite” e vieram mais dois grandes hits, “O Dia D É Hoje” e “Milésima Canção de Amor”. Tudo era acompanhado de uma grande performance de guitarras, piano, baixo, bateria e a interação de Malenotti com o público, que entre dancinhas e pulos, movia o pedestal do microfone em direção ao povo e bebia, do bico, algumas doses de whisky.

Acústicos & Valvulados em Francisco Beltrão

Chegando à metade do show, o guitarrista Alexandre Móica assumiu os vocais para cantar “Sai Do Sério” e não apenas cantou a música e empunhou sua guitarra com todo o vigor possível, mas também resolveu fazer jus ao título da mesma e, ao final da canção, jogou sua guitarra no chão, com as cordas pra cima, e tirou seu cinto para acompanhar a banda em batidas na mesma. Saiu do sério com estilo, fez a guitarra sofrer, e ainda coordenou os movimentos com a banda. Classe.

Outros músicos da banda também tiveram sua chance no vocal, como Diego Lopes, que, como seu baixo a la Paul McCartney denunciava, é fã de Beatles e mandou uma versão de “I Saw Her Standing There” e Luciano Leães, que como bom pianista de rock mandou ver em “Great Balls Of Fire”, de Jerry Lee Lewis.

Uma outra cover veio na forma de “Sob Um Céu de Blues”, d’Os Cascavelletes, anunciada por Malenotti como “um clássico do rock lá de onde a gente vem”, e mais dois hits vieram para fechar o show: “Fim de Tarde Com Você”, que transformou o coro da plateia em vocalista oficial da banda e “O Nome Dessa Rua”.

Ao final da mesma e de seus “para rua a pa’, a banda até fingiu que estava saindo do palco mas evitou a parte chata de sair e voltar e já se preparou para tocar “Remédio”, cujo nome estava sendo gritado por toda a plateia.

Veio a música e o fim do show de uma banda que tem uma vasta gama de grandes canções em seu repertório e sabe muito bem mesclá-las com covers pertinentes e sons mais recentes, em um baita show de rock’n’roll que você deveria prestigiar quando passar perto da sua cidade se quiser se divertir com boa música.

O rock vive.

Site oficial da banda – http://acusticosevalvulados.wordpress.com/