Nightmares For A Week - Don't Die
 

Nightmares For A Week - Don't Die

Existem várias maneiras de se descobrir uma nova banda.
Você pode ouvir uma música dos caras em uma festa, na TV, na Internet,algum amigo pode te indicar dizendo que é a coisa mais perfeita que já existiu no mundo ou você pode encontrá-la através da referência de outra banda.

O Nightmares For A Week fez homenagem a uma das bandas mais influentes dos anos 90 (e uma das minhas favoritas), o Jawbreaker, ao colocar um trecho de letra dos caras no nome da banda (If you could hear the dreams I’ve had my dear / They would give you nightmares for a week, de “Fireman”) e foi assim que eles me chamaram a atenção.
Eu não fazia ideia de que estilo a banda tocava, mas ao bater o olho em “Nightmares For A Week” eu sabia que precisava ouvi-los, e fiz bem.

Abrindo o disco com a bonitinha “You Destroy Me”, alguém pode achar que a banda caminha apenas pelo terreno folk/indie, mas “Baby” entra na sequência e prova a banda está mais para o pop-punk do que para o folk.
O primeiro single do disco, “Veins”, vem logo depois e dá as credenciais da banda, com guitarras, violões, piano, vocais melódicos e berros, que estão presentes em todo o resto do disco.
A frase “It’s your blood that’s running through my veins” fica na cabeça após a primeira ouvida, não tem como ser diferente.

Apesar do nome, os caras não têm muito a ver com o Jawbreaker a não ser o fato de serem um trio e apostarem em alguns vocais roucos como o de Blake Schwarzenbach.
Pense no som do NFAW como se o The Ataris tivesse encontrado o The Get Up Kids e o Alkaline Trio em uma festa e eles começassem a mandar alguns sons no violão.

“Old House” e “Bear Mountain” seguem a mesma linha e são daquelas de cantar em coro com seus amigos semi-bêbados na festa que falei anteriormente. “Our Vessel” volta ao ar folk da abertura do disco com violões e acordeon, e não deixa de lado o coro cantado por várias pessoas durante o refrão.

“Lightning Rod” e “New Solitude” mantêm o estilo do álbum e talvez esse seja o único pecado da banda no trabalho: uma série de sons muito parecidos.

O encerramento do disco começa com “Breath’s As Hard As Kerosene”, que tem cara de última música do álbum mas deixa as honras para a faixa-título que o faz com mais coros inflamados, violões e acordeon.

Acho que o Nightmares For A Week promete com seus próximos trabalhos, e a última coisa que irá lhe dar é pesadelos. Vá fundo e ouça o disco dos caras.

Nota: 8/10

 
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.