quarta-feira, 17 de julho de 2019

PETBRICK, projeto industrial de Iggor Cavalera, anuncia disco de estreia

Iggor Cavalera
Foto: Wikimedia Commons

Iggor Cavalera, famoso no heavy metal principalmente pelo Sepultura, está se aventurando com elementos da música eletrônica.

O baterista anunciou no ano passado a banda PETBRICK, de Industrial, ao lado de Wayne Adams, do Big Lad. A dupla se conheceu em Londres durante um show do grupo local, e não demorou muito até que a amizade fosse parar nos estúdios.

O PETBRICK já lançou algumas músicas online, mas agora chega com o anúncio de seu primeiro disco de estúdio. I chega no dia 25 de Outubro, e a o primeiro single, “Horse”, já está disponível para audição.

Sobre o projeto, Cavalera disse:

Queríamos fazer algo diferente dos outros projetos em que estávamos envolvidos. Fazer um barulho horrível foi o primeiro conceito por trás da PETBRICK.

Já Adams completou:

Acho que percebemos que estávamos sincronizados com nossos gostos, tanto para música eletrônica estranha quanto para músicas legais com guitarras. Para mim, pessoalmente, eu definitivamente empurrei a eletrônica em uma direção muito mais pesada. Eu acho que o lado industrial da coisa provavelmente vem muito de como o Iggor Cavalera toca. Ele toca pesado, realmente muito forte, e isso com todos os ritmos, então misture isso com ‘gabber’ e com barulho, e você tem uma vibe industrial instantânea. No entanto, em vez de ser um álbum com o pé firme no acelerador, ele também é muito confortável com a atmosferas de uma faixa como ‘Sect’ quanto como a hiperativa ‘Roadkill Ruby’.

Ouça “Horse” abaixo e confira a lista de músicas de I.

PETBRICK – I

01. Horse
02. Radiation Facial (featuring Dylan Walker)
03. Guacamole Handshake
04. Roadkill Ruby
05. Sect
06. Gringolicker (featuring Mutado Pintado)
07. Coming (featuring Laima Leyton)
08. Jesus Dropkick
09. Some Semblance Of A Story (featuring Dwid Hellion)
10. Dr Blair

Leonardo DiCaprio se recusa a comentar teoria sobre Jack e Rose em “Titanic”

Leonardo DiCaprio e Brad Pitt

Ah, Titanic.

O filme lançado em 1997 pelo diretor James Cameron foi um dos maiores sucessos da história do cinema e trouxe Leonardo DiCaprio no papel de Jack, um jovem e pobre sonhador que embarca no lendário navio e se encontra/se apaixona por Rose, personagem vivida por Kate Winslet que tem um casamento forçado para que sua família nobre, mas endividada, continue com poder.

Todo mundo sabe que no final das contas, o longa baseado em uma história real acaba com o navio afundando e mostra Rose se apoiando em um pedaço de madeira para salvar a sua vida enquanto Jack se despede, falecendo no gelado oceano.

Teoria da “Salvação”

MTV News Interviews Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, and Margot Robbie

Truth be told, we’ll never truly be able to forgive Rose for letting Jack freeze to death after the Titanic sunk— there was definitely room on that plank for both of them. And, since we had Leonardo DiCaprio in the room with Brad Pitt and Margot Robbie, his co-stars in ‘Once Upon a Time in Hollywood,’ we decided to ask them about Leo and Kate’s iconic ‘Titanic’ scene, and get their opinions on whether or not Jack could have fit on the board.

Posted by MTV Classic on Monday, July 15, 2019

 

Existe uma teoria, porém, que diz que havia espaço na madeira para que Rose dividisse com Jack, e isso o salvaria, tanto que até os Mythbusters já fizeram um episódio especial da série a respeito.

Aproveitando entrevista com DiCaprio para falar sobre o novo filme de Quentin Tarantino onde ele aparece, Era Uma Vez Em… Hollywood, a MTV perguntou para ele, Brad Pitt e Margot Robbie, o que eles achavam da teoria, e Leonardo se recusou a falar a respeito, apenas sorrindo e dizendo “sem comentários”.

Já Pitt e Robbie deram boas risadas e o ator disse que “isso é engraçado, agora eu vou voltar e assistir a essa cena.”

Margot tirou sarro dizendo que essa é “a maior controvérsia do cinema moderno”, e Brad ainda brincou com o colega falando “você poderia ter conseguido um espacinho ali, né?”

Você pode assistir ao vídeo logo acima.

Download Festival 2019: festival na Inglaterra teve Def Leppard, Slipknot, TOOL e muito mais

Por Laura Fonseca

Todo segundo fim de semana de junho acontece o Download Festival, um dos maiores e mais tradicionais festivais de Rock And Roll do mundo. O evento, que é realizado no Donington Park na cidade de Leicestershire, interior da Inglaterra, reúne cerca de 80 mil pessoas pessoas todos os anos.

Em 2019, o Download contou com a presença de headliners de peso como Def Leppard, Slipknot e TOOL, além de Slash, Slayer, Smashing Pumpkins e diversas outras bandas, somando um total de 110 apresentações durante os 3 dias de festival. Além dos shows, por lá também é possível encontrar lutas medievais, luta livre, globo da morte e parque de diversões.

Os ingressos começam a ser vendidos um ano antes da data e incluem, além da entrada para o fim de semana todo, várias opções de acomodações como camping, estacionamento para trailers e ainda uma espécie de chalé, para quem deseja mais conforto.

Quem opta pelo camping, pode desfrutar de diversas ações como festas privadas, ioga, entre outras atividades que são oferecidas para quem deseja viver a experiência completa.

Os dias na Europanessa época do ano costumam ser bem longos, fazendo com que até as últimas bandas, que tocam às 22h, se apresentem ainda no pôr-do-sol. Também costuma chover bastante durante essa época no local, então pode ser que você precise providenciar galochas para poder lidar com a lama sem ter problemas!

Download Festival 2019

Trivium no Download Festival 2019
Foto por James Bridle

O primeiro dia sempre segue a linha do hard rock, desde a sua criação. Dessa vez, a sexta-feira foi embalada pelo bom e velho rock’n’roll com aquela pegada bem romântica. Def Leppard, Whitesnake, Slash e Skid Row estiveram entre os grandes nomes do dia, levando uma legião de fãs a cantarem hinos como “Here I Go Again” e “I Remember You” em alto e bom som.

Já o sábado foi de peso e contou com nomes como Slayer, Amon Amarth, Trivium e Slipknot como atrações mais procuradas. O Trivium não dispensou sucessos antigos do lendário Ascendancy, mas também trouxe produções mais recentes como “The Sin And The Sentence” e “Beyond Oblivion”, faixas do último álbum lançado em 2017. Os mascarados do Slipknot não deixaram nada a desejar e apresentaram o que podemos chamar de um verdadeiro espetáculo completo, abrindo com a tradicional “People = Shit”, mas também incluindo a faixa mais recente lançada, “Unsainted”. Mesmo após muitos anos de estrada, continuam com a mesma energia e ânimo de uma carreira consolidada.

Fã de Slipknot no Download Festival 2019

Já o domingo teve nomes como Godsmack, Lamb of God, Smashing Pumpkins e o tão esperado TOOL, fazendo do dia um completo “mix de sentimentos” para o público. Com o tão aguardado lançamento do álbum novo, após 13 anos de espera, o Tool mostrou mais uma vez toda a sua potência musical em um show cheio de efeitos visuais, além de apresentar faixas novas como “Descending” e “Invincible” no setlist.

Quanto à estrutura do festival, o Download mostra por que é um dos eventos mais respeitados do mundo. Horários, transporte e treinamento da equipe são impecáveis.

Ingressos para o Download Festival

Slipknot no Download Festival 2019

As vendas já estão abertas para 2020 e você pode encontrar mais informações aqui.

Kevin Spacey: uma das acusações de abuso sexual contra o ator foi retirada

Kevin Spacey no Tribeca Film Festival 2016
Foto de Kevin Spacey via Shutterstock

Uma das acusações de abuso sexual contra Kevin Spacey foi retirada dos tribunais.

A informação é do site Consequence Of Sound, que diz que documentos foram apresentados dizendo que o caso não seguirá em frente devido à “falta de disponibilidade da testemunha de acusação”.

Vale lembrar que esse é só um dos casos e diz respeito a uma acusação pela qual o ator foi preso em Janeiro, envolvendo o filho de 18 anos de idade de uma apresentadora de televisão, Heather Unruh.

Segundo ela, Spacey teria comprado bebida alcoólica para dar ao seu filho até que ele ficasse bêbado, e quando isso teria acontecido, ele teria colocado as suas mãos dentro das calças do jovem, pegando em suas genitais.

LEIA TAMBÉM: Kevin Spacey ironiza polêmica em boné e oferece pizza a paparazzi

Acusações Contra Kevin Spacey

Se tivesse sido condenado por esse crime que teria acontecido nos Estados Unidos, Kevin Spacey poderia pegar até cinco anos de cadeia e seria registrado como “abusador sexual”.

Mesmo que não tenha sido o caso, ele ainda é investigado pela Scotland Yard, a polícia britânica, por seis alegações de abuso sexual que teriam acontecido entre 1996 e 2013 quando o astro de produções como House Of Cards estava em Londres.

Charli XCX lança clipe de “Gone” com Christine And The Queens

Charli XCX e Christine And The Queens
Foto: Reprodução / YouTube

A sempre interessante cantora pop Charli XCX tem bastantes novidades vindo por aí.

No dia 13 de Setembro ela irá lançar um disco chamado Charli que contará com diversas participações, incluindo Lizzo e Troye Sivan.

Quem também estará no novo álbum (quase) homônimo da artista será a brasileira Pabllo Vittar em “Flash Pose”, que sai no dia 25 de Julho, e Christine And The Queens (Héloïse Adelaide Letissier), que está em “Gone”.

A faixa ganhou um clipe incrível repleto de grandes cenas onde Charli e a cantora francesa se encontram, e você pode ver logo abaixo.

Charli XCX e Christine And The Queens

AC/DC atiça os fãs com raro material nas redes sociais; entenda

ACDC Highway To Hell
Foto: Divulgação

O AC/DC fez o coração de seus fãs acelerar com sua primeira atualização das redes sociais em quase dois anos.

A banda alterou suas fotos de capa e perfil, além de já ter postado dois vídeos para comemorar os 40 anos do clássico Highway to Hell. A última publicação do grupo foi em Novembro de 2017, para anunciar a morte de Malcolm Young.

Na manhã desta quarta-feira (17), o grupo postou em seu canal do YouTube um vídeo de uma apresentação ao vivo da faixa título do disco, em 1979, na Holanda. Assista logo abaixo.

Em suas publicações, o AC/DC avisa que vai comemorar o aniversário do disco durante todo o mês de Julho. Highway to Hell foi lançado no dia 27 de Julho de 1979.

A volta do AC/DC

Em 2016, a banda demitiu o vocalista Brian Johnson por conta de seus problemas auditivos — o músico estava perdendo a audição e não podia mais se apresentar ao vivo.

Depois de uma turnê com Axl Rose no posto, o grupo ficou em silêncio desde então. Na metade do ano passado, porém, rumores acerca da volta de Johnson e da gravação de um novo disco surgiram, já que os membros foram vistos em um estúdio de Vancouver.

Agora, várias fontes afirmam que o AC/DC está prestes a anunciar uma nova turnê.

Charlie Brown Jr. oferece cupom de desconto para produtos em nova loja

Pôster do Charlie Brown Jr.

A banda brasileira Charlie Brown Jr. está com nova loja online e disponibilizou um cupom de desconto aos seus fãs.

Por lá você pode encontrar CD, caneca, boné, camiseta e muito mais, e se usar o código PAPORETO, ainda leva 10% de desconto ao final da compra.

Você pode entrar na loja do Charlie Brown Jr. clicando aqui.

Celebração do Charlie Brown Jr.

Vale lembrar que integrantes remanescentes de diferentes formações da banda têm celebrado o legado do CBJR em uma iniciativa liderada por Alexandre Abrão, filho do saudoso vocalista Chorão.

Ele, inclusive, montou uma playlist com as suas músicas favoritas da banda exclusivamente para o TMDQA! quando falamos sobre o evento em São Paulo.

10 vezes em que artistas cancelaram suas participações no Rock in Rio

Robert Plant

Quando planejamos algo, temos a esperança de crer que tudo vai acontecer como esperado. No entanto, por mais clichê que soe esta afirmação, imprevistos acontecem.

Muitas vezes nós mesmos já vestimos a carapuça do “furão”, deixando de comparecer a algum evento por motivos de diversas naturezas. Não diferente de nós são artistas e bandas, que às vezes são surpreendidos e se veem diante da infeliz decisão de cancelar algum show.

Isso pode acontecer desde pequenos shows de turnê até participações em festivais de grande porte. O Rock In Rio, por exemplo, já passou por isso diversas vezes, acarretando discussões sobre o assunto e, não raramente, revolta por parte dos fãs.

Em cerca de 34 anos de história e (até então) oito edições nacionais, o festival já precisou correr contra o tempo algumas vezes para resolver questões de cancelamentos. Separamos dez vezes em que isso aconteceu, em ordem de impacto tanto para o festival quanto para a base de fãs.

Vale lembrar que os cancelamentos no RIR não são exclusividade do Brasil. Nas edições internacionais do festival, Ariana Grande, Rihanna e Sam Smith foram alguns dos que precisaram cancelar suas apresentações.

 

10 – Megadeth (Rock In Rio 2019, substituído por Helloween)

A oitava edição do festival está se aproximando, e tem na retomada do “dia do metal” (após a ausência de um dia com atrações mais pesadas na edição de 2017) uma de suas melhores escalações. Se juntando aos grupos Iron Maiden, Scorpions e Sepultura, o Megadeth completava um quarteto de atrações empolgante para os fãs do gênero.

No entanto, nos surpreendemos com a notícia de que o vocalista Dave Mustaine precisaria tratar um recém-descoberto câncer de garganta. Isso fez com que a banda tivesse que cancelar sua apresentação. Após cerca de uma semana de especulações sobre quem substituiria o grupo, o festival anunciou a banda alemã Helloween.

Ficamos tristes, é claro, mas precisamos concordar que foi uma substituição à altura. E, enquanto isso, desejamos a melhor recuperação possível para Mustaine.

9 – Robert Plant (Rock In Rio 1991, substituído por Billy Idol)

Billy Idol e o ex-Led Zeppelin Robert Plant estavam ambos escalados para a segunda edição do Rock In Rio, que aconteceu no Maracanã em 1991. No entanto, Billy, que estava em sua primeira vez no Brasil, acabou tendo que se apresentar em dois dias.

Isso porque Robert Plant havia cancelado a sua apresentação na véspera. Na época, o cantor alegou estar com faringite, o que o impossibilitaria de cantar bem no show. A indicação mais imediata, diante da correria, foi Billy Idol, que subiu novamente ao palco para tocar no dia seguinte ao seu primeiro show.

Outra justificativa que começou a circular na época foi a de que Plant havia cancelado sua apresentação por medo de atentados terroristas. Aliás, para se apresentar, ele teria que viajar de avião durante o período da Guerra do Golfo.

8 – Van Halen (Rock In Rio 2013)

O hard rock da banda Van Halen nunca chegou a subir nos palcos do Rock In Rio, mas isso quase aconteceu na edição de 2013.

O caso ainda é misterioso, mas foi comentado pelo jornalista José Norberto Flesch na época. Em seu Twitter, ele afirmou que a banda havia fechado com o festival, mas cancelou pouco tempo depois.

Não sabemos até hoje em que ponto as negociações estavam influenciando na divisão dos dias. Considerando que trata-se de uma banda grande (que por sinal só veio uma vez ao Brasil, em 1983), o Van Halen provavelmente assumiria o posto de headliner de algum dia. Em 2013, dois outros grupos de hard rock assumiram tais posições: Bon Jovi e Iron Maiden.

7 – Snap! (Rock in Rio 1991)

Eles já haviam recebido o cachê de 25 mil dólares. Estava tudo certíssimo para o grupo de dance music Snap! se apresentar na edição do Maracanã. No entanto, o mais bizarro dos motivos impediu sua apresentação.

Não por culpa do grupo ou do festival, o equipamento não chegou a tempo no Brasil. Como tudo aconteceu de última hora, a organização do evento não conseguiu encontrar um substituto a tempo. O Rock In Rio seguiu com uma apresentação a menos.

Os 25 mil foram logo devolvidos.

6 – Jay-Z (Rock In Rio 2011, substituído por Maroon 5)

Foi aqui que começou a brincadeira sobre usar o nome da banda Maroon 5 como uma espécie de “tapa-buraco”. E tudo por conta de um cancelamento inesperado do rapper Jay-Z, faltando cerca de um mês para o evento.

Na aguardadíssima quarta edição do Rock In Rio, Jay-Z estava escalado para o mesmo dia das apresentações de Frejat, Skank, Maná e Coldplay. Apesar de o cantor ter alegado “problemas pessoais”, não ficou completamente clara a sua real motivação.

Maroon 5, que já era uma das apostas favoritas por parte do público do festival, fez um ótimo show. Talvez tenha até combinado mais com o line-up do dia, encabeçado pelos também ídolos do pop rock internacional Coldplay.

5 – Cardi B (Rock in Rio 2019, substituída por Ellie Goulding)

Por falar em “motivos pessoais”, Cardi B também não fará mais a sua estreia no festival na edição de 2019. No mais recente caso desta lista, a organização do festival usou suas redes sociais para comunicar aos fãs o triste cancelamento.

Como substituta, o festival anunciou Ellie Goulding, que, apesar de ter lançado seu último álbum há quatro anos, prepara atualmente um novo lançamento. Ela se une a Drake, Bebe Rexha e Alok no line-up de um dos dias desta edição mais voltados ao público pop.

Apesar de ser a primeira vez de Ellie no RIR, a cantora já veio anteriormente para cá, quando participou, em 2014, do Lollapalooza Brasil. Cardi, no entanto, nunca pisou antes em terras nacionais para um show. Vale também frisar que essa foi uma das substituições mais inusitadas já feitas pelo festival.

4 – Barão Vermelho (Rock in Rio 1991, substituído por Hanói-Hanói)

O Barão Vermelho fez um dos melhores shows da edição de 1985. Para a edição seguinte seria interessante reviver esse momento, mas, por decisão da própria banda, isso não aconteceu.

Seria a primeira vez do Barão em um festival grandioso com Frejat nos vocais. A apresentação aconteceria no mesmo dia em que Billy Idol substituiria Robert Plant. A banda, no entanto, se desentendeu com a organização do festival e alegou estar recebendo um tratamento ruim, se comparada às atrações internacionais do evento. A gota d’água foi o fato de que não poderiam passar som antes.

O festival encontrou um substituto na banda Hanói-Hanói, um outro expoente do rock carioca que tinha até então três álbuns lançados. Por sinal, o show foi um dos melhores momentos ao vivo da banda. O Barão voltaria ao Rock In Rio logo na próxima edição, em 2001.

3 – O Rappa, Cidade Negra, Raimundos, Skank, Charlie Brown Jr. e Jota Quest (Rock in Rio 2001)

O descaso às atrações nacionais também seria motivo de revolta e de cancelamentos na edição de 2001. Enquanto o Barão Vermelho topou voltar ao evento, seis bandas frutos da cena do rock brasileiro da década de 90 aderiram a um boicote.

Tudo começou com banda O Rappa, decepcionada com o fato de ser colocada como “abertura” para várias bandas gringas. Assim como o Barão em 1991, eles também não teriam direito à passagem de som. Dando suporte à causa da banda, os grupos Cidade Negra, Raimundos, Skank, Charlie Brown Jr. e Jota Quest também aderiram ao boicote, clamando por mais igualdade no tratamento dado às bandas.

No ano em questão, as atrações de rock nacionais ficaram por conta de grupos como Capital Inicial, Kid Abelha, Ultraje à Rigor, Sheik Tosado e Engenheiros do Hawaii. Das bandas que aderiram ao boicote, O Rappa e Charlie Brown Jr. foram as únicas que não chegaram a ter chances futuras de participar do evento.

2 – Def Leppard (Rock In Rio 1985, substituído por Whitesnake)

A divulgação da primeira edição do festival apresentava o nome Rock In Rio como “O maior festival de rock de todos os tempos”. Não à toa, estava trazendo ao país, de uma vez só, nomes como Ozzy Osbourne, Queen, AC/DC, Iron Maiden e muito mais.

Um dos grandes nomes do rock que viriam para cá em 1985 era o grupo Def Leppard. No entanto, um inesperado acidente entristeceu alguns fãs e desencadeou no cancelamento da banda.

Rick Allen, o baterista da banda, sofreu um acidente de carro na virada do ano de 84 para 85. O episódio lhe custou seu braço esquerdo e, como foi tudo aconteceu muito recentemente, a banda não viu outra escolha senão cancelar a apresentação.

No entanto, o lendário grupo veio para a edição de 2017, atendendo à demanda dos fãs que ficaram tristes com o triste cancelamento do RIR original. E, na ocasião, fizeram um show incrível!

1 – Lady Gaga (Rock In Rio 2017, substituída por Maroon 5)

“Brazil, I’m devastated”.

Lady Gaga, confirmada pela primeira vez no festival na edição de 2017, seria a headliner do primeiro dia. Na época, a cantora divulgava seu ótimo álbum Joanne, e se apresentaria no mesmo dia que Ivete Sangalo, 5 Seconds of Summer e Pet Shop Boys.

Uma notícia inesperada pegou todos de surpresa na véspera do evento, quando Gaga cancelou sua apresentação. A cantora teve o aconselhamento médico de cancelar todas as suas apresentações da época, por conta de fibromialgia. Ela lamentou o ocorrido nas redes sociais.

Naturalmente, os fãs ficaram tristes, e encheram o perfil da cantora de notificações:

De última hora, a organização do evento colocou a banda Maroon 5 para substituí-la. Assim como aconteceu com Billy Idol em 1991, a banda de Adam Levine tocou em dois dias seguidos no festival.

Com Blue Ivy, Beyoncé lança belo clipe para “Spirit”, da trilha de O Rei Leão

Beyoncé Spirit
Foto: Reprodução/YouTube

Olha o hype aumentando! Beyoncé acaba de lançar o clipe para “Spirit”, single de seu disco inspirado em O Rei Leão.

O vídeo mostra a cantora com um time dançarinos na fictícia Pride Lands, locação onde o filme se passa. Quem também aparece no clipe é Blue Ivy Carter, a filha mais velha da artista com Jay-Z.

Assista abaixo!

Beyoncé e O Rei Leão

A diva lança nesta sexta-feira (19) o disco The Lion King: The Gift, que conta com participações de Jay-Z, Kendrick Lamar, Childish Gambino, Tierra Whack e Blue Ivy Carter.

Como te contamos por aqui, o álbum é inspirado no novo remake de O Rei Leão, onde Beyoncé dubla a personagem Nala, e tem como objetivo celebrar a música africana através de músicas inéditas. Apenas “Spirit” estará de fato na trilha sonora do longa.

O Rei Leão estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (18).

LEIA TAMBÉM: Xiii… “O Rei Leão” estreia com pontuação baixa no Rotten Tomatoes

Metallica levou quase 1% da população da Finlândia a show no país

Metallica no Lollapalooza Brasil 2017
Foto por Camila Cara/MRossi

Há algum tempo a gente tem falado por aqui sobre como o Metallica tem arrastado multidões aos seus shows mais recentes.

A banda, inclusive, está entre as que mais faturaram com as suas apresentações no último ano e ultrapassou até mesmo marcas de grupos populares que estão em alta, como a boy band BTS.

Pois bem, ontem (16) a banda tocou em Hämeenlinna, na Finlândia, e levou nada mais, nada menos do que 55 mil pessoas ao seu show.

Como bem aponta o site Loudwire, a população do país no censo de 2017 estava em 5.503 milhões de habitantes, o que significa que a lenda do Heavy Metal levou praticamente 1% de todos os finlandeses ao seu show.

Metallica na Finlândia – Setlist e Vídeos

Por lá, o grupo misturou clássicos com músicas mais recentes e na hora de homenagear o país, o guitarrista Kirk Hammett e o baixista Robert Trujillo tocaram “Kuuma Kesä”, da banda Popeda.

Você pode ver o setlist da apresentação logo abaixo.

  1. Hardwired
  2. The Memory Remains
  3. Disposable Heroes
  4. The God that Failed
  5. The Unforgiven
  6. Here Comes Revenge
  7. Moth Into Flame
  8. Sad but True
  9. No Leaf Clover
  10. Frantic
  11. One
  12. Master of Puppets
  13. For Whom the Bell Tolls
  14. Creeping Death
  15. Seek & Destroy
    Bis:
  16. Spit Out the Bone
  17. Nothing Else Matters
  18. Enter Sandman

Xoxo: “Gossip Girl” ganhará spin-off na HBO Max; saiba mais

Gossip Girl
Foto: Divulgação

Prepare-se para voltar a ficar por dentro dos maiores escândalos da elite do Upper East Side, já que Gossip Girl está de volta.

A WarnerMedia (via Variety) anunciou que a série aclamada vai ganhar um spin-off na plataforma de streaming HBO Max. Incrível, não?

A notícia vem após vários rumores darem conta de que a trama original voltaria às telinhas, mas não é bem assim. A história do reboot se passará oito anos após a original, sem os protagonistas que conquistaram o público da série. O roteiro abordará as vidas badaladas de novos adolescentes que estudam em uma caríssima escola particular em Nova York.

Serão 10 episódios de uma hora cada na primeira temporada, com produção da Alloy Entertainment, Fake Empire, Warner Bros. Television e CBS Television. Os produtores do seriado original também estarão de volta, com nomes como Joshua Safran, Stephanie Savage e mais.

A nova série estreia só em 2020, e ainda não se sabe se atores da trama original voltarão para uma aparição.

Gossip Girl

Gossip Girl chegou ao fim em 2012, e tinha como protagonistas Serena Van Der Woodsen (Blake Lively) e Blair Waldorf (Leighton Meester).

HBO Max

Vale lembrar que o serviço da WarnerMedia entrará em operação em 2020 e, entre outras coisas, será o responsável por tirar o seriado Friends da Netflix.

Nos anos 90, Ozzy Osbourne “ameaçou” Zakk Wylde por tocar com o Guns N’ Roses

Axl Rose e Ozzy Osbourne
Fotos: Wikimedia Commons

Enquanto Ozzy Osbourne estava gravando o seu aclamado disco Ozzmosis, lançado em 1995, o então guitarrista de sua banda Zakk Wylde recebeu um convite inusitado.

Em entrevista recente para o Musicians Institute, o músico contou a história de como quase acabou fazendo parte do Guns N’ Roses e teve sua posição na banda de Ozzy ameaçada pelo próprio vocalista. Confira abaixo um trecho traduzido da conversa.

Como surgiu o Black Label Society?

“Os caras estavam conversando um dia, e Axl [Rose] estava me contando – eu não tinha conhecido o Axl ainda – e o Axl estava falando, ele o Slash estavam conversando, tipo, ‘Quem mais você quer colocar na guitarra?’. E eu acho que surgiu o meu nome. ‘Por que a gente não pergunta ao Zakk o que tá rolando?’, e o Axl ficou, tipo, ‘Beleza. Vou ligar pra ele.’. Então o Axl acabou conseguindo meu número e ele me ligou: ‘E aí, Zakk, cara. É o Axl. Eu estava pensando se você queria se juntar e fazer uma jam com os caras.’ e eu disse, ‘Claro. Sem problema.’.

Então acabamos fazendo essa jam. A gente estava gravando o Ozzmosis [disco do Ozzy Osbourne lançado em 1995] na época. E nós estávamos tocando de vez em quando. Estávamos gravando o disco, fazendo o Ozzmosis, nos divertindo fazendo isso, e aí no meio tempo, quando eu voltava pra L.A., eu acabava encontrando com os caras e a gente ia ensaiar. Então eram só ideias flutuando por ali. Mas nada estava acontecendo ali com os caras do Guns [N’ Roses]. E aí o Ozz falou, ‘Zakk, olha, a gente vai se preparar para entrar em turnê. Você vai tocar…?’

Ozz ficou, tipo, ‘Você pode fazer os dois, mas, Zakk, eu preciso de uma resposta, se você vai ficar tocando com eles e comigo. Esse barco zarpa segunda ao meio dia. Você vai estar pronto pra ir ou não?’ Eu não conseguia uma resposta dos caras, e tudo estava jogado no ar, e o Ozz estava, tipo, ‘Eu preciso arrumar outra pessoa aqui, cara.’. E aí foi isso. Então eu fiquei ali sentado, tipo, ‘O que eu vou fazer? Eu tenho um monte de riffs aqui. Não estou tocando com o Ozz agora. Não vou fazer a coisa com o GN’R. Foda-se.’ E aí surgiu o Black Label Society. Então, foi assim basicamente que o Black Label Society nasceu. Eu estava, tipo, ‘O que eu vou fazer?’ Porque eu tinha feito o Book of Shadows [primeiro disco solo de Zakk], e eu estava, tipo, ‘Eu não estou pronto pra ser um cantor-compositor, tipo James Taylor. Não estou pronto pra isso ainda, por mais que eu ame fazê-lo.’ Eu estava só, tipo, ‘Eu ainda quero fazer riffs e eu ainda quero fazer coisas pesadas, misturadas com as coisas mais calmas também, obviamente.'”

Como conheceu os caras do Guns N’ Roses?

“Eu já conhecia os caras, por alto, há anos quando eu vim pela primeira vez aqui [Califórnia] e comecei a tocar com o Chefe [Ozzy Osbourne]. Aí eu conheci o Slash e o Duff [McKagan] e ficamos amigos e tudo mais, e foi quando o Guns N’ Roses estava começando a despontar. Então eu conhecia os caras e, obviamente, quando eu encontrava com eles de vez em quando, quando estávamos todos bebendo, é sempre bom colocar o papo em dia e tudo mais. E eu conhecia o Steven [Adler]. Aí, depois disso, eu conheci o Matt [Sorum]; ele estava tocando com o The Cult. É um grupo pequeno de pessoas que você acaba encontrando direto e você só vira amigo e coisas do tipo.”

Zakk Wylde

Além de estar tocando novamente com a banda de Ozzy Osbourne, que remarcou seus shows desse ano para 2020 depois de um acidente feio ao tropeçar em um sapato, o guitarrista anunciou um projeto… diferente.

Zakk se reuniu com o baixista Blasko (Rob Zombie, Ozzy Osbourne) e o baterista Joey Castillo (Queens of the Stone Age) para formar o Zakk Sabbath; a ideia do trio é regravar o disco de estreia do Black Sabbath, e o lançamento já tem data marcada para 13 de Fevereiro de 2020.

Com texto de Letrux, Pietá lança disco e busca paz em meio ao caos

Pietá aborda a busca da tranquilidade em meio ao caos no novo disco
Foto: Elisa Mendes / Divulgação

Formado pela potiguar Juliana Linhares (voz) e pelos cariocas Frederico Demarca (violões) e Rafael Lorga (bateria), o Pietá alterna entre a sonoridade urbana e a busca pela tranquilidade em S A N T O S O S S E G O, segundo álbum de sua carreira.

Neste álbum, o trio trocou a atmosfera acústica de antes por uma poética e sonoridade contundentes, plugadas em guitarras e sintetizadores. Essa abordagem surge em contraponto à desejada tranquilidade para viver em meio ao caos da vida na cidade grande nos tempos modernos.

Falando sobre o trabalho, Letrux escreveu um “Um Chamado”, um belo texto no qual destrincha a obra e analisa cada faixa presente ali.

Há chamados na vida. Às vezes parece que estamos dormindo ou vivendo a vida banal e de repente irrompe um chamado, um cutucão, um sacode. Assim começa S A N T O  S O S S E G O: num abraço de onda feroz, Juliana avisa que ‘morrer é uma passagem, ter o amor por fim e muita coragem’, na primeira música intitulada ‘Pietá’. Estamos em 2019, quem não morreu está tendo que vivenciar absurdos atrozes. Pietá é poderoso, santíssima trindade cênica e musical. Com a força descomunal dos sobreviventes que ainda possuem faísca para lutar, o trio atravessa uma jornada heróica munidos de violão, guitarra, pandeiro, conga, percussões, sintetizadores e vozes. ‘Ah, aqueles homens de manhã soltam os cães / de noite comem nossas vísceras’. Pietá está com as vísceras expostas, mas prontíssimos para qualquer embate como atesta a segunda música do disco, ‘Suçuarana’. O chamado confirma a presença: ‘Eu viro fera, só me provoque pra ver’. A capa do disco é evocada nessa canção, com o doce olhar de uma fera capaz de estraçalhar qualquer um. O coro espalha que o chamado é coletivo, são inúmeras mulheres arredias na grande lua cheia.

‘Esse mundo ainda vai me indoidecê’, a terceira faixa ‘Doidecê’ dá o tom atual do país. Embarcamos com Pietá, enlouquecemos com synths e risadas. ‘Mas esse mundo não vai me indoidecê’, Juliana repensa. Volta-se. Emburaca-se, mas há voltas. Há o tal chamado. E Pietá obedece a ele, numa ‘Oração para Luzia’. O canto enfeitiça e procura disfarçar lágrimas mais profundas que qualquer mistério. Na sequência, com ‘As Coisas’, o choro se instaura como condição atual humana. Estar vivo é mudar a sombra de lugar e esperar a revelação das coisas menos óbvias. Pietá nos segreda: vai ao fundo do mar e coloca no nosso ouvido esse crustáceo com pérola escondida, a ser desvendada. Desvendamos, enfeitiçados por cantos e coros, tanto de sereias quanto de marinheiros.

A artista fala sobre as emoções inspiradas pelo trabalho do trio:

‘Virará’ é quando o chamado se instaura sem volta: Pietá não está mais só nos dando um sacode, está nos erguendo do chão, da rua, da cama, do sofá: ‘é preciso cantar pra fugir dessa hipocrisia’. Fugimos, de mãos dadas numa roda punk, mas fugimos. E esbarramos em ‘Jabaculê’, uma canção manifesto que, de maneira majestosa, resume os últimos anos brasileiros. Enquanto os hipócritas criticam os artistas com suas mamatas que nunca existiram, Pietá gargalha na cara dos caretas e brinca de roda, de funk, e cita trecho do ‘Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu’, da escritora Jo Clifford. A teta a ser mamada é a do desejo, sem conchavos – e dedo na cara só de quem merece.’Oração pro Rio’ assombra os ouvidos em meio à cidade desmoronada do Rio de Janeiro. Desmoronamentos geológicos, mas também políticos e por que não psíquicos? Estar no Rio é saber o que é o amor e o ódio, diariamente. Sendo local ou imigrante, conhece-se essa sensação bipolar. O chamado vai dando sinais que a caverna está próxima. Ou a saída da própria caverna? ‘Mar de Sonhos’ anuncia o rasgo de luz que perfura a escuridão. Essa música chega como um sonho, soluciona questões e dúvidas: “quero dormir nos braços do meu bem e enfim sonhar”. ‘Iara ira’ finaliza o belíssimo S A N T O S O S S E G O com o encontro da sereia e a pomba-gira. É onírico, mas pega fogo. O sossego que catapulta, o chamado que desperta: a voz alucinante de Juliana, as composições sensacionais de Frederico Demarca e Rafael Lorga, entre outros. Seus violões, pandeiros, congas, percussões, tudo tão divinamente produzido por JR. Tostoi. O sossego é santo, mas o coração está em chamas.

Shows de Lançamento da Pietá

A turnê de divulgação do registro começa em 1 de Agosto em São Paulo, no Mundo Pensante. Os ingressos custam a partir de R$15 e podem ser adquiridos aqui. Em seguida, no dia 9 de Agosto, a banda vai para Belo Horizonte. O show acontece no DO AR e os ingressos já estão disponíveis. Já em 22 de Agosto, a banda toca em Porto Alegre no Agulha, e você pode encontrar ingressos por aqui.

Chance The Rapper revela informações sobre seu “owbum” de estreia

Chance The Rapper Lollapalooza M Rossi
Foto: M. Rossi/Lollapalooza

A galera que acompanha a cena do rap norte-americano foi à loucura na noite do último dia 16. Isso porque o público teve novas informações sobre o aguardadíssimo álbum de estreia de Chance The Rapper, um dos nomes mais quentes do cenário. Vale lembrar que, até então, o cantor tinha liberado apenas a pré-venda do material, sem mais informações a respeito.

Em uma visita ao programa noturno do apresentador Jimmy Fallon, Chance revelou nome, arte da capa e data do lançamento do disco. E estamos mais perto de conhecer as novas canções do que você imagina.

O aguardado “owbum”, termo usado frequentemente pelo rapper nas redes sociais ao brincar com a sonoridade da palavra “album”, será lançado no próximo dia 26. Será intitulado The Big Day. Temos certeza de que será, de fato, um grande dia!

A capa conta com uma mão segundado um CD transparente. O fundo remete ao quintal de uma casa, mostrando casas e uma cesta de basquete para crianças.

Confira abaixo a capa e o momento em que as informações são reveladas. Vale lembrar que o disco sai em pouco mais de uma semana!

Capa de "The Big Day" (Chance The Rapper)
Foto: Divulgação

Brittany Howard “dubla” Terry Crews no clipe da nova “Stay High”; assista

Terry Crews no clipe de
Foto: Reprodução / Youtube

A norte-americana Brittany Howard, conhecida por seu trabalho no grupo Alabama Shakes, entrou de cabeça na carreira solo. Aquecendo seu primeiro lançamento sem a banda, a cantora já havia divulgado anteriormente a faixa “History Repeats“, e agora chegou a vez de “Stay High” ganhar conhecimento do público.

A canção é uma homenagem a K.J. Howard, pai de Brittany. Por sinal, todo o clipe é passado na cidade natal da cantora, em Athens, no estado do Alabama. Todos que participam do recém-divulgado vídeo são seus amigos ou familiares. O protagonismo, no entanto, fica por conta do ator Terry Crews.

 

“Ela abriu o coração no texto”, conta Terry Crews

Crews interpreta um pai de família trabalhador, que canta a letra da canção desde o fim de seu expediente até o momento em que encontra sua família ao chegar em casa. Sem ambições narrativas, o novo clipe, dirigido por Kim Gehrig, se conclui em sua simplicidade.

A ideia de colocar o ator no vídeo veio da própria Brittany, que mandou um email propondo sua participação. Crews lembrou como tudo aconteceu:

Recebi um email da própria Brittany Howard, me chamando para ser parte de uma música sobre seu pai e sobre o quão especial ele era para a sua família. Ela abriu o coração no texto. Mal pude acreditar. Ela tinha dito que poderíamos filmar em L.A., mas disse para gravarmos em Alabama, onde ela cresceu e onde a família dela se encontra.

No vídeo, a cantora aparece como uma espécie de easter egg. No momento em que o personagem de Terry está deixado a fábrica onde trabalha, podemos ver Britanny falando ao telefone.

Jamie, o primeiro álbum solo de Brittany, foi nomeado em homenagem a sua irmã, e tem previsão de lançamento para o dia 20 de Setembro. Mas, por falar em Terry Crews, o ator está tentando usar seu talento também como cantor para conseguir o papel de Rei Tritão na versão live-action de A Pequena Sereia. Será que com esse clipe ele consegue convencer a equipe do filme?

Confira abaixo o novo clipe:

Filme da Barbie já tem protagonista e roteiristas definidos

Margot Robbie em 2018
Foto de Margot Robbie via Shutterstock

A famosa boneca Barbie vai ganhar um filme estrelado por Margot Robbie e escrito por Greta Gerwige e Noah Baumbach, roteiristas de Lady Bird e O Fantástico Sr. Raposo, respectivamente. A informação foi publicada pela Variety.

Existe ainda a possibilidade de Gerwige assumir a direção do longa, que será o primeiro produzido pela Mattel Films, depois de um acordo firmado entre a empresa, um braço recém criado pela Mattel, com a Warner Bros. Pictures.

Atualmente Greta Gerwige tem trabalhado na adaptação da Sony de Little Women com Emma Watson, Saoirse Ronan, Meryl Streep e Timothée Chalamet no elenco. A expectativa é que a produção tenha grande destaque na próxima temporada de premiações, já que tem estreia prevista para 25 de Dezembro nos Estados Unidos.

Já Noah Baumbach está dirigindo uma produção para a Netflix ainda sem título divulgado, mas que terá como protagonistas Scarlett Johansson e Adam Driver. Em 2017, ele lançou também pela empresa The Meyerowitz Stories (New and Selected), traduzido no Brasil para Os Meyerowitz: Família Não se Escolhe (Histórias Novas e Selecionadas).

O novo filme de Margot Robbie, Once Upon A Time… in Hollywood, chega às salas de cinemas brasileiras em 15 de Agosto. Ele tem como protagonistas os atores Brad Pitt e Leonardo DiCaprio.

Barbie

A boneca criada há mais de 50 anos é reconhecida mundialmente e já ganhou inúmeras versões ao longo do tempo: de princesa a sereia, de presidente a estrela de cinema. Seus lucros ultrapassam os U$ 3 bilhões.

Uma de suas identidades mais recentes é inspirada no astro David Bowie, com a mesma maquiagem e o mesmo figurino que o cantor usou na época da persona Ziggy Stardust, que adotou entre 1972 e 1973 para a turnê do disco The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars. Saiba mais aqui.

Teco Martins anuncia novo disco e lança clipe de “Música Para o Amor da Minha Vida”

Teco Martins
Foto: Divulgação

Uma nova fase na carreira do sempre ótimo Teco Martins está para começar.

O artista, que está completando 10 anos de arte de rua, encerra o ciclo de seu disco de estreia, Solar (2018), com um baita clipe para a faixa “Música Para o Amor da Minha Vida”.

O vídeo mostra Teco em uma forte conexão com a natureza, tema que permeou toda a jornada do primeiro álbum, e tem direção de Eric Limão e Tales Gabriel. Como explica o artista em comunicado, essa é a faixa mais ouvida do disco — assista ao clipe abaixo.

E tem mais novidade! Teco Martins também acaba de anunciar o lançamento de Logos Solar, seu segundo disco de estúdio, para o dia 9 de Agosto.

O trabalho tem colaboração de 50 (!) musicistas, e traz tanto as influências punks do cantor — que foi vocalista do Rancore entre 2001 e 2014, com um retorno em 2017 –, quando da música caipira, ska-forró e mais.

Teco Martins – Logos Solar

Ao falar sobre sua nova fase, Teco declarou:

O ciclo do álbum ‘Solar’ vem chegando ao seu capítulo final e abrindo alas pra uma nova era em minha existência artística: o meu novo disco ‘Logos Solar’, que nascerá no dia 9 de Agosto de 2019. Esse meu primeiro disco solo abriu muitas portas em minha vida, entrou em playlists em todos os 5 continentes e me permitiu fazer 111 shows em uma turnê que foi literalmente do Oiapoque ao Chuí. Para encerrar esse ciclo com chave de ouro e muita gratidão (ser grato com ação), [estou lançando] o clipe de ‘Música para o amor da minha vida’, o som mais ouvido do ‘Solar’ até então…

Avise as amizades e vamos celebrar esse encerramento de ciclo juntos, já nos preparando para o que está por vir. Beijos com amor.

Vale lembrar que Teco é uma das atrações anunciadas para o Oxigênio Festival, que acontece em Setembro, em São Paulo. Saiba mais clicando aqui.

Instagram começa a remover número de curtidas em fotos e vídeos

Likes do Instagram
Foto via Shutterstock

Está acontecendo: o Instagram não está mais mostrando o número de curtidas (likes) em fotos e vídeos na plataforma.

Como a gente havia adiantado por aqui, uma das rede sociais mais populares do planeta adiantou que isso aconteceria em um futuro próximo, e explicou que os autores das publicações poderiam ter acesso aos números, mas eles não seriam exibidos ao público.

Aparentemente em processo de migração e adaptação, nos testes que fizemos aqui chegamos a ver fotos que não mostravam o número de curtidas completamente e outras que mostravam “curtido por ____ e outras pessoas”. Quando clicamos nessas outras pessoas, elas foram exibidas junto com uma mensagem de que só o autor da publicação teria acesso ao número.

É possível também que o seu perfil ainda esteja vendo os números, já que ao que tudo indica, o processo está sendo feito aos poucos e possivelmente até em caráter de teste.

Curtidas no Instagram

Instagram do Green Day

Instagram remove número de curtidas

E aí, o que acha da nova medida do Instagram? Vai ajudar a diminuir o ritmo frenético de influencers em sua procura desesperada por likes ou não?

Deixe a sua opinião e, claro, não deixe de seguir o TMDQA! no Instagram! Lá você encontra posts exclusivos, vídeos, notícias e promoções.

Natura Musical e seu importante processo de seleção e curadoria

Natura Musical

Há alguns dias nós estamos falando por aqui sobre o Natura Musical, projeto que patrocina diversos artistas da música brasileira.

Estamos nos debruçando em cima do edital pois foi através dele que alguns dos álbuns e turnês mais importantes dos últimos anos saíram do papel, as inscrições para 2019 se encerram às 17 horas da próxima sexta-feira, dia 19 de Julho.

E se você está pensando em se inscrever e tem dúvidas sobre como os projetos são selecionados, tanto a Natura Musical faz questão de deixar isso bem claro como nós fomos atrás de Ana Morena, produtora do festival DoSol, que participou da curadoria em 2018 e nos falou a respeito do processo.

Curadoria Natura Musical

Em 2018 a Natura resolveu deixar completamente transparente o seu processo de seleção e lançou um vídeo onde mostrou como foram feitas as reuniões, debates e escolhas de quem foi contemplado pelo edital.

Mostrando que diversos pontos de vista foram considerados, o vídeo também apresentou produtores, jornalistas e profissionais da música que entenderam o escopo do edital e analisaram os projetos para que os mais relevantes saíssem ao final.

Falando a respeito, Ana Morena explicou como, no papel de curadora, tenta captar essa ideia e executá-la seguindo sua linha de pensamento:

É preciso conhecer o edital e seguir as recomendações passadas para a curadoria. Entender a que o edital se destina e que tipo de projeto é interessante e está mais alinhado a isso.

Pluralidade no Time de Curadores

Além disso, como o edital quer criar vitrines para projetos no país todo, a pluralidade de seu time de curadores é fundamental, e isso pôde ser visto por quem tava lá dentro:

A pluralidade é essencial. Ano passado a curadoria da Natura foi uma das experiências mais incríveis que já tive como produtora cultural e musicista. Eram mais de 25 pessoas de todos os cantos do país e realidades debatendo projetos e argumentando sobre o nosso cenário da música. Absolutamente enriquecedor e fundamental para um resultado amplo e diverso.

LEIA TAMBÉM: Natura Musical e o importante papel de fomento às cenas brasileiras

Como Preparar e Enviar o Seu Material

Por fim, nós fomos atrás de dicas para que você, proponente, maximize as chances de ter seu projeto aprovado, e perguntamos para Ana Morena como o material deve ser apresentado dentro de tantas iniciativas bacanas que aparecem por lá:

O quanto mais objetivo, claro e viável ele for, melhor. Projetos que geram conteúdo que transcenda o projeto em si e/ou que possibilitem conexões que continuam sólidas após o projeto são muito interessantes. Gosto muito de material audiovisual bem feito. Ver o artista ao vivo, ou um doc de alguma atividade que ele fez ajuda muito a visualizar a atividade.

Inscrições Natura Musical

Tá esperando o que?

Documente seu projeto, produza seu material e corra para se inscrever no Edital da Natura Musical 2019. O prazo se encerra no dia 19 e o link é esse aqui.

10 bandas para te convencer a dar uma nova chance à música pesada

George Clarke (Deafheaven)
Foto: Wikimedia Commons

Uma das situações mais comuns nas conversas sobre música é ouvir que a outra pessoa é “eclética” e “ouve de tudo um pouco”. Mas, se você gosta de música pesada, sabe que essas frases vão por água abaixo quando você pergunta sobre o gênero.

Pensando nisso, criamos uma lista com 10 bandas que podem servir como uma introdução a essa forma extrema da arte – seja por soarem diferentes dos clichês ou, simplesmente, por terem elementos que as tornam mais acessíveis ao público geral. Confira abaixo!

Em tempo, adicionamos músicas de algumas dessas bandas à nossa playlist oficial do TMDQA! Siga a gente por lá, conheça novos sons e relembre clássicos!

1Deafheaven

Com certeza quando falamos de quebra de padrões da música pesada, o nome do Deafheaven é um dos primeiros a surgir. A banda americana, que começou como um duo formado por George Clarke e Kerry McCoy, mistura elementos diversos que vão do black metal ao shoegaze e o post-rock, sem medo de experimentar.

Apesar dos vocais gritados, o instrumental com fortes influências dos gêneros citados acima costuma atrair quem não tem tanta intimidade com a música pesada. Além disso, os “respiros” com instrumentais mais melódicos nas canções viraram quase marca registrada e ajudam na ambientação do som.

Vale ressaltar que, em Fevereiro deste ano, o Deafheaven lançou a ótima e extremamente pesada “Black Brick”.

2Poppy

Ah, a Poppy. Um fenômeno da internet – a garota despontou como YouTuber em meados de 2013 – que acabou caindo no mundo da música. Seu primeiro EP Bubblebath é um pop extremamente comum; porém, a cantora foi gradualmente adicionando elementos às suas canções até que lançou o disco Am I a Girl? no ano passado, com faixas bastante influenciadas pelo metal – como “X” e “Play Destroy”, esta última com participação da Grimes.

Foi em 2019, entretanto, que a cantora abraçou de vez o peso. Como contamos por aqui, Poppy juntou insanidade e fofura em “Scary Mask”, um prelúdio do que seria seu EP Choke. A faixa explora o contraste entre o instrumental pesado e sua voz “pop chiclete”, fundido-os ainda aos vocais rasgados de Jason Aalon Butler (FEVER 333). O ousado resultado você pode conferir no player abaixo.

3Behemoth

Um dos nomes mais estabelecidos do cenário do metal extremo e com raízes no black metal, o Behemoth deu um passo muito ousado em 2014 quando lançou o disco The Satanist, eleito por diversos veículos especializados em metal como o melhor do ano. O grupo polonês abraçou uma coesão estética e se distanciou de seu passado, tanto visualmente quanto musicalmente.

O álbum é um fusão de diversas vertentes do metal como o doom e o stoner, além dos óbvios death e black e ainda somando algumas influências diretas do hard rock tradicional. Mesmo assim, até os vocais do polêmico frontman AdamNergal” Darski soam melódicos. Tudo isso foi mantido no sucessor I Loved You at Your Darkest, de 2018, também extremamente aclamado por crítica e público.

4BABYMETAL

A história do BABYMETAL é no mínimo curiosa. A fusão de um grupo de idols com uma banda de metal era algo que sondava a cabeça do produtor Kei Kobayashi (conhecido como Kobametal) há algum tempo quando ele se impressionou com uma apresentação ao vivo de Suzuka Nakamoto (a Su-metal) e resolveu executar o plano mirabolante, convidando ainda Moametal e Yuimetal (que recentemente saiu do grupo) para a empreitada.

Assim surgiu praticamente um novo gênero: o kawaii metal. Juntando o instrumental do metal pesado com os vocais fofos e as performances incríveis das 3 frontwomans, o BABYMETAL conquistou o mundo e já se prepara para lançar seu terceiro disco de estúdio.

5Chelsea Wolfe

Pra muita gente, o problema da música pesada é o ritmo acelerado e a “barulheira”; nesse caso, a Chelsea Wolfe é a melhor solução possível. Apostando no peso do instrumental arrastado, o maior trunfo da cantora é o seu vocal etéreo e impecável. Inclusive, em seu novo trabalho Birth of Violence previsto para 13 de Setembro deste ano, Chelsea parece estar explorando uma sonoridade mais acústica.

Como podemos ver abaixo, as apresentações ao vivo são um espetáculo à parte.

6Glassjaw

Nos anos 2000, foi criado um balde gigantesco de bandas que se enquadraram no famigerado post-hardcore. No entanto, no meio dessa confusão toda, o Glassjaw se destacou com possivelmente a sonoridade mais pesada e estranha do bolo.

Não é um projeto fácil de consumir; os vocais icônicos de Daryl Palumbo (que chegam a lembrar o lendário Mike Patton) e os instrumentais caóticos são um prato cheio, mas que vale a pena digerir com calma. Depois de quase 15 anos sem um disco de estúdio, a banda lançou o excelente Material Control em 2017.

7Old Man Gloom

O Old Man Gloom foi formado em 1999 por Aaron Turner (SUMAC, Isis) e Santos Montano (Zozobra) mas só foi ganhar notoriedade depois de um hiato de oito anos entre 2004 e 2011. O grupo voltou abruptamente em 2012 lançando o excelente disco No, que abraçou uma estética mais agressiva e se tornou influência inclusive para bandas menos pesadas, como o O’Brother.

O baixista Caleb Scofield morreu precocemente em 2018 em um acidente de carro, mas a banda decidiu continuar as atividades em homenagem ao músico. O show de tributo após o falecimento de Caleb foi bastante especial e contou até com uma reunião do Isis, que não tocava junto desde 2010.

8Russian Circles

Se o seu problema com música pesada são os vocais, o post-metal pode ser a solução. E não há representante melhor do que o Russian Circles. A banda traz fortes influências do post-hardcore, do sludge metal e do doom metal e já tem 6 discos de estúdio – lançará o sétimo, Blood Year, no dia 2 de Agosto.

9Ghostemane

Trap e black metal parecem duas coisas impossíveis de combinar, certo? Errado, pelo menos para Eric Whitney – mais conhecido por seu nome artístico Ghostemane. Sem dúvidas um dos artistas mais inusitados da contemporaneidade, o rapper mistura elementos da música noise com os dois gêneros já citados. O resultado? Músicas com dezenas de milhões de reproduções nos aplicativos de streaming e até uma parceria com Travis Barker (blink-182), que você confere no vídeo abaixo.

10Anaal Nathrakh

Essa é pra quem já está (bem) familiarizado com o metal pesado. O Anaal Nathrakh é um projeto do multi-instrumentalista Mick Kenney ao lado do vocalista Dave Hunt e é uma verdadeira aventura sonora, explorando os limites da música extrema. O duo chama atenção principalmente pela mistura de estilos vocais que flutuam entre o melódico, o gutural, o grito e até alguns vocais processados digitalmente para soarem ainda mais agressivos.

Universal Music Brasil disponibiliza títulos raros da música brasileira em vinil na sua nova loja virtual

Discos de vinil
Foto de vitrola via Shutterstock

No dia 26 de Junho, chegou uma novidade para os amantes dos discos de vinil e também da nossa amada música brasileira.

Agora vamos poder adquirir discos raros no novo e-commerce da Universal Music, além de também disponibilizar produtos de decoração, moda e acessórios.

Com essa novidade, em seu catálogo estão títulos muito importantes da música popular brasileira, como o disco Garota de Ipanema, lançado em 1967, além de Domingo de Gal Costa e Caetano Veloso, A Tua Presença de Maria Bethânia, o homônimo de Tim Maia e muitos outros grandes discos que marcaram os movimentos da Bossa Nova, Tropicália e MPB no Brasil.

Mas os lançamentos não param por aí, pois outros grandes títulos também serão lançados gradativamente, pois os amantes da música brasileira terão diversas opções que irá agradar a todos os públicos.

Você pode adquirir os produtos na loja oficial da Universal Music Brasil.

Level Nine anuncia show de reunião especialíssimo em São Paulo

Level Nine

A banda de hardcore Level Nine irá fazer um show de reunião pra lá de especial em 2019.

O grupo formado em 1999 irá celebrar os vinte anos da sua fundação com uma apresentação no dia 12 de Setembro no Z – Largo da Batata, antigo Z Carniceria, e a noite promete, já que o trio será formado pelos membros oficiais da banda, Bruno Luglio, Rafael Kumelys e Rick Mastria, que hoje está no Dead Fish.

 

Reunião do Level Nine

Reunião do Level Nine

A reunião da banda começou há alguns meses, como falamos por aqui, quando o Level Nine voltou a estar ativo nas redes sociais.

Além de criar um perfil no Instagram, o grupo disponibilizou o álbum Cobra nas plataformas de streaming, contando com músicas gravadas em 2008, pouco antes do início do hiato, e que nunca haviam sido lançadas oficialmente.

O disco se juntou a Duelo de Egos (2005), álbum marcante do hardcore e do underground brasileiro nos anos 2000 que foi bem recebido pelos fãs e também chamou a atenção pelo seu nível de produção.

Antes dele veio Sobre Retratos e Histórias, primeiro disco lançado em 2003 pela influente OneLife Recordings, e a trajetória de ótima receptividade se encerrou precocemente em 2009 quando a banda se dissolveu.

20 anos após a fundação e 10 anos após o fim, o Level Nine estará de volta para um show em São Paulo com abertura das bandas Drive-In e Against The Hero.

Você já pode garantir seu ingresso por aqui.

Serviço – Reunião do Level Nine

#Budweiser apresenta LEVEL NINE – SHOW DE REUNIÃO no Z

Data: 12 de setembro de 2019

Evento no Facebook

Horários:
19h00 – PORTAS
20h00 – AGAINST THE HERO
21h00 – DRIVE-IN
22h00 – LEVEL NINE

INGRESSOS:
Lote 1 – R$20
Lote 2 – R$30

VENDAS:

Online – www.ingresse.com

Bilheteria do Cine Joia – Praça Carlos Gomes, 82 (seg a sex | 10h às 14h e 15h às 18h).

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 18 anos

Z – Largo da Batata

Av. Brigadeiro Faria Lima, 724 – Pinheiros – São Paulo/SP –
Fone: (11) 2936-0934
Cartões de crédito e débito: Elo, Visa, Mastercard, Diners e American Express (não aceitamos cheques)
Chapelaria: R$4,00
Capacidade: 250 pessoas
Possui área de fumantes e acesso a pessoas com deficiência.

Stranger Things: novo livro estuda referências dos anos 80 no universo da série

Stranger Fans
Fonte: DarkSide Books

Aproveitando o gancho de uma das séries de maior sucesso da Netflix, onde crianças enfrentam criaturas estranhas, surge o registro do autor Joseph Vogel, Stranger Fans: A década de 80 no universo da série Stranger Things, que é o novo livro lançado pela editora DarkSide Books.

Na obra, existe um estudo aprofundado feito pelo fã e escritor que traz todas as referências citadas dos anos 80 que podemos acompanhar ao longo da série, mostrando os detalhes que muitas vezes nos passam despercebidos, indo desde a trilha sonora totalmente oitentista até os adorados fliperamas e jogos da época.

A descrição diz:

Falando de fã para fã, Vogel mergulha nos detalhes que tornaram os anos 1980 um terreno tão fértil para as ideias dos criadores de Stranger Things. Ele apresenta ainda informações preciosas e ilustrações de artistas que se inspiraram na sinergia sinistra que une a história, seus personagens e, é claro, os fãs. Um livro que evoca leitores e espectadores a compartilhar teorias e lembranças de uma série que veio para fincar raízes no imaginário pop mundial.

O livro conta com 304 páginas e já está na pré venda no site da editora, com data de lançamento oficial para o dia 21 de Agosto. Se você é fã da série, precisa ter!

blink-182 toca para 90 mil pessoas no Canadá e posta vídeo incrível

Blink-182
Foto: Divulgação

Atualmente em turnê de comemoração pelos 20 anos do clássico álbum Enema of the State, o Blink-182 se apresentou no último domingo, 15 de Julho, para 90 mil pessoas em Quebec City, no Canadá.

Um vídeo do show no Festival d’été foi publicado no Instagram da Famous Stars And Straps, marca de roupas do baterista Travis Barker, e pode ser visto logo abaixo. O registro mostra um trechinho de “Adam’s Song”, faixa 7 do icônico disco que foi tocado na íntegra.

Convite a atriz pornô em alusão à famosa capa

Para divulgar o início da tour comemorativa, o Blink-182 resolveu homenagear a emblemática capa do álbum lançado em 1999, que traz a atriz pornô Janine Lindemulder vestida de enfermeira fazendo pose sexy ao vestir uma luva elástica.

Dessa vez em vídeo, quem aparece encarnando a personagem é a também estrela pornô Riley Reid, que, junto com um médico, é responsável pelo check-up em Travis antes das apresentações começarem.

Vem trabalho novo por aí

A banda, liderada pelo baixista Mark Hoppus, já havia anunciado que está compondo para o próximo disco do Blink, ainda sem previsão de lançamento e o segundo com o guitarrista Matt Skiba, substituto de Tom DeLonge.

Algumas semanas atrás, o grupo liberou na rede a faixa “Happy Days”, e ela deve aparecer no sucessor de California (2016).

LEIA TAMBÉM: Lil Wayne abandona show e deve deixar turnê com o Blink-182

Novas músicas: Oh Sees, Oso Oso e Mean Jeans

Oh Sees (antigo Thee Oh Sees)
Foto: Mini Van Photography / Divulgação

Os norte-americanos do Oh Sees, que estiveram no Brasil no final do ano passado, mantiveram a tradição de lançamentos anuais e, para 2019, prepararam um álbum duplo de estúdio.

Face Stabber, que será o terceiro lançamento da banda com o novo nome (pois antes era chamada de OCS, The Ohsees, The Oh Sees e Thee Oh Sees), verá a luz do dia em 16 de Agosto via Castle Face Records e será composto por 14 faixas.

Depois de fornecer uma grandiosa amostra do novo trabalho com “Henchlock”, já que a faixa possui 21 minutos de duração, agora a banda liberou “Poisoned Stones”, que você confere logo abaixo.

Oso Oso

Oso Oso
Foto: Divulgação

Falta pouco para o Oso Oso, agradável projeto de indie rock do nova-iorquino Jade Lilitri, lançar seu terceiro álbum de estúdio, Basking in the Glow.

No início de Junho, o projeto divulgou a faixa “Dig (II)”, conforme publicamos aqui. Agora, chegou a vez de conhecermos “Impossible Game” antes do lançamento oficial do álbum, agendado para acontecer dia 16 de Agosto.

Ouça:

Mean Jeans

Mean Jeans
Foto: Divulgação

Os divertidos do Mean Jeans prepararam para o dia 30 de Agosto o lançamento de seu quinto álbum de estúdio, Gigantic Sike, marcando mais uma parceria da banda norte-americana com o selo de garantia de qualidade punk rock, Fat Wreck Chords.

O álbum contará com 11 faixas e já é possível conferir o que vem por aí com o single “Party Line”, disponível para audição a seguir: