Lemmy grava disco com Dave Grohl e Joan Jett
   

Documentário sobre Lemmy vai sair no Brasil

E o documentário sobre o líder do Motorhead, Lemmy Kilmister, está sendo lançado no Brasil, com legendas em Português!
Lemmy-49% motherfucker, 51% son of a bitch está saindo via Coqueiro Verde Records, e você já pode garantir sua cópia clicando aqui.

Se liga só no que Chuck Hipolitho disse sobre o lançamento:

Existem alguns astros do rock que são exóticos, fundamentais, excêntricos e muitotalentosos. Ok. Mas agora vamos falar um pouco sobre Lemmy Kilmister.

Lemmy é o roqueiro antes de existir rock nesse planeta. Um cara que teve um filho sem querer com a mulher que dava para o John Lennon antes dos Beatles serem os Beatles.Um cara que bebe whisky como você bebe água – há muitos anos. O mesmo que diz que o segredo para sua milagrosa longevidade é simplesmente “não morrer”. Lemmy é o vocalista e líder da banda Motörhead.

Não se sabe bem de onde veio Lemmy, é como se existisse desde sempre. Não se sabe para onde vai. Como uma lenda, e viva. Lemmy é conhecido por ser feio, por ter aquela voz rouca horrível e monotônica, pelo jeito de tocar seu baixo com amplificadores de guitarra e pelos hábitos ilegais que mantém até hoje, com a classe de um lorde.

No documentário, filmado por uma dupla que ficou no pé do Lemmy por nada menos que três anos, integrantes do Metallica, do Anthrax e do Motley Crue, a equipe de estrada,o dono e os frequentadores do bar de onde ele não sai, todo mundo tem espaço para expressar diferentes lados de uma pessoa que parece ter apenas um, o Rock. Mas ao longo do filme o retrato que é feito do homem é um pouco diferente. É impressionantea intensidade com que Lemmy vive a própria solidão por conta de um estilo de vida que cobra um preço alto. Um fardo que que ele carrega para cima e para baixo, como sua impressionante coleção de artefatos das guerra, principalmente ligados ao nazismo . Um homem solitário e rude que parece um monstro indefeso e carente – e que provavelmente desperta o instinto maternal de suas declaradas mais de mil e tantas mulheres. Um cara único. Que apesar de tudo que leve a crer o contrário, é um cara limpo. Muito limpo. O tempo todo limpo pra caralho e sob controle. Sabe o que faz e o que fala.

O passado, como Lemmy era quando criança, as bandas com que tocou, o fato de ter sido roadie de Jimi Hendrix, de ter sido expulso do Hawkwind, tudo isso é abordado como se o documentarista estivesse apenas tocando no assunto, porque o que realmente importa é o que o cara é HOJE. Como tudo que é verdadeiro. E aí que o filme emociona.
O único cara comparável a Lemmy talvez seja Chuck Berry. Um é o próprio Rock, o outro oinventou, e ambos estão vivos. Mas, Lemmy é o único dos dois que ainda bota para quebrarde verdade, continua lançando discos e excursionando. Isso coloca o Lemmy num degrau a cima do homem que inventou a parada. O filme é obrigatório para os fãs e tenho certeza que será uma referência quando o assunto for documentários de Rock – “já assistiu o do Lemmy?” – assim será daqui em diante.

   
 
Compartilhar