Discos de vinil em Nova York

Guilherme Guedes, colaborador do TMDQA! esteve em Nova York e aproveitou a viagem para passear por várias lojas de discos da cidade.

Já publicamos duas matérias com os seus achados aqui e aqui e agora você pode ler a terceira parte da mesma, além de conferir fotos dos belíssimos discos.

Divirta-se!

Lonnie Smith – Drives (1970)

Lonnie Smith - Drives

Conheci este álbum por causa de “Spinning Wheel”, faixa que foi sampleada em “Can I Kick It?”, do A Tribe Called Quest. O destaque, claro, são os órgãos de Lonnie Smith, mas o que me conquistou foi o groove do baterista Larry McGee.
Novo, capa simples, 12″, 140g, 33 RPM.

Mad Season – River Of Deceit (2012)

Mad Season - River Of Deceit

Lançamento exclusivo do Record Store Day/Black Friday, este single tem “River Of Deceit” de um lado e uma versão ao vivo de “I Don’t Know Anything” do outro. Este disquinho é na verdade uma prévia do relançamento de Above, o único álbum do Mad Season, em 2013 – e serve para matar as saudades do fenomenal Layne Stayley.

Novo, capa simples, 10″, vermelho.

Miles Davis – Workin’ With The Miles Davis Quintet (1959)

Miles Davis - Workin' With The Miles Davis Quintet

Gravado em 1956 mas lançado somente após o sucesso de Kind Of Blue (também de 1959), Workin’ é um dos quatro álbums gravados pelo primeiro grande quinteto de Miles, com ninguém menos que John Coltrane, Red Garland, Paul Chambers, e Philly Joe Jones. Esta cópia faz parte de uma série de reedições de 2009 – posso estar enganado quanto à data – que foi cuidadosamente remasterizada, ganhando ainda mais corpo e brilho, mas sem ofender as gravações originais.

Novo, capa simples, 12″, preto, 140g, 33 RPM.

Miles Davis – Seven Steps To Heaven (1963)

Miles Davis - Seven Steps To Heaven

Um dos meus álbuns preferidos de Miles Davis na década entre a obra-prima Kind Of Blue e os outros grandes marcos da carreira do mestre, In a Silent Way (1968) e Bitches Brew (1969). Apesar de ter apenas uma composição de Miles, Seven Steps To Heaven é iluminado por registrar as primeiras gravação dele com o pianista Herbie Hancock e o baterista Tony Williams – na época com apenas 17 anos – que se revelariam essenciais no desenvolvimento artístico de Miles nos anos seguintes.

Usado em ótima condição, capa simples, 12″, preto, 140g, 33 RPM.

Mr. Gasser & The Weirdos – Hot Rod Hootenanny (1963)

Mr. Gasser & The Weirdos - Hot Rod Hootenanny

Surf rock de primeiríssima. Este aqui comprei sem nunca ter ouvido. Eu me apaixonei pela capa, fiz algumas perguntas ao vendedor da Generation Records, e levei para casa. Arrependimento zero!

Novo, capa simples, 12″, 140g, 33 RPM.

Slowdive – Souvlaki (1993)

Slowdive - Souvlaki

Uma obra-prima do shoegaze, considerada por muitos como “o” grande disco do estilo. Esta edição em LP saiu em 2011, em vinil de 180g com áudio idêntico ao original. Ideal para ser ouvido na íntegra, nunca por partes.

Novo, capa dupla, LP duplo, 12″, preto, 180g, 33 RPM.

The Tallest Man On Earth – The Wild Hunt (2010)

Tallest Man On Earth - The Wild Hunt

As gravações do The Tallest Man On Earth nunca foram pautadas pela qualidade técnica – os vocais são sempre estouradíssimos, o que faz parte do charme do som produzido pelo sueco Kristian Matsson. Ainda assim, foi impossível resistir à ideia de ouvir um dos meus álbuns preferidos em um bom sistema de som, num domingo à tarde…

E por apenas 13 dólares!

Novo, capa simples, 12″, preto, 140g, 33 RPM.

The Tallest Man On Earth – There’s No Leaving Now (2012)

Talles Man On Earth - There's No Leaving Now

There’s No Leaving Now, o terceiro LP de Kristian Matsson, resgata algumas das principais características do The Tallest Man On Earth, mas com arranjos mais elaborados.

Novo, capa simples, 12″, preto, 140g, 33 RPM.

Torche – Harmonicraft (2012)

Torche - Harmonicraft (vinil transparente / clear)

Torche - Harmonicraft Torche - Harmonicraft

Artistas, selos, gravadoras, demais interessados: é assim que um álbum deve ser lançado. O ótimo Harmonicraft me introduziu no som do Torche, e eu compraria este álbum mesmo com uma edição simples, sem grandes atrativos. Mas a combinação de vinil transparente, um “tapete” de feltro colorido e a belíssima capa em tamanho grande fizeram de um dos melhores álbuns de 2012 uma aquisição imprescindível.

Novo, capa dupla, 12″, transparente, 180g, 33 RPM.

 
1
2
Compartilhar