Tim McIlrath fala sobre seus gostos musicais e literarios
 

Tim McIlrath fala sobre seus gostos musicais e literarios

Próximo de lançar o disco “Endgame”, o site Spin fez uma matéria especial com Tim McIlrath do Rise Against. O vocalista contou sobre suas principais influências do mundo da música e da literatura.

Como era de se esperar, Tim logo citou Minor Threat e a filosofia Straight Edge que a banda ajudou a disseminar. “Eu já era o cara que não bebia ou se drogava, e eu não conseguia explicar o porquê da minha decisão. Mas ouvir Minor Threat foi o que realmente abriu meus olhos”.

O vocalista rasgou elogios sobre Jawbreaker. Disse que as letras feitas por Blake Schwarzenbach tinham uma sofisticação intelectual parecida com o livro “Admiravel Mundo Novo” de Alduous Huxley: “Não eram apenas quatro linhas de ‘eu odeio minha mãe, eu odeio meu pai’. Eram coisas bem escritas e algumas das letras mais bonitas do Punk Rock”.

A surpresa no meio das influências musicais de Tim foi falar da música “Ohio” do supergrupo Crosby, Stills, Nash And Young. Ele elogiou a coragem de Neil Young de fazer músicas de protesto durante os anos 60.  “Hoje, só toca apenas Black Eyed Peas e Maroon 5 nas rádios. Volte no tempo, as musicas de protesto eram o que tocavam. Nossa geração pode aprender com isto”.

Tim encerrou a matéria falando sobre o “1984” de George Orwell, segundo ele, o livro o deixou mais cético em relação ao governo e a sociedade: “Onde eu cresci, a vida era perfeita. Nós todos íamos para escola e jogávamos futebol. Mas este livro fez meu mundo ficar de cabeça para baixo e acendeu uma lampadinha em cima da minha cabeça”.

Confira a matéria na integra aqui.

Tim McIlrath tocando “Tour Song”, cover de Jawbreaker: