Mark Hoppus dá detalhes do novo álbum do Blink-182

Na semana passada, Mark Hoppus divulgou o rascunho da letra que ele estava trabalhando com o Blink-182. Após isso, o baixista e vocalista postou um vídeo em seu Facebook com um pequeno trecho de um dos vocais que ele gravou essa semana. Ao final desta postagem você pode conferir este vídeo.

O músico resolveu, ainda esta semana, conceder uma entrevista para a MTV onde falou sobre o novo disco e contou um dos motivos para tanta demora em finalizar o álbum. Nosso parceiro, o Action182, traduziu as matérias.

Perguntando sobre a demora, Mark respondeu: “a linha do tempo! É o cronograma do Blink-182! Sempre um ponto interessante de discussões!”. E continuou: “Nós ainda estamos planejando lançar no início do verão, nós estamos trabalhando duro para isso. Agora que o Travis está de volta a estrada, então eu estou de volta em Los Angeles trabalhando na gravação, o Tom está trabalhando sobre a música, estamos enviando todo o material para o Travis, espero que o Tom e eu possamos fazer um álbum de uma forma que o Travis possa entrar e ai poderemos gastar, você sabe, um mês, um mês e meio trabalhando duro no álbum e terminá-lo”.

O modo com que o Blink-182 optou por trabalhar, em pedaços, às vezes sozinhos e em estúdios diferentes aumenta ainda mais a espera. “É definitivamente um processo diferente… antes, pelo menos, estávamos todos na mesma sala, ao mesmo tempo”, disse ele. “Com isso, Travis com seu disco solo, eu estando em Los Angeles, e Tom fazendo as coisas dele e também estando em San Diego, no iníco parecia que talvez fosse um pouco diferente, mas agora parece que estamos em um ritmo bom”. Mark comentou ainda que o álbum deve ter 12 músicas.

E sobre um dos principais motivos para tanta demora, o músico comentou: “Nós sempre tivemos Jerry no comando e agora só temos a nós mesmos, sem Jerry lá”, se referindo ao produtor Jerry Finn, que faleceu em 2008 e foi a cabeça por trás dos três últimos discos do Blink-182. A banda trabalhou sem ele em 1997, no “Dude Ranch”. De lá para cá, sempre esteve em estúdio com Jerry.

“E parece que ele está no estúdio com a gente, nos empurrando na direção certa mas, obviamente, ele não está lá e isso é uma droga, mas nós estamos conseguindo”, relata Hoppus. O baixista disse também que Finn era a parte imparcial e a pessoa que dizia o que estava dando certo ou não. E finalizou: “Como eu disse, é uma droga não tê-lo conosco. Mas isso é só um outro passo no legado do Blink-182”.

 
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.
 
Compartilhar