Agridoce - Agridoce
   

Agridoce - Agridoce

Resenha por João Mateus, do blog O Musicófilo

Agridoce é o projeto paralelo da cantora Pitty com o guitarrista de sua banda Martin. O duo soa como um contraponto a sonoridade da banda principal, onde as músicas em geral são mais pesadas, fazendo o que foi denominado pela própria cantora como “fofolk”, uma música folk mais suave e fofinha, mas com alguns momentos mais melancólicos e agressivos.

Para a gravação do álbum a dupla alugou uma casa na Serra da Cantareira em São Paulo, onde fizeram uma espécie de retiro musical com o objetivo pura e simplesmente de encontrar seus melhores sons e registrá-los no álbum.

“Embrace The Devil” abre o disco de maneira suave com o som do ambiente que envolvia a casa/estúdio e uma agradável levada feita pelo violão. Apesar do nome em Inglês toda a faixa é cantada em Português, com exceção da frase que dá nome à música.

“Dançando” foi a primeira música lançada pela dupla e é de uma beleza gigantesca com seu arranjo quase minimalista, tudo muito simples e eficiente, onde fica clara que a base das músicas do duo é formada por Pitty no piano e vocal e Martin nos violões e vocais.

Em “Romeu”, a faixa mais melancólica do disco, Pitty mostra toda sua qualidade vocal com performances muito coesas e um equilíbrio entre técnica e musicalidade. Em “20 Passos”, Pitty cede os vocais ao guitarrista Martin com sua voz que combina muito bem com a sonoridade da canção e deixando o ouvinte com vontade de ouvir repetidamente a faixa.

Assim como a faixa de abertura do álbum, “Upside Down” é cantada em sua maior parte em Português, e é a única música do disco onde os membros da dupla dialogam efetivamente, dividindo as estrofes em uma frase para cada um, como se contassem histórias paralelas e cantando juntos o refrão em Inglês, enquanto “130 Anos”, gravada ao ar livre, conta com o som do ambiente externo que dá a música uma sonoridade de gravação caseira.

Com este disco o Agridoce começou sua carreira com pé direito, apresentando ótimas músicas em um álbum equilibrado, que apesar de ter muitas músicas calmas não chega nem perto de ser chato. Infelizmente vamos ter que esperar um bom tempo pela continuidade deste projeto pois querendo ou não, a banda principal do duo exige mais dedicação.

O disco foi eleito um dos melhores do ano em nossa lista de discos nacionais de 2011 que você pode ver aqui.

   
 
Compartilhar