Roger-Waters diz que errou

Roger Waters foi o baixista/vocalista e um dos principais compositores do Pink Floyd desde seu início na década de 60 até sua saída após o lançamento do álbum “Final Cut” de 1983. O sucesso conseguido por um álbum que contava sua biografia (“The Wall” de 1979) fez com que ele se proclamasse líder da banda, com o direito de tentar encerrar suas atividades.

Waters brigou judicialmente com David Gilmour e Nick Mason (Richard Wright havia sido demitido por Waters na ocasião) pelo encerramento do uso do nome Pink Floyd e, os membros restantes da banda ganharam a causa, gravando os álbuns “A Momentary Lapse Of Reason” de 1987, “The Division Bell” de 1994 e o maravilhoso álbum ao vivo “Pulse” de 1994.

Anos e anos depois da separação, Waters admitiu que cometeu um erro ao entrar em uma batalha judicial contra a banda e disse:

Eu estava com a personalidade em formação.

A declaração de Waters sobre seu ego inflado do passado vem, com certeza, carregada de auto-ironia.

Mas de todas as formas, o baixista deixa claro que uma reunião do Pink Floyd seria algo não interessante para os integrantes.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!