Judas Priest lança coletânea
 

Judas Priest & Whitesnake no Brasil

Neste último sábado, dia 10 de setembro, o Judas Priest fez seu possível último show em São Paulo, pois esta será a última turnê da banda, segundo seu vocalista. Mais de 25 mil pessoas estavam presentes no Anhembi em uma noite que apenas ameaçou chover, para prestigiar o grupo inglês e o Whitesnake divulgando seu último trabalho, Forevermore, lançado este ano. O público da noite era composto em sua maioria por fãs que já passavam de seus 30 anos, mas também era possível encontrar alguns jovens no meio da multidão, vestida exclusivamente de preto.

O Whitsnake mal entrou no palco e o público já erguia seus punhos e máquinas fotográficas ao ar. O show começa com “Best Years” e “Give Me All Your Love“, com todos os presentes batendo palmas no refrão. “Love Ain’t No Stranger” chegou para aquecer o grande número de casais que havia no show, uma das muitas baladinhas da banda.

Essa vai em homenagem aos fãs aqui de São Paulo e do Brasil! Por nos acompanharem durante todos esses longos anos e ainda estarem aqui para mais um show“, foram as palavras de David Coverdale antes de iniciar “Forevermore“.

E o famoso solo tem início com Doug Aldrich debulhando na guitarra. Red Beach entra em ação, com alguns minutos de um solo frenético, para logo, os dois se juntarem, foi ai que a coisa pegou. Mantendo um ritmo muito rápido, os atuais guitarristas do Whitesnake mostraram seu talento, abrindo a faixa “Love Will Set You Free“, onde os dois guitarristas e o baixista fizeram um backing vocal de tirar o folego.

São Paulo! Say hello to the amazing drummer Brian“, Coverdale apresenta o baterista, que começa o seu solo rápido e preciso, chegando a jogar diversas baquetas para o ar enquanto tocava. Para finalizar, um solo com suas próprias mãos! Isso mesmo, haja calos!

David Coverdale entra em cena e apresenta sua banda, seguindo com mais uma baladinha “Here I Go Again“, onde o vocalista pegou uma bandeira do Brasil, colocando-a no palco, se enrolando nela e a levantando em direção ao público.

Para fechar esse grande show de abertura, um cover de uma outra grande banda: “Burn“, do Deep Purple, música que foi muito aplaudida com a saída do grupo do palco. Um belo encerramento! O Whitesnake é aquela banda de inúmeras baladas e diversos hits que marcaram, além de um distinto vocalista, que apesar dos seus sessenta anos, é muito popular e carismático pelo mundo todo e continua arrancando suspiros daquelas mais apaixonadas.

Pausa para a troca de banda. Uma enorme bandeira da Epitaph cobria o palco em homenagem a Epitaph Tour do Judas. Fui tomar uma cerveja, que por sinal era Budweiser, a mais nova internacional a chegar no Brasil. Começa a tocar Ozzy pra animar os presentes, alguns pingos de chuva comecam a cair, mas não chega nem a molhar.

Are you ready? Let´s gooo!” Foram as primeiras palavras de Rob Halford ao meio dos gritos estéricos dos fãs, antes de iniciar a faixa “Rapid Fire“, uma pancada logo de cara. Rob é um excelente showman e sua banda o completa perfeitamente, ótimos músicos com uma excelente presença de palco.

Metal Gods“, “Judas Rising” e a pesada “Starbreaker” apareceram no inicio do setlist. “Prist, prist prist!” era o coro da plateia, que gritava intensamente até começar uma música nova.

Em “Diamonds & Rust“, cover de Joan Baez, o grupo fez jus a cantora, com uma dupla de guitarras acústica no inicio da faixa. Rob vestia sua clássica roupa de couro cheia de espinhos e detalhes prateados, entrando uma hora com um capuz e uma capa preta, além de seu tridente, um visual muito sombrio para a música “Prophecy“. Pirotecnia e fogos não faltaram no show, dando a cara que o Judas Priest merece depois de tantos anos de existência. O público passava um pouco de frio, mas o show com certeza aqueceu todos!

Mas você quer saber quando a coisa realmente pegou fogo? Quando o Anhembi estremeceu? Todos dizem que o melhor sempre é guardado para o final e não foi diferente desta vez, com a dupla de peso “Breaking The Law“, cantada de forma unanime por todos os presentes, dando até um curto descanso ao vocalista, seguida por “Painkiller“, onde aqueles que ainda tinham forças, levantavam suas mãos com o sinal de heavy metal. Brilhante escolha para fechar o show! A banda se retirou do palco, mas tudo indicava que ainda haveria um bis.

E aquela cena esperada por muitos aconteceu, Rob entrou no palco com sua Harley-Davidson, mandando as faixas “The Hellion“, “Electric Eye“, “Hell Bent for Leather” e fechando com a clássica: “You’ve Got Another Thing Comin´”, extremamente aplaudida. Um segundo bis ocorreu apenas com “Living After Midnight“, para fechar de vez o show com mais de 2 horas de puro heavy metal da melhor qualidade.

Rob Halford também já não é mais um jovem garoto, tendo que se esforçar para alcançar os agudos que fazia nos anos 70, 80 e 90; mas com certeza agradou a aqueles que eram realmente fãs do grupo, uma turnê de despedida épica, posso assim dizer. Long live to Heavy Fucking Metal!

Setlist Whitesnake
“Best Years”
“Give Me All Your Love”
“Love Ain’t No Stranger”
“Is This Love”
“Steal Your Heart Away”
“Forevermore”
Guitar Duel
“Love Will Set You Free”
Drum Solo
“Here I Go Again”
“Still Of The Night”
“Soldier of Fortune”  (Deep Purple)
“Burn”  (Deep Purple)

Setlist Judas Priest
“Rapid Fire”
“Metal Gods”
“Heading Out to the Highway”
“Judas Rising”
“Starbreaker”
“Victim of Changes”
“Never Satisfied”
“Diamonds & Rust”  (Joan Baez)
“Night Crawler”
“Turbo Lover”
“Beyond the Realms of Death”
“The Sentinel”
“Blood Red Skies”
“The Green Manalishi (With the Two Pronged Crown)”  (Fleetwood Mac)
“Breaking the Law”
“Painkiller”

Bis 1
“The Hellion”
“Electric Eye”
“Hell Bent for Leather”
“You’ve Got Another Thing Comin'”

Bis 2
“Living After Midnight”

Confira um vídeo do show do Judas Priest mandando “Painkiller“: Clássico! Épico!

 
Compartilhar