Gibson foi acusada de crime ambiental
   

Gibson é acusada de crime ambiental

A super conceituada marca de guitarra Gibson passa por momentos difíceis. A empresa começou a ser investigada criminalmente pela denúncia de desmatar ilegalmente florestas para conseguir a madeira utilizada na produção dos instrumentos musicais.

Agentes Federais invadiram uma das confecções da empresa situada no Tennessee e apreenderam US$ 500 mil em matéria-prima, aparentemente irregular, comprada da Índia. Calcula-se que com todo esse material confiscado, poderiam ser produzidos cerca de 10 mil braços de guitarra.

A Gibson teria violado o Lacey Act, lei que define que as firmas americanas importadoras de commodities são obrigadas a estar de acordo com as restrições ambientais estabelecidas no país de origem das mercadorias.

As guitarras Gibson são produzidas com jacarandá – umas espécie rara de madeira encontrada nas florestas tropicais. Além da Índia, em 2009 a empresa também já enfrentou problemas com importações vindas de Madagascar.

Indignado, o presidente da empresa, Henry Juszkiewicz, disse que o ocorrido não se passa de um mal-entendido e de uma injustiça. Ele aproveitou a situação para criticar o governo do Democratas e o presidente Barack Obama.

Foi em um encontro do movimento ultra-conservador do Partido Republicano, o Tea Party, que o presidente da empresa reclamou do excesso de intervenção do governo americano na indústria e excesso de leis regulatórias que atrapalhariam a produção dos produtos.

A Gibson, que produz mais de 700 guitarras por dia, já cogita a possibilidade  comprar matéria-prima de outro lugares e apostar em outros tipos de madeira – o que provavelmente afetaria o som dos instrumentos musicais.

 

Assista abaixo um vídeo com o processo de montagem das guitarras Gibson:

 

   
 
Compartilhar