"2011 foi o melhor ano de toda a minha vida", afirma Dave Grohl

Parabenizado pelo ano de 2011 pela reportagem da Billboard norte-americana, Dave Grohl afirmou que esse foi o melhor ano de toda a sua vida. “Foi um bom ano, 2011 foi muito bom para mim. Eu estava em uma festa de Ano Novo e alguém me perguntou como foi o meu ano, e eu disse, honestamente, que achava que 2011 foi o melhor ano de toda a minha vida, e eu realmente quis dizer isso”, explicou Dave.

O líder do Foo Fighters também falou o que acha sobre a “saúde do rock” na atualidade. “Sempre haverá bandas de rock’n’roll, sempre haverá pessoas que amam os discos de rock’n’roll, e sempre haverá rock’n’roll”, comenta o músico. O fato do quinteto ter viajado o mundo e lotar estádios com 50 mil pessoas significa para Dave que o rock’n’roll continua vivo e muito bem de saúde.

Para o Grohl, o rock não é o principal gênero nos Estados Unidos como é no restante no mundo. “A Inglaterra é um país onde bandas de rock têm muito sucesso. Você as ouve no rádio, eles têm hits e tocam em estádios, e isso é quase tão grande como já foi um dia”, explica. Sobre os Estados Unidos ele comentou: “Eu não sei o motivo, mas este é um dos países do mundo onde o rock’n’roll não é gigante”.

Perguntado se isso faz parte das conversas do Foo Fighters, Grohl diz que não. “Uma das razões de ainda sermos uma banda e continuarmos fazendo discos e termos sucesso é que não damos bola para nada disso. Nós temos nosso estúdio, nosso selo e fazemos tudo que queremos”, declara o músico.

“Você não pode estourar essa bolha, o Foo Fighters, você não pode mudar o que somos, pois nós tentamos ser reais e puros. Vemos muitas coisas indo e vindo, como o nu metal e as calças skinny, e nós continuamos de cabeça baixa e fazendo nossas coisas mesmo as pessoas não dando bola e o que acaba acontecendo é que no final das contas as pessoas se conectam pois os álbuns são verdadeiros”, desabafa Dave.

Fazendo uma avaliação própria, Grohl delcara que o Foo Fighters é uma banda muito simples. “Nós achamos que somos muito ruins e tentamos realmente trabalhar duro para fazer bons discos e nós ensaiamos. Não nos sentimos como os maiorais, como a melhor banda do mundo. Somos apenas os mesmos cinco garotos que estão em turnê em uma van por 17 anos e isso não mudou”, declara.

Sobre a indústria da música, o músico deu seu ponto de vista. “Pegue o disco da Adele como exemplo. É um belo trabalho e todos está em choque de como virou um fenômeno. Eu não. Você sabe o motivo desse disco ser grande? O motivo é que ele é muito bom e verdadeiro”, explica retomando seu ponto de vista anterior.

O Foo Fighters tocará na 54ª edição do Grammy, premiação em que foi indicado em seis categorias. O evento vai acontecer no dia 14 de fevereiro.

 
Compartilhar